Translate

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Não há maior fortuna


Não há maior fortuna do que ver-te
a caminhar destemida
[até quase ao infinito da alma]
enquanto os gestos vão morrendo
a cada olhar deslaçado da partida.
Deveria estar assustado
como quem dança com fogo,
ou mesmo apavorado
com a dor forçada pelo espanto,
onde as carícias teriam mãos
de fado vadio queimadas em pranto.
Ou então,
deveria partir relaxado, alegre,
ao som da Marcha Turca de Mozart.
Mas parto apenas saudoso,
por estar certo do retorno
impelido pelos ventos
da melodia sempre nova do teu corpo,
onde nos perderemos facilmente,
e devagar, para que a dança
nos prenda e nos volte a libertar.


Jaime Portela

47 comentários:

A Nossa Travessa disse...

Caro Jaimamigo

Mais um belo poema, o que aliás não admira pois tu sou sabes fazer "coisas" boas. Por isso te digo que gosto de vir aqui para me deleitar...

Abç do Henrique, o Leãozão

A Nossa Travessa disse...

DINAMITE, ASSALTO E DENTADURA
Nova postagem na NOSSA TRAVESSA sob o título acima indicado. É mais um episódio da SAGA DA ALZIRA e fica desde já o convite para uma visita e um comentário. Muito obrigado. A divulgação urbi et orbi também se agradece.
Qjs & abçs – Henrique, o Leãozão

Brisa disse...

Jaime querido
Deixaste-me sem fôlego...
Vejo-te sem te ver...Porque não há maior fortuna que aquela que vive na alma...
As tuas palavras são uma dança infinita...E as tuas mãos são carícias nas folhas,nas melodias sem fim,para que a dança seja repleta de amor...
Adorei imenso este poema (como sempre)

Bjo e desejo-te uma continuação de um bom fim de semana

Gracita disse...

Que lindo Jaime
A maior fortuna é ter o nosso amor sempre por perto
Apaixonante o teu belo poema. Parabéns
Um abraço

graça Alves disse...

Um inspirado, Jaime!
Gostei muito.
beijinho

O Poeta disse...

Muito bonito.

Cidália Ferreira disse...

Lindo demais o seu poema. Parabéns-
Bom fim de semana.

beijos

Elvira Carvalho disse...

Eu queria dizer mais qualquer coisa do que um simples "muito bonito" Mas fiquei sem palavras.
Um abraço

Célia Rangel disse...

Um poema que faz nossa imaginação dançar ao som do amor! Cativante!
Abraço.

Marta Vinhais disse...

Mais um poema/declaração de amor...
Que nos aprisiona e nos liberta depois para o viver em pleno....
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

Pedro Coimbra disse...

Bonito e emocionante.
Aquele abraço, Bfds

luar perdido disse...

Uma dança que faz, facilmente, perder o norte, os passos, o rumo. Um poema onde o amor vibra, na saudade e na alegria dos eternos regressos.
Dança, sim, para que a liberdade seja uma constante na "prisão" amorosa da vida. Belo.
Beijo de luar, bom fim de semana amigo Jaime.

Maria Rodrigues disse...

Não há maior fortuna do que amar assim, sem limites.
Maravilhoso poema!!!
Um grande abraço
Maria

PÈTALA disse...

Quando entra o fado vadio
Com todo o seu ar sedutor
Fazendo sentir seu calafrio
Em belas melodias de amor!

A maior fortuna está no amor, e de quem dele faz seu viver!

Abraço

Majo Dutra disse...

A maior fortuna é,
sim,
ter a maior certeza
e confiança absoluta num grande amor,
que afiança um reencontro
de profundas e jubilosas emoções.
Gostei do teu belo poema, Jaime.
Abraço, Amigo.
~~~~~~~~~~

Nal Pontes disse...

Linda e inspirada poesia como sempre. Parabéns gre poeta um abraço

lua singular disse...

Oi Jaime
Os seus poemas são lindos demais
Você é um excelente poeta.
Beijos
Lua Singular

Agostinho Barros disse...

Adorei o seu texto :)

www.culturadeescape.blogspot.pt/

Become part of Cultura de Escape World:
Facebook PageBloglovin'Blogs de PortugalGoogle +InstagramPinterest

Dose Diária disse...

Que lindo seu blog, amei demais!!!visite a minha página e me siga também.

http://idosediaria.blogspot.com.br/

beijosss

Teresa Almeida disse...

A poesia é uma prisão libertadora. Adorei.
Tem uma boa semana.
Beijinho.

Manuel Veiga disse...

excelente poema, caro Jaime
é caso para dizer que quando o piano afinado,
até as teclas tocam sozinhas

abraço

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Seguro, "parto (...) saudoso"
Sabendo que vou voltar.
A Alma tem maior gozo
Na fome de regressar.



Abraço
SOL

lua singular disse...

Uma dança apaixonante e sedutora
Só você mesmo consegue fazer lindas poesias
Beijos no coração
Lua Singular

Andreia Morais disse...

Há fortunas incalculáveis!

r: Obrigada e igualmente*

rosa-branca disse...

Uma melodia (tão tua) e muito rica em metáforas, que amei demais. Amigo Jaime, bom fim de semana e beijos com carinho

rosa-branca disse...

Um poema (tão teu) e rico em metáforas, que amei demais. Amigo Jaime um bom fim de semana e beijos com carinho

Mariazita disse...

Felizes os que partem com a certeza do retorno, mas mais felizes ainda os que ficam com a convicção de que haverá regresso. O contrário é que é infinitamente triste.
Mas... o teu belo poema não trata de tristezas, pelo contrário, fala de felicidade!
Amei!

RE: Vou tratar de publicar amanhã novo post. Geralmente o intervalo é de três semanas...

Votos de um Domingo feliz
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Emília Pinto disse...

Com o passar dos tempos, todos sentimos que " os gestos vão morrendo " e chega um momento terrivel em que naquela parte do nosso mecanisco, a mais importante delas, uma peça avaria e deixa os " gestos " completamente confusos, numa dança onde os passos se atrapalham e se " enrolam os pés " como que a dizer que não mais querem dançar; ao vermos esses gestos morrendo em alguém que muito amamos, por estranho que pareça dizemos a nós mesmos que " não haveria maior fortuna que vê-lo " partir relaxado", deixando-nos tristeza, saudade e alivio. Alivio? Sim! Não faz bem ver alguém tão importante para nós, ausente dos que o acompanham, querendo ver os que há muito já se foram, não se identificando com os que estão junto dele, enfim... não sabendo se está, quem é ou se já partiu." Perdeu-se " de si mesmo, perdeu-se dos que o amam e " devagar " caminha para aquele instante que será a última despedida. Sai do tema ou não, amigo, mas tudo depende do que se sente ao ler um poema e isto foi o que senti, pois é isso também que perturba a minha dança e que torna confusos " os meus gestos". Um beijinho, um Domingo agradável e que assim sejam todos os outros teus dias
Emilia

Minhas Pinturas disse...

Olá poeta Jaime Senhor Inspiração, mais um belo poema de amor . Gostei muito.
beijos, Léah

Pedrasnuas disse...

Não há maior fortuna que ver a neta caminhar destemida, não é? Pelo menos pareceu-me vê-la logo no início...mas partes saudoso já do retorno... lágrimas e mais lágrimas, chorinhos que nos confundem, se é birra ou dor, ou carência de braços e abraços! Não há maior fortuna, mesmo! Tenho saudades desse tempo, de segurar, de ter ao meu colo, de brincar... de abraçar e abraçar...
Belo poema, um dia a tua neta sentirá muito orgulho de ti!

Em relação ao teu comentário, sim , nem sei o que é habitual, gosto de me recriar, e quanto à educação, há ditaduras violentas e também há muito pai parado, muita mãe sem atitude e os filhos fazem o que querem. Digo isto porque sei o que se passa dentro da minha sala de aula! Nunca imaginei que iria passar por tanta rebeldia,má educação, insolência, para eles( 10 / 11 anos) qualquer coisa serve! Riem do professor, e a sala de aula está a tornar-se na casa da "tia Joana" e isto não pode ser! É impossível dar uma aula minimamente decente! São gritos, galhofa, risos, não escutam nada....enfim.... enfim...enfim... ( qualquer dia escrevo sobre isto! )

Bom resto de Domingo, JP

Um beijo

manuela barroso disse...

E aqui estou eu ( não "ela") saudosa de voltar ao rio onde as margens me têm retido por força dos ventos!
Tu, continuas igual nesse rio onde os rouxinóis se calam. Para pernoitar.
Fraterno abraço, Jaime!

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

É uma deliciosa
viagem ler
seus textos.
Bjins
Catiaho Alc.

Ana Tapadas disse...

De um lirismo amoroso muito belo!

Beijinho

Graça Pires disse...

Só um grande amor é o motivo destes poemas tão cheios de emoção, Jaime...
Uma boa semana.
Beijos.

Suzete Brainer disse...

Belíssimo!!

O amor é a música sublime e transformadora
da dança da vida!...

Sempre inspirado, meu amigo.
Uma ótima semana!

Beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

um poema onde o amor, a ternura a paixão e a saudade estão todos de mão dada.

muito belo.

boa semana.

beijinho

:)

Ana Simões disse...

Boa noite Jaime. Venho, além de ler a magnifica poesia que por aqui abunda. Desejar um Feliz Natal.

Não há maior fortuna que alimentar o dom com que nascemos e isso o Jaime fa-lo bem. Maravilhoso poema.
Beijinho

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Majestoso caro amigo Jaime!
Parabéns por tamanha sensibilidade!
Abraço

CÉU disse...

"Não há maior fortuna" que amar. Beijos. Boa semana, Jaime!

Arte & Emoções disse...

Oi Jaime! Eis que mais uma vez, me faço presente para apreciar mais um dos teus belos poemas.

Abraços,

Furtado.

VITORIO NANI disse...

Mais um belo poema do eterno prisioneiro do amor.
Abraços, amigo!

Tais Luso disse...

Belo poema, amigo Jaime! E não sei qual o melhor, se partir ou se regressar! De qualquer forma cada gesto tem seu motivo, bem que regressar e trazer a saudade, acompanhado de amor... fica lindo.
Beijo!

Jaime Portela disse...

============================================================

Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana e um FELIZ NATAL para todos.
Saudações poéticas.

============================================================

Ana Freire disse...

Mais um poema lindíssimo, Jaime! Apaixonante e arrebatador... cuja leitura nos prende às malhas do amor... tema de inspiração inesgotável... mas que de alguma forma, sempre se deixa apreciar por uma nova faceta, descoberta... através da sensibilidade de cada poeta...
Mais um momento poético, de deliciosa leitura!
E mais um dos meus preferidos, por aqui...
Beijinho
Ana

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Maravilhoso,como tudo que você escreve Jaime.
Bjs-Carmen Lúcia.

Ailime disse...

Boa noite Jaime,
Belo o seu amor e a forma como o canta.
Magnífico poema.
Beijinhos,
Ailime

lua singular disse...

Oi Jaime,
Agora estou quites com você, foram poucas pessoas que visitei, pois é demais o que escreve.( mesmo debilitada, estava deitada, aqui o calor chega a 40°, só no quarto com o ar condicionado). A cirurgia foi no pé e dói os dois pés- a cirurgia não valeu a nada). O que tenho foram dos 39 anos trabalhados em pé e não tem cura, ameniza com remédios caríssimos.
Amanhã e posto e libero os comentários( só de sábado).
Beijos
Lua Singular