Translate

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Tango


No teu olhar de violino sentido,
marcas o tempo
em curtas vagas de silêncios
e largos passos de mágoas.

De corpo agitado,
domado por um piano afoito,
respiramos na matriz do bandoneon
ao ritmo do amor livre cativo,
amor carrasco e escravo
que nos mata a cada passo
numa dança de paixão arrebatada.

Visito o teu sorriso sofrido
que me abraça e repele,
enroscado na ternura em rodopio.
Viajas no teu génio abrangente de viola,
de olhar abandonado no cais,
onde fundeio o instinto, matador,
num morrer por ti já despido.

Mergulhamos, neste bailado insano,
até ao fundo dos mares,
dançamos um tango assassino
até sufocar os sentidos,
até que estas chamas nos matem
em tempestades de vida.


54 comentários:

Graça Pires disse...

Lindo, Jaime! Até eu me imaginei a dançar este tango tão incendiado...
Obrigada pelas palavras que deixou no meu espaço.
Um beijo.

Elvira Carvalho disse...

Gostava de ter engenho e arte para comentar o poema como ele merece. Infelizmente não tenho. Por isso digo apenas que gostei muito.
Um abraço

Arco-Íris de Frida disse...

É de arrepiar esse poema... belo, forte, como o amor descrito nele... sensacional...

Marta Vinhais disse...

Será a vida um tango? Fatal mas ao mesmo tempo insinuante e sensual...
O que torna a vida e o tango fascinantes...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Um rio repleto de amor e sensualidade.
Muito lindo Jaime.
Bjs e obrigada pela visita.
Carmen Lúcia.

Clau disse...

Olá Jaime,
Bailado lindo e inquieto,
com uma mistura de sensualidade
e ousadia...
Bonita poesia!
Beijos :)

Brisa disse...

Olá meu querido amigo Jaime
Depois de estar um tempo ausente por motivos de força maior aqui estou... no Tango da Desfolhada e eis que surge um Poema à Poetisa... e As palavras que te digo No compasso do teu corpo são simplesmente excepcionais...
E assim fiz um jogo de palavras :)

Agradeço as tuas visitas ao meu blog mesmo eu estando ausente...Assim são os amigos de verdade

Bjo e desde já te desejo um bom fim de semana

Cidália Ferreira disse...

Lindo de mais
Me identifiquei em cada verso!
Obrigada-Amei

Beijo de boa noite

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Safira Serene disse...

Jaime,

Linda dança, uma entrega íntima e perfeita, não há como resistir, cada passo dado, parece um vício, que envolve dois corpos, fazendo vibrar, despertar... Uma música insana que invade dois seres, que se deixam levar, delirar. Irresistível bailado, muito bonito seu "Tango", amigo Jaime, uma ótima semana.

Lilá(s) disse...

Uau, uau mas que lindo!!
Bjs

Laura Santos disse...

Um poema arrebatador, construindo a partir do tango as mais belas imagens, numa dança em que os corpos se entrelaçam ora hirtos, ora lânguidos, como se algo os colasse num dramatismo feito de música e de sangue.
Adorei, Jaime.
xx

Dorli Ramos disse...

Oi Jaime
Você é um grande poeta
Acho lindo o tango e deixava meu primeiro marido dançar tango, pois ele foi aprender numa escola de dança e eu não consegui dar nenhum passo, mas ficava de olho para eles não irem para o findo do mar.kkk
Abç
Minicontista2

Majo disse...

~~~
~~~~~~~ O seu poema
é tão fogoso, sensual e delicioso
~ como a magnífica dança latina...

~~~ Dias outonais deleitosos.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

ॐ Shirley ॐ disse...

Corpo e alma tomados pelas vibrações da música.
Belezura, Jaime!
Beijos!

Blog da Gigi disse...

Lindo!!!!!!!!!!!! Abençoado final de semana, Jaime!!!!!!!!! Abraços

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Jaime,passando para agradecer suas palavras deixadas em meu espaço.
Bjs e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

Karocha disse...

Lindo Jaime

BFS

Bjocas

São disse...

Não aprecio tango, mas gostei muito deste seu lindo poema-

Meu caro amigo, abraço de bom final de semana :)

Vera Lúcia disse...


Olá Jaime,

Adoro o tango. Uma dança sensual e linda. Já me arrisquei a dançar e até que me saí muito bem (em outros tempos, claro-rsrs).

Um espetáculo de poema. Forte e arrebatador.
Um amor carrasco e escravo, sustentado pelas chamas da paixão, é aprisionador de almas.

Ótimo final de semana.

Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema que faz juz ao título, intenso e fogoso e um pouco desassossegado...

gostei!

beijo

bom fim de semana.

:)

Alfredo Rangel disse...

Poesia adequada ao tema. Provocante, sensual, envolvente, como deve ser um verdadeiro tango. Parabéns, amigo Jaime. belíssima poesia. Excelente final de semana.

Suzete Brainer disse...

Um poema de tirar o fôlego...rss
Um voo de metáforas belíssimas com a
musicalidade (violino, piano,acordeão,viola)
explodindo na dança da paixão, um "tango
assassino" dos sentidos...
Acompanhado do vídeo deste "tango assassino",
um voo sensual libertário contagiante.
Maravilhoso, Poeta!
Bom final de semana.
Abraço, amigo...

Bandys disse...

Que bela postagem..
é tudo tão lindo
que a poesia vira um tango
e o tango uma poesia dançada.
Muito lindo.
Beijo

Nelma Ladeira disse...

Lindíssimo poema, sensual e envolvente.
O vídeo concluiu a beleza do bailado insano.
Parabéns Jaime,você é um grande poeta.
Obrigada pelas lindas palavras,deixadas em meu cantinho.
Beijinhos e um lindo fim de semana.

Andre Mansim disse...

Mais um belo poema! Belo e inteligente.
Parabéns poeta!

Tais Luso disse...

Maravilhosamente lindo poema e vídeo, a tristeza da música parece que brota das profundezas! Parabéns pela postagem de ambos.
Grande abraço!

JAIRCLOPES disse...

Soneto-acróstico
Nosso tango

O teu sorriso tão sofrido assim
Tem de silêncios, curtas vagas
A menos que nada aches ruim
Nado ancho onde tu naufragas.

Gosto desses oceanos sem fim
Onde navego nas minhas sagas
Até que implores: voltes pra mim!
Soluçando e vertendo em bagas.

Sabe, entre nós tango assassino
Até nos imolarmos em chamas
Sem vibrar as cordas do violino.

Irrelevante pra mim teus dramas
Neste morrer, neste teu desatino
O que quero é tê-la nua na cama.

Ana Pereira disse...

Mesmo que seja um tango assassino, ninguém se importa de dança-lo.
Sempre se soube que a Paixão pode ser fatal.
Um abraço
Ana

Andreia Morais disse...

Incrível!

r: Verdade*

MARILENE disse...

O que dizer, senão fascinante? A música arrebata, como os passos de intenso amor. Muito belo! Abraço.

mz disse...

Essa dança enérgica, dramática e belíssima que é o tango tão semelhante às nossas vidas e nossos afectos.

Iguala-lhe o fado, o nosso fado!

Bom domingo,
um abraço.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

A terna e sensual poesia casando-se, harmoniosamente, no rodopio da singular dança portenha: que bonito!!!
Um beijo, Portela, bom domingo!

Evanir disse...

Como foi bom entrar no seu blog .
A beleza do seu poema em força da mais bela dança que já conheci.
Nunca soube dançar o melhor nunca soube da um passo
de tango.
No próximo ano quero conhecer a Argentina onde o tango é
e será sempre tanto.
A anos sonho conhecer mas sempre foi adiado por algum motivo.
Deus certamente me dará essa alegria ainda.
Parabéns poeta pelo poema envolvente.
Um feliz Domingo.
Beijos.
Evanir.

AC disse...

Jaime, Jaime, quanta energia, mesclada de sensibilidade, por aí grassa! Tudo isso é vontade de viver? Parece-me bem que sim.

Um abraço

Ana Freire disse...

Uma dupla perfeita... em palavras e imagens... plena de paixão, sentimento, e arrebatamento!
Uma apaixonante partilha, por aqui, Jaime!
Abraço! Uma boa semana!
Ana

Olinda Melo disse...


É tudo ou nada, aliás, uma entrega total, um rio sem margens, que alaga tudo.
Belo o tango, belíssimo o seu poema, caro Portela.

Abraço
Olinda

Ísis disse...

Um poema sensacional, uma boa forma de terminar este domingo.

Boa noite e uma boa semana

luar perdido disse...

No fogo de um tango, o arrebatador desejo de dois corpos em uníssono.
Fabuloso poema.

Excelente semana.

anamar disse...

Belo poema. Já vi que pertence ao clube dos poetas vivos. :)

Obrigada pela sua visita ao meu/nosso Mar...

Abraço,

Lu Sam disse...

Que discrição bela dessa dança tão sensual.
Começando com uma expresão tão linda, olhar de violino sentido...eu que sempre fui apaixonada por violinos nunca tinha percebido o quanto é lamurioso às vezes e ao mesmo tempo doce, e essa expresão descreve issso muito bem. Deu pra sentir como se estivesse dançando nas tuas palsvras. Lindo.
Beijos

Mário Margaride disse...

Belíssimo poema, amigo Jaime! E bem ilustrado por belíssimo vídeo!

Parabéns!

Abraço e boa semana.

Janaina disse...

Uau! Adorei e vi todas as imagens que você escreveu.

Fá menor disse...

A música faz parte da vida.
Boa semana, amigo!

Cristina Sousa disse...

Maravilha, adoro tango, até me imaginei a dança-lo.

Beijinhos e otima semana

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Magnífica abordagem Poética. Sensual e belo como o Tango que o motiva.
Parabéns Jaime.

Abraços
SOL

JANE GATTI disse...

Um poema forte e apaixonado, como forte e apaixonado é o tango. Gostei muito. Abraços.

Arte & Emoções disse...

Olá Jaime! Lindo poema! Dotado de uma boa dose de sensualidade. Adorei, principalmente a estrofe abaixo:

Visito o teu sorriso sofrido
que me abraça e repele,
enroscado na ternura em rodopio.
Viajas no teu génio abrangente de viola,
de olhar abandonado no cais,
onde fundeio o instinto, matador,
num morrer por ti já despido.

Abraços,

Furtado.

A Casa Madeira disse...

Um poema pulsante como o tango.
Bom começo de dezembro.
janicce.

Aninha Ferreira disse...

eu sei que tenho andado muito ausente... mas ja tinha saudades de ler poemas com palavras que nao conheço xD

heretico disse...

a pulsão do tango muito bem descrita...

abraço

Daniel Costa disse...

Jaime, talvez possamos encontrar similitude entre a poesia e o tango, no rodopiar dos pares. Com a diferença da poesia ser vivida e interpretada no silêncio. Porém se gosto de sentir tango, assim li o poema com agrado.
Abraço

CÉU disse...

Para quem pouco mais sabe do que aquilo que aprendeu na 4ªclasse, palavras do Jaime num comentário, algures, eu tenho de o considerar um menino prodígio.
Eu, também fui boa aluna, e em Português, muito boa, embora em Matemática, um oito, na escala de 1 a 20, fosse já para mim, um "sucesso". Raciocínio, o meu, é diminuto, mas a imaginação abafa-o e ultrapassa-o.

O que dizer do "Clube dos Poetas, graças a Deus VIVOS", na verdadeira e exata aceção da palavra? Nada e tudo. Escrevem, porque precisam de "respirar" palavras, como os outros precisam de inspirar e expirar ar.

O seu poema, do princípio ao fim, convida a muita atuação do corpo e da mente, e eu não fico abúlica e impávida.
As metáforas são tantas e tão "doloridas" e tão "entranhadas", que fico "à mercê" dos sentidos e do que os meus olhos leem.

A música que vocês, amados, fazem, os olhares que já não veem, o amor livre, mas completamente cativo, o arrebatamento das vontades na dança dos desejos e sentires, o enroscamento escravo, voluntário e dado e finalmente o mergulho, o fundear, onde já só resta o tango, imaginário, dão o mote a tudo "isto", a esta loucura sã.

"Morreram" num orgasmo, num ápice, enfim, prontos para começar de novo.

A tempestade já abrandou, já parou, o incêndio já acabou, por agora, então, queremos mais vida com danças e contra danças. Vamos "Amor"?

PARABÉNS!

rosa-branca disse...

Jaime, há anos que não danço, mas eu adorava dançar o tango.
Este teu tango é irresistível quando dançado com alma e muito amor. Adorei. Beijos com carinho

Odete Ferreira disse...

Belíssimo poema de uma dança que já, de per si, é sensual. Os passos e os andamentos só podem conduzir a uma união plena dos sentidos.
Bjo, amigo :)