Translate

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Acredito em ti


Sem o pedir,
desvendaste-me as feridas dos teus olhos.
Na tua boca,
adivinhei um corpo de mágoas
a precisar de abrigo no aconchego da madrugada
[à nossa espera quieta, alucinante].
Num impulso, senti que gostaria
de esperar o tempo
com o rosto parado no teu peito de mar e tristeza,
de ouvir as ondas de lobos-marinhos do teu sangue,
de envolver com o meu sossego, feito leme,
a tua candura de nuvem à deriva
[presa na ilha que te cerca],
de te amar sobre as pedras da tua praia,
tornando-as areia.
Acredito em ti, porque amanhã,
se não tiveres a quem desvendar as feridas dos teus olhos,
sei que vais saber como sorrir para ti própria.


57 comentários:

Ana Freire disse...

E eu também acredito!...
Aliás... tenho a certeza absoluta!!! De que sempre que venho, aqui... fico rendida aos poemas do Jaime!!!
Como sempre... de uma excelência e sensibilidade, marcante...
Mais um poema lindíssimo! Muitos parabéns pelo talento!
Beijinho! Continuação de uma óptima semana!
Ana

Aninha Ferreira disse...

desde ja agradeço a chamada de atençao pois mesmo lendo varias vezes existem coisas que passam ao lado, contudo disse-me que existiam duas distraçoes mas apenas indicou uma...
outra coisa, segui o sei conselho e mudei aquela outra parte (bastou uma palavra) pois como estava poderia parecer uma coisa que nao tencionava transmitir.

por fim tenho a dizer que adoro este poema, dos que mais gostei ate agora. vejo-me um pouco neste ultimo paragrafo. pois foi quando me senti mais sozinha que aprendi a sorrir para mim mesma.

Aninha Ferreira disse...

nao me tinha apercebido que tinha escrito a mesma palavra duas vezes e tao proximas, ja alterei isso agradeço a chama de atençao :)
assim um aparte nao sou ciumenta doentia, apenas sinto aqueles pequenos ciumes normais que td a gente tem que passam com uma boa conversa, dai a palavra "muito" poder transmitir o que n qeria i ter decidido seguir o seu conselho em melhorar essa parte.

obrigada por estar atento e pelo aviso. so assim podemos melhorar o que possamos estar a fazer mal, que muitas vezes lemos o que escrevemos quase como que automaticamente e nao vemos melhor forma para exprimir o que queremos

Lia Noronha disse...

Tão belo esse poético poder de sobreviver a tudo e a todos!!!
abraços carinhosos meus querido amigo.

Blog da Gigi disse...

Muito lindo!!!!!!!!! Ótimo final de tarde!!!!!!!!! Abraços

Marta Vinhais disse...

E avançar com a vida, amando e descobrindo... As pedras, a areia e o Sol...
Lindo como sempre...
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

irene alves disse...

E acredite que eu gosto muito de ler a sua poesia.
Posso, um dia, roubar-lhe um poema?
Jaime, meu amigo, este poema hoje tocou-me,
talvez porque estou precisando de rir para mim
própria.
Um abraço de amizade.
Irene Alves

Brisa disse...

Da boca,dos teus dedos.da tua alma...
Nasce,este envolvente acreditar...´

É um poema fascinante meu amigo Jaime
Bjo e um bom fim de semana

CÉU disse...

Polis é, Jaime, as "coisas" que se não pedem, são aquelas que acontecem com mais autenticidade e verdade.
As suas palavras, que, para mim, são sempre poucas, estão imbuídas de sensualidade e de ligeiro erotismo, para além da veia poética, k lhes assiste, o k me agrada imenso.
Acredite nas pessoas trilhadas e mordidas pela vida, pke muitas vezes, "já comeram o pão que o diabo amassou", ficando assim mais autênticas.
Dê-lhes, sempre, o seu ombro!

Boa sexta e excelente fim de semana.

Beijo.

manuela barroso disse...

Mesmo não pedindo,deixo conchas e búzios para completar o cenário da sua belíssima poesia, Jaime!
Beijinho!**

Gracita disse...

Que poema lindo!!!!
Sempre haverá alguém que vai desvendar essas feridas e se não houver o tempo vai encarregar da cura
Um carinhoso abraço Jaime

A Casa Madeira disse...

Apesar de tudo sorrir ainda é o melhor remédio;
faz-nos uma limpeza na alma;
Sempre acho que poemas e sorrisos salvam afogados...
Lindo...
Boa continuação de semana.

Vera Lúcia disse...


Olá Jaime,

Linda inspiração e criação poética.
Ternura e sensibilidade traçam o encanto do poema.
Adorei! Parabéns!

Abraço.

Helena disse...

Que sublime o desvendar de feridas dos nossos olhos por um outro olhar que conosco se importou. Um poema belíssimo, entremeado por uma sensualidade restrita a uma terna poesia a culminar com versos acalentados na crença de um sorriso.
Simplesmente lindo, meu poeta!
Um terno beijo da
Helena

saudade disse...

Senti-me a ler-me a mim mesma...
De facto falta aprender a sorrir para mim própria....
A tristeza tem sido enorme e nem desvendar as feridas dos olhos tenho conseguido....
Sabes que adoro ler-te...
Beijo de....
Saudade

rosa-branca disse...

Jaime poeta, é urgente acreditar e aprender a sorrir, mas nem sempre se consegue. Poema doce, que enleia o corpo da nostalgia. Adorei. Bom fim de semana e beijos com carinho

Graça Pires disse...

A cumplicidade num poema muito belo. Um mar onde o olhar se transforma em ilha e há a memória da ternura sobre o peito...
Belíssimo, amigo!
Um beijo.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Muito bonito seu poema, Jaime.
Bom final de semana e grandes inspirações por aí, um abraço.

margusta disse...

Belíssimo poema Jaime .
Obrigada pela visita e gratificantes palavras.
Bom fim de semana!

sub helena disse...

Querido amigo, Jaime...

Que lindo poema, senti-me nele, é como estar sobre o olhar de um mar revolto e íntimo, experimentando um toque silencioso e aconchegante, que faz balançar as águas, faz adormecer os conflitos e as tempestades dissonantes... Acalma-se tudo na cumplicidade compartilhada e absorve-se os momentos, as horas, os dias, dando vazão a própria vida.
Lindo, senti assim.
Um beijo, grande abraço e um belo fim de semana.

Mariangela do Lago Vieira disse...

Oi Jaime.
É lindo o desvendar das feridas através de um olhar terno, do saber ouvir...
Como precisamos dos bons sorrisos... para sorrirmos!
Linda inspiração.
Abraços!!
Mariangela

Suzete Brainer disse...

Depois da leitura, deixei o registro nos meus olhos mais além,
ecoando a beleza rara deste teu poema, na possibilidade
de eternizá-lo...
Adorei!!
Ótimo final de semana, querido Jaime.
Abraço.

heretico disse...

amar é compreender, sem dúvida!

belo poema, na "generosa" cumplicidade. em que vem declinado.

abraço

María Perlada disse...

El amor es como una caricia de seda.

Un beso.

Whesley Fagliari disse...

Caro Jaime, demorei mas aqui estou. E estou encantado com seus versos tão lindos e agradáveis. Passo a te acompanhar também, com licença! Abraço!

Luz E Paz!

Seu Amigo da Sofia, Whesley Fagliari

MARILENE disse...

Para ler a outra pessoa é fundamental o sentir. Há grande beleza nessa confiança, nesse abrigo, nessa crença. Abraço.

Daniel Costa disse...

Jaime, poema mar de amor de altruísmo, o que torna o poema lindo e muito abrangente.
Abraço

Maria Luisa Adães disse...

Esse acreditar...

é um canto prolongado e belo,
do amor imenso a seu lado

e de seu gosto
pelos poemas de amor!

Evidente que gostei!

Mª. Luísa

"os7degraus"

Clau disse...

Olá Jaime,
Como é bom e acalentador, ter alguém que
acredita em nós e se propõe a desvendar e
amenizar nossas feridas...
Poesia bonita e harmoniosa...
Ótimo final de semana! Beijos :)

Amo em Silêncio disse...

Maravilhoso poema!
Adorei conhecer seu blog.
Parabéns poeta.
Boa noite e um ótimo fim de semana.

http://amorremsilencio.blogspot.com.br/

ॐ Shirley ॐ disse...

Gratificante é encontrar alguém que compreenda as feridas dos nossos olhos...
Lindo, Jaime.
Beijos!

MEU DOCE AMOR disse...

Olá:

De que vale um sorriso solitário?

Beijinho doce

Cristina Cebola disse...

Gostei muito do que li! Da ternura dos versos, da docilidade das palavras, do fluir da poesia sublimada ao mais alto nível, de encantamento e beleza...

Um abraço poético...

Lourisvaldo Santana disse...

Coração selvagem.

Maré Viva disse...

É realmente um belo poema, onde cabe tudo e onde tudo nos diz muito e nos veste como luva de pelica...
Abraço.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Aportei, nesse Rio sem margens,absorvi
belas poesias, retorno à casa mas...hei
de voltar aqui.
Meu abraço,Portela!
Lúcia

© Piedade Araújo Sol disse...

cumplicidade e partilha...

um belo poema!

boa semana.

beijo

:)

CÉU disse...

Olá, Jaime!

Como está?

Vim até ao seu blogue, não k esperasse nova publicação sua, mas queria ler, ver o que escrevi no meu comentário, e de facto, o/a "polis" era na Grécia (influências do contexto político grego)e não por cá.
Efetivamente, o k pretendia escrever era, naturalmente, POIS.

Qdo quiser, apareça no meu espaço, pke escrevi umas palavrinhas, ou melhor, o poema é enorme (não há volta a dar, sobretudo às meninas de Humanidades).

Boa semana.

Abraços, com estima.

Aline Teles disse...

Belíssimo poema, Jaime. Às vezes, o que não pedimos é tão marcante e profundo que jamais esquecemos. E, ademais, é tão bom encontrar alguém consegue nos enxergar além das aparências. Consegue compreender o nosso olhar e a nossa alma. Beijinhos.

Louraini Christmann - Lola disse...

Quanta sensibilidade!
Quanta poesia!

Um grande abraço.

Janaina disse...

Oi, Jaime! Que delícia de leitura! Gostei bastante mesmo. Parabéns!

Janaina disse...

Obrigada pela sua visita. Ainda falando sobre gentileza... eu acredito que é o que falta no mundo. Gentileza e delicadeza. Com essas duas 'coisas' estaríamos bem melhores, com certeza. Estou retomando agora o blog, que tenho desde 2004. Vamos ver se consigo escrever tão bonitinho quanto antes. Rs. Muito obrigada por ter me visitado. Venha sempre. É ótimo ter um espaço frequentado por poetas talentosos. Abraços!

Salete disse...

O poema é lindo, Jaime. Eu só acho que em jogos de adivinhações as chances de erro são muito grandes.

Obrigada pela visita.

Abraços.

Verinha Portella disse...

Estimado primo, Jaime Portela!! Hoje foi um dia especial, especial demais, tua visita maravilhosa me trouxe a esse paraíso poético, que bela inspiração,quanta sensibilidade, aprender a sorrir , e a Voar porque a saudade morrerá, continuamente,
para lá da eterna praia do castelo onde sorrimos. Parabéns amei todos...
beijos
veraportela


São disse...

Precioso este poema, parabéns.

Sonhos bons

Zilani Célia disse...

OI JAIME!
TEU TEXTO É BELÍSSIMO, ONDE A POESIA DAS PALAVRAS ENCANTA.
BOM TERES IDO AO " SÓ PRA DIZER"
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

São disse...

Não entendo nada.

Deixei comentário e não o vejo e vi um poema que não encontro...depois, quando carrego nos Comentários abre um flahs e tenho que sair...

Bom, de qualquer modo, agradeço a visita(espero que repita) e repito que gostei do que aqui li.


Tudo de bom

Arte & Emoções disse...

O amor ainda é um dos maiores fomentos da nossa existência.

Hoje te um veim completando época e tem bolo também. Passa lá! Rsrs.

Abraços,

Furtado.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

As feridas da Alma vêem-se através dos olhos. Elas nos deixam linhas de caminhos que nos ensinam a sorrir.
No Amor, sempre há uma porção de sofrimento.
Bela e preciosa Poesia.

Abraços
SOL

Jaime Portela disse...

Caros amigos
Obrigado pelos vossos comentários.
Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar novo poema.
Espero que gostem.
Saudações poéticas.

Amo em Silêncio disse...

Vim agradecer a sua visita em meu blog,e seu comentário.
Um abraço.

alexandra disse...

Simplesmente delicioso!


Um beijo.

Berço do Mundo disse...

Mais um excelente poema.
Desejo-lhe uma linda semana
Ruthia d'O Berço do Mundo

a.filoxera praga disse...

Nada como um sorriso secreto...

Agostinho disse...

Há encontros assim, que se fazem de inadiáveis circunstâncias.
Basta ver e ler "a luz que tens no olhar" pois ela é reveladora da alma - da forma e do estado. A necessidade da mão do poeta para moldar a palavra certa: o Jaime deu-lhe a palavra certa.
Obrigado pela visita. Voltarei porque gosto de rios, para mais, sem margens.

lidacoelho disse...

Um cantar desassossegado a dor do amor, fazendo renascer a esperança feita dos espinhos da caminhada.

Janice Adja disse...

Não sei quem faz o melhor do poema.Não sei se é você as as visitantes destes poemas. rsrsrsrsrs
Todo rosa tem que ser rosa.
Beijos!