Translate

quarta-feira, 25 de março de 2015

Como quem faz amor


Não canto, nem escrevo,
a palavra molhada no pranto,
o poema pensando que morro.

Ajusto, concebo,
o canto a seduzir os meus versos,
a forma como quem faz amor.

Procuro, navego sorrisos,
fortuna do ter,
na vida pensando-me eterno.

Conquisto, como a tocar,
palmo a palmo
cada letra do teu corpo de mulher.


1 comentário:

saudade disse...

Lindo.... Querido Jaime, de facto alguém escreve como quem faz amor....
Saudade