Translate

quinta-feira, 24 de março de 2016

Gaivotas perversas


Acendemos a noite
e libertámos cavalos
que trotam selvagens por cima de nós,
corcéis desvairados
a vergastar-nos a pele indefesa,
seja em Paris, Nova Iorque ou Bruxelas.
 
Libertámos bestas sedentas
com cada vez mais sede
nos trilhos de feridas
que ampliamos em soluços,
úlceras globais em busca da cura.
 
As imagens, suspensas no tecto da vigília,
são lagos gelados de águas salgadas
apinhadas de gaivotas trocistas,
são espadas mecânicas
vibradas em espirais de terror
a perfurar alvoradas de cascos e penas,
numa autópsia de esporas
cravadas na sacarose do sonho
até que o terror se infiltre nos ossos.
 
E esperamos, sem fé,
que um rio de mel inunde as nossas chagas
e que a nossa insónia
seja afogada num oceano tranquilo
de cavalos em pastagens viçosas,
onde as madrugadas
sejam livres de gaivotas perversas.

 
Jaime Portela

 

 

69 comentários:

Aninha Ferreira disse...

parece que os seus poemas começam mesmo a "cheirar" a primavera hehe
boa pascoa

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso poema Amei de verdade.

Bom fim de semana.
Uma Santa e sossegada Páscoa!
Beijinhos.

Coisas de Uma Vida 172

Maria Rodrigues disse...

Há que ter sempre fé no dia de amanhã, se assim não fosse a vida se tornaria bem mais cinzenta.
Maravilhoso poema.
Aproveito para desejar uma Páscoa muito Feliz.
Um abraço
Maria

Odete Ferreira disse...

São muito belas as metáforas, realçando o horror que as bestas provocam. E, de facto, parece que a fé se esvai... Muito bem achado o termo lexical "gaivotas" para o poema.
Excelente!
Bjo, amigo e, apesar de tudo, que a quadra pascoal se seja harmoniosa.

Diana Fonseca disse...

Basta dessas bestas!

lua singular disse...

Nossa!
Não conseguiria escrever uma poesia como a sua.
Parabéns
Beijos
Lua Singular

Brisa disse...

Fiquei boquiaberta ao ler-te...
Um texto que diz tanto...
Acende-se a noite...liberta-se palavras...imagens geladas...
Mas a fé,temos que ter sempre connosco

Bjo meu amigo e obrigada pelas tuas palavras...Tb te desejo uma ótima Páscoa

Andreia Morais disse...

Fantástico!

r: Recomendo.
Obrigada e igualmente*

Laura Santos disse...

A Europa está, tal como os Estados Unidos anteriormente, a colher o que semeou. Por mais cruel que possa parecer, enquanto se tratarem os outros povos com sobranceria e desrespeito, o mal que lhes é feito virar-se-á contra nós. Aliás, todos os bombistas suicidas dos ataques em solo europeu, nasceram todos na Europa. Dá que pensar.
Um poema muito rico do ponto de vista imagético, sobre as atrocidades que temos visto, e muitas gaivotas agoirentas continuam ainda a cruzar os céus. Até quando?...
Uma Páscoa feliz, Jaime.
xx

rosa-branca disse...

Jaime, um poema escrito no fio da navalha. Esperemos então por esse oceano tranquilo e pelas madrugadas livres de gaivotas perversas. Adorei o poema. Desejo-te uma Páscoa muito feliz, com muita saúde, paz e muito amor. Beijos com carinho

Maria Teresa Valente disse...

Há que ter fé, meu nobre Poeta Jaime Portela!
Que o mel adoce os corações dessas gaivotas perversas!
Estamos todos tristes pelas repetidas tragédias...
Tenha um feliz e abençoado final de semana!
Abraços carinhosos
Maria Teresa

Gracita disse...

Oi Jaime
Ricas metáforas ao evidenciar a barbárie das "bestas" ditas humanas. Não podemos jamais perder a fé. A justiça divina não há de faltar
Desejo que o espírito de Páscoa invada seu coração e faça-o transbordar de alegria e renovação.
Uma Feliz Páscoa para você e sua família
Beijos

Fábio Murilo disse...

Bem oportuno, tomei conhecimento, embora há anos não assista televisão, pior que fica-se deformado. Excelente o comentário de Laura, uma radiografia dos fatos, de fato, bravo!

Vera Lúcia disse...


Caro Jaime,

Poema forte, construído com muita perícia nas letras.
Incompreensível os atos de terrorismo contra pessoas inocentes, simples alvos para se atingir objetivos construídos sem qualquer ideal plausível. O fanatismo é tanto que a própria vida é utilizada como instrumento para espalhar o terror e a morte. Meu coração sangra a cada golpe praticado por estes fanáticos inconscientes, desprovidos de luz e conhecimento.
Que chegue o tempo "onde as madrugadas sejam livres de gaivotas perversas". Vamos botar fé, pois o mal há de ser ceivado, no tempo em que a humanidade merecer.

Feliz Páscoa também para você e familiares.

Abraço.

Marcia Lopes disse...

O problema nosso de cada sempre, é sempre esperarmos o melhor, porém, sem fé nenhuma e por que não dizer com um entusiasmo masoquista de que tudo continue igual para que sempre tenhamos do que nos lamentarmos , peguei pesado ne? rs
Belo poema. Boa Páscoa. Beijo.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Jaime,
Metáforas muito bem conseguidas, resultando num poema que põe-nos na pele o impacto do horror.
O tema é delicado e, quando visto apenas sob um olhar unilateral, os actos são irracionais e apenas inspiradores do medo, sombreando o raciocínio.
É necessário ter a coragem para buscar as origens dos ódios que hoje vivemos e, para os quais, nenhum de nós, cidadãos, contribuiu e colocá-las em cima da mesa à volta da qual sentam-se os senhores do mundo. O homem ocidental julgou-se dono da verdade, do mundo e de todos os seres sobre o planeta. A História (mesmo a recente, chegada a nós no recato de nossas salas) dá provas de tantos horrores praticados. Erros terríveis.
E se não é com terror que se apaga terror, o cérebro humano é atroz e não conhece perdão nem aceita um virar de página sem vingança, mesmo que servida fria.
Em meio a todo este horror, a inocência é a maior vítima.
Seria bom que "um rio de mel inundasse nossas chagas", seria bom que a canção pela paz conseguisse semear a semente do bem no coração dos homens, mas, por mais que desejasse, não avisto esse rio, nem vejo terreno arado disposto a receber o sementio. Restará a fé, para apaziguar as almas.

Deixo-lhe um abraço amigo com desejo de que esta data de tão grande significado para boa parte de nós, independentemente de credos, consiga trazer paz no seio da família.

Marta Vinhais disse...

Nem o oceano está tranquilo nem as pastagens estão viçosas... Porque o terror rasga, esmaga, dilacera até os sonhos...
Mas que a Fé não nos abandone...
Boa Páscoa...
Obrigada pela visita (estive doente e só hoje é li este brilhante poema).
Beijos e abraços
Marta

Wonder Silver disse...

Gostei do que lí, por isso desde ja estou a te seguir... Convido-te a fazer o mesmo, desta forma continuaremos a ler textos bem elaborado com suas metáforas profundas...Desejo-te uma feliz pascoa....

Magda Carvalho disse...

Bom poema
http://retromaggie.blogspot.pt/

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Metafóricamente belo, este Poema exorciza a perversidade.



Abraço
SOL

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Jaime
Um poema, bem escrito, falando sobre das bestas humanas. Que nem vacilam ao destruir vidas . Na justiça no alto jamais virarão impune, se darão conta do enorme erro praticado.
Desejo meu amigo uma feliz Páscoa, para você e sua família
Enorme abraço.

Suzete Brainer disse...

Um Poema magnífico, num voo poético no máximo da
excelência e inspiração.
Mobiliza em nós uma reflexão da fragilidade humana,
perante atos insanos de uma humanidade que não se
reconhece neste todo como raça humana.
Há a dicotomia através do fanatismo e perversidade,
que metaforicamente tão bem escolhida como "As
gaivotas perversas" desorientadas para o voo do mal.
Bravo, caro Poeta!!
Grata, amigo pela leitura deste teu Poema magistral...
Beijo.

graça Alves disse...

Um galopar profundo e acutilante!
Muito bem!
Boa Páscoa!
Beijinho

Emília Pinto disse...

Lendo o comentário da nossa amiga, Carmen quase nada me resta a acrescentar; estou plenamente de acordo com cada palavra que diz. Tentamos esquecer a história porque isso nos convém, mas muito ódio foi semeado e, inevitavelmente as sementes foram dando os seus frutos. E continuamos com os mesmos erros ao condenarmos a religião muçulmana, agindo com preconceito contra os seus seguidores, ao acharmos que a entrada de refugiados vai trazer mais terroristas, etc, etc. Estes irracionais nada têm a ver com a religião e os que nos chegam em busca de abrigo só querem fugir das bombas, dos misseis e de outras tecnologias assassinas. Se não mudarmos de opinião, se continuarmos a olhar para os outros com preconceito de raça, religião e diferenças culturais, depois dos terroristas virão outras pragas e pode ser que então comecemos a acordar. Nao tenho muitas esperanças , pois a história mostra-nos que o ser humano nao aprende com os erros do passado. Jaime, desejo-te uma boa Páscoa jundo dos teus e que a esperança em dias melhores se vá mantendo em todos nós. Beijinhos
Emilia

Pedrasnuas disse...

Enquanto certos algozes se preocupam em esmagar os irmãos do sul,forçando-os a vergarem-se aos seus caprichos sem medida, uma sombra negra invade a mesma Europa ditadora e sinistra. Porque será que andorinhas deste lado de cá, são seduzidas a bandear para o lado de lá?

Porque não vão à fonte?.... terminem com negócios de armas e de petróleo e outras coisas que nós nem sabemos! Um cenário degradante e terrorífico!
"Quem semeia ventos, colhe tempestades".

Belas metáforas escondem uma realidade cada vez mais assustadora!

PÁSCOA FELIZ, querido amigo Jaime!

PN

Vieira Calado disse...

Meu caro!
Boa noite!
Venho simplesmente desejar-lhe uma excelente Páscoa!
Um abraço!

Minhas Pinturas disse...

Caro Jaime:
Seu poema é maravilho mostrando a tristeza que a Europa sente da carne quando vê que foi libertada a selvageria para seres irracionais e terroristas que sentem o prazer patológico de matar inocentes e se matam por uma ignorância fanática achando que isto os levara a uma vida de prêmios.
Há que manter a esperança de que um dia o amor vencerá.
Grande abraço ao grande poeta.
Léah

manuela barroso disse...

...e lentamente se esvai o sonho com que tão sabes alimentar metáforas!
Páscoa de paz! Beijinho, Jaime

VictorNanny disse...

Olá, Jaime!
Infelizmente, o mundo todo chora as dores causadas pelas gaivotas perversas do islamismo!
Essa erva daninha precisa ser extirpada da face da Terra, antes que o manto negro do EsI se espalhe!
Abraços e FELIZ PÁSCOA, amigo!

tulipa disse...


Gaivotas perversas
achei interessante o título...

tenho andado por locais em que as gaivotas proliferam
e em grande quantidade
ao ler este poema
é isso que sinto:
elas trotam selvagens por cima de nós
...

voltando ao poema
fico surpreendida pelas palavras
... "um rio de mel ..."

Muito talento. Parabéns!

Poeta Jaime Portela

Venho desejar-te uma Feliz Páscoa, com algumas amêndoas de chocolate!

Está mesmo a apetecer-me... são carências afectivas (só pode).

Convido-te a veres a minha chegada a Campanhã
e o domingo de Ramos que passei no Porto,
foram mesmo "Momentos Perfeitos".

Beijinhos da Tulipa.

Anderson Lopes disse...

Jaime, você é poeta dos grandes!

Aninha Ferreira disse...

venho desejar-lhe uma boa pascoa :)

Mar Arável disse...

Meu caro poeta

que aos cavalos nunca lhes falte o coice
na canalha que ultraja a fé
porque não basta ter razão
nesta desordem de cores nos jardins

Abraço amigo

Zilani Célia disse...

OI JAIME!
QUE O SONHO DA PAZ E DA HARMONIA ENTRE OS SERES HUMANOS QUER SEJA DE QUE CONTINENTE FOR, NUNCA DEIXEM DE HABITAR OS CORAÇÕES, POIS SÓ ASSIM, COM AMOR E HUMANIDADE AS BESTAS SERÃO VENCIDAS. HÁ QUE LUTAR SEMPRE, SEM PERDER A FÉ.
MARAVILHOSO TEU TEXTO.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Arione Torres disse...

Oi amigo, Vim lhe desejar uma excelente páscoa!
abraços e fique com Deus!!!

Arione Torres disse...

Oi amigo,
Vim lhe desejar uma excelente páscoa!
abraços e fique com Deus!!!

Fá menor disse...

E que a gaivota que há em nós voe sempre ao encontro do azul infinito!
Uma PÁSCOA FELIZ, meu amigo!

Bjs

lis disse...

Oi Jaime
Compartilhamos dos mesmos sentimentos que traduz seu poema ,
Perplexidade diante do inusitado dos dias que vivemos, da última instância do horror que a vingança produz.
São corvos Jaime porque amo as gaivotas ... rs
um abraço neste domingo de Páscoa_ que a paz esteja nos nossos lares.


ॐ Shirley ॐ disse...

A paz almejada, sem dúvida, será um dia alcançada.
Parabéns, Jaime!
Beijos!!!

Mariazita disse...

A minha passagem de hoje, rápida como o voo de uma andorinha, é só para trazer uma abraço e desejar uma Páscoa muito feliz, serena, doce, e livre de mágoas.
Voltarei com mais tempo.

Beijinhos, querido amigo Jaime
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Ana Freire disse...

E contudo... quase todas essas bestas sedentas... que têm ceifado vidas inocentes.... são todos europeus...
Enfim! Um problema com que a Europa se está a deparar agora, em todas as frentes... pois os senhores dos gabinetes... lá mesmo em Bruxelas... têm ignorado os problemas... há demasiado tempo... desde o tempo do Papá Bush, do inicio dos anos 90... e foram também muito coniventes, com quem armou estas facções... assim como colaboraram em políticas mal concertadas... que bombardearam... sem resolver nada... apenas instigaram uma fuga em massa... que agora surge em todas as frentes... e sem uma politica de defesa europeia... cá nos sujeitamos todos, a ir pelos ares, numa qualquer esquina, agora...
Um magnifico poema, Jaime!...
Se bem que eu ache que a Europa tem praticado a sua política de perversidadezinha também... enquanto ignorou o problema... tornando-o agora incontrolável...
Esperemos mesmo... ainda que com pouca fé... que a tranquilidade volte, talvez um dia... a este nosso mundo... tal como o conhecíamos antes...
Beijinho! Feliz Páscoa, com saúde, alegria e paz na companhia dos que lhe são mais queridos, Jaime!
Tudo de bom
Ana

CÉU disse...

que se soltem cães, libertem cavalos, o arraial, entre aspas, está montado e há mto tempo.
acho misericordioso qdo o Jaime apelida os terroristas de gaivotas perversas, embora estes se movimentem rapidamente, sem graciosidade e em cais, entre aspas, largos, apinhados e afamados.
as minorias ou como tal consideradas, isolam-se e criam um mundo, um gueto específico e não são os outros k os discriminam, mas eles a eles próprios.

nasceram já em países europeus e porquê? basta relembrar a História e está lá a resposta. o k sucede qdo abrem a porta aos toiros... saem todos, destrambelhados, sem direção e tresmalhados. pois, com eles, deu-se a mesma coisa. e o está feito, está feito. pke não há retrocessos.

gostei mto do seu poema, pelo brilho das suas palavras, pela colocação das mesmas e tb pela temática, tão atual, infelizmente.

bom domingo de Páscoa.
beijo e boa semana.

PS - qto a copiar um ou outro verso do meu poema, deixei a resposta no meu blogue.

MARILENE disse...

Jaime, quando tudo isso vai acabar, permitindo um caminhar e um sono tranquilos? O plantio não foi bem feito e acabou sendo adubado com desrespeito. Que se pode esperar para a colheita senão os horrores que temos presenciado?
Um belíssimo poema. Abraço.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Triste e belo ao mesmo tempo, e sempre magnífico, como tudo o que sai da sua pena.
Beijo e boa semana,
Renata

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Metáfora do horror que é vivido cada vez mais perto :-(

O impacto que os piores sentimentos humanos podem causar nos mais indefesos.

Tema delicado, armas desiguais, mmomentos históricos repetidos. E a História ali/aqui tão perto! Erros terríficos.

O ser humano (venha de onde vier) é horrendo quando pensa barbárie.

Uma Páscoa, já por si triste que se torna tormenta em cada dia, quase.

Um beijo, Jaime

M. disse...

Belíssimo poema cheio de magia!
Bom dia :)

Graça Pires disse...

Uma poema excelente embora inquietante, amigo. Todos desejamos que venham os tempos "onde as madrugadas sejam livres de gaivotas perversas".
Um beijo.

heretico disse...

gostei do poema, meu caro Jaime
por vezes esbarramos, é verdade, com o voo de gaivotas perversas.

abraço

Ana Tapadas disse...

Pela lucidez e pela beleza: parabéns.

bjs

Agostinho disse...

"Gaivotas perversas" bem achada a figuração montada da besta pelo Poeta. É que os corvos travestem-se no meio de nós para deferir a bicada.

Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

as metáforas e o poema oportuno e acutilante.
tempos conturbados e desnecessários.
e a esperança que parecer ter desertado de tudo.
no entanto,um belo momento de poesia.
boa semana.
beijo
:)

Genny Xavier disse...

Caro amigo Jaime,

A realidade perversa dos dias viola nossa esperança... Porém, que ela se faça como os bambuzais...se curvam aos ventos e tempestades, mas não se partem, nem se quebram diante do horror dos raios enfurecidos...
Que o sonhos, enfim, possam resistir às intempéries do caos...

Perdoe-me a ausência. Questões de trabalho me sobrecarregaram nas últimas semanas.
Grande abraço, boa semana.
Genny


Ailime disse...

Boa tarde Poeta,
Magnifico poema que fala da realidade atroz com que cada vez mais somos confrontados.
Ninguém pode ficar indiferente! Temos que se fortes e enfrentar.
Mesmo sem fé (eu com fé), ansiar por uma madrugada livre das gaivotas perversas.
Os meus parabéns por tão bela construção poética.
Beijinhos e continuação de boa semana.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, libertam-se as bestas que provocam guerras apoiadas por outras bestas que enriquecem com a vendas de armas ás bestas assassinas.
AG

Ana Simões disse...

Tão inquietante este poema, como inquieta é a nossa segurança e liberdade. Uma analogia tão perfeita dos tempos que correm.. atribulados... como o medo que nos vai corroendo por tais "bestas sedentas" ... diria eu sem sede de nada... só a loucura de ocas cabeças lavadas por meia dúzia de ambiciosos maldosos.. maldoso ? que palavra tão branda para mentes tão perversas...
Não percamos a fé... é a nossa barca, a nossa bóia...

Beijinho Jaime e tudo de bom

Salete disse...

O medo tem dessas coisas...

O poema é excelente, Jaime.

Beijo.

Machado De Carlos disse...

Belos versos. Profundos...

dilita disse...

Olá Portela,

«E esperamos sem fé,
Que um rio de mel inunde nossas chagas...»

Bonito sem dúvida, mas permita que eu discorde e deseje:

-Esperamos com fé ...
E que as gaivotas continuem belas e inocentes.

Muito grata pela visita no meu Birras, e pelas palavras amáveis que me deixou.
Um abraço, e boa tarde nessa tão linda Viana.
Dilita

dilita disse...

É que eu gosto das gaivotas, e entendo que dada a sua inerente paz, não gostariam que o seu nome fôsse tão mal usado.
É metáfora e como tal se entende, mas a avezinha não pode reclamar...
Abraço.
Dilita

Pedro Luso disse...

Mais um de seus poemas de que gosto. Muito bom. Parabéns.
Um abraço.

Tais Luso disse...

Vendo tantas atrocidades com inocentes que estenderam a mão, realmente é difícil de acreditar no que está acontecendo. É imprevisível o futuro.
Parabéns pelo poema tão sensível.
beijo.

Nany C. disse...

não havemos de perder a esperança. a fé.

beijos em teu coração.

José Carlos Sant Anna disse...

É essa transfiguração que une o poeta ao mundo. E vai o poeta se desfazendo em imagens expiando os pecados do mundo por não ser capaz de vê-los em silêncio.
Belíssimo, Jaime.

Ani Braga disse...

Oi Jaime querido


Acho bom não perdermos as esperanças em nossos sonhos...

Lindo seu poema.

Beijos
Ani

Arte & Emoçoes disse...

Olá Jaime! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, assim como apreciar mais um dos teus belos poemas.

Tenho muita FÉ que um dia o homem se conscientizará de que somos todos irmãos, e priorizará o amor, a compreensão e a solidariedade para com o seu próximo.

Abraços,

Furtado.

Menina Marota disse...

Enquanto o ódio e a perversidade que nada tem de religiosa imperarem no mundo, nenhum de nós está livre.
Enquanto os lobbies do armamento e materiais de guerra não forem "desarmados", o mundo permanecerá em risco.
A política de guerra que grassa pelo mundo é obscura e envolvente.
E há quem se aproveite disso para espalhar o terror e o medo.
Gostei de te ler.
Um abraço e continuação de boa semana.

Mariangela do lago vieira disse...

Diante de tudo, e de tantas "bestas" a devastarem a tranquilidade humana, a fé deve persistir sempre, como bálsamo de esperanças em todos os corações!
Muito bom e pertinente teu poema!
Abraços, uma ótimo dia.
Mariangela

Jaime Portela disse...

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Caros amigos
Obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana para todos.
Saudações poéticas.

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Toninho disse...

Aplausos amigo pela beleza de uso magico de belas metáforas, que fazem da poesia esta arte maravilhosa dos sentimentos.
Que possamos sonhar e viver aquela manhã de paz, viajar no Corcel branco sobre as nuvens e pousar em campos verdejantes em meio as flores de todas as cores. A vida é maravilhosa por saber que o bem supera.
Meu abraço.
Grato pela visita que me trouxe e vi vários amigos por aqui e assim ancoro meu barco neste cais de poesia.
Vamos nesta interação.