Translate

domingo, 25 de janeiro de 2015

Reconstrução


respirámos imagens esquecidas
da nossa adolescência
e a nossa primavera
já remota
ganhou novas cores e limites

na paisagem de aromas de pinho
escutei o teu som inquieto
o verdadeiro
escoltado por tons de maresia
na floresta onde os cantos
se escapavam até nós
por entre mil dunas de desejo

o sol até ali silencioso
proclamou a minha felicidade
fecundada no teu rosto

não te abandono e continuarei
a colar fragmentos de ti
persistirei em ver-te
em juntar-te em reconstruir-te
até que fiques inteira


3 comentários:

sub helena disse...

Jaime,

Que linda reconstrução... Levamos não só pedaços de que nos marcou dentro de nós, como continuamente, tentamos reconstruir e reviver esses pedaços, acho que a beleza, consiste no fato, do que esses fragmentos nos transformou, nessa ânsia de ser feliz... Beijo.

Elaine Regina disse...

"não te abandono e continuarei
a colar fragmentos de ti
persistirei em ver-te
em juntar-te em reconstruir-te
até que fiques inteira"

Essa parte me emocionou... tocou fundo... Lindo, Portela. Sem palavras...

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Jaime.
Memórias bonitas que justificam a perseverança de um querer.
Uma construção de versos que traduzem a esperança na reconstrução do que foi um dia.

*Obrigada por sua visita.

abraço