Translate

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Um beijo sonante


Por vezes,
sinto-me um verdadeiro Chopin.
Sento-me ao piano
mas a música ausenta-se sombria,
de asas pesadas ou até azedas.
 
Fico sem rumo num voo de cego,
em contratempo e perturbado
entre uma semifusa imprecisa
e uma colcheia longe do tempo.
 
Chego mesmo a magoar os dedos
em bemóis que se abreviam
com trejeitos de dor
a cada agressão dissonante.

Mas fico assim pouco tempo:
o teu canto de soprano,
de timbre perfeito, porque amarrado
ao vento de andorinha com norte,
pacifica-me os gestos
com um beijo sonante nos dedos.
 

40 comentários:

Fá menor disse...

Que nunca falte música!

Marta Vinhais disse...

Ás vezes ficamos parados no tempo... Como que se não soubéssemos caminhar e reencontrar o sentido das coisas...
Gostei muito...
Grata pela visita e pelo comentário.
Beijos e abraços
Marta

Brisa disse...

Os teus dedos escrevem na perfeição...

Obg meu amigo e desejo que tenhas um ótimo fim de semana
Bjo

Luma Rosa disse...

Oi, Jaime!
Escândalo nenhum... Há dias e dias, em que a voz falha, os dedos enrijecem, mas o beijo, esse deve ser sempre reconfortante e caloroso!
Beijus,

Ana Pereira disse...

A verdadeira melodia vem da ponta dos dedos da pessoa que amas. O Amor é assim mesmo: mesmo na ausência, está presente. Um beijo é a melodia perfeita para colmatar a falta.
Um abraço, Ana

Emília Pinto disse...

" Quero-te assim " sempre, amor, forte...quente de um calor abrasador, feito " rosa estonteante " de tanta luz emanada do nosso rei sol; um amor doce feito mel que açucara a nossa vida fazendo-nos estremecer de encantamento. Beijos " sonantes " embrulhados em abraços bem apertados pacificam qualquer gesto mais agressivo...mais azedo...mais doído. E é esse o amor que queremos receber, que deveríamos dar...que temos de colocar em todos os nossos actos. Só assim sentiremos estar no rumo certo num voo consciente ao encontro daquela essência que tanto preenche o nosso Eu. Às vezes sentimo-nos perdidos, num " voo cego ", mas é só parar uns instantes, refletir, voltar atrás e recomeçar um novo. O nosso coração nos indicará o caminho a seguir. Claro...sempre com muito amor, beijos sonantes e gestos pacíficos.
Amigo, a tua poesia é fantástica, só tu sabes o que nela cantaste, mas agora foi a minha alma que a leu e dela retirou aquilo que sentiu precisar. Foi muito bom!
Obrigada por me teres deixado ouvir esta " música " que da tua alma brotou e que a minha encantou. Um beijinho e até sempte
Emília

Ana Freire disse...

Passando por aqui, e conhecendo este espaço tão agradável, de excelente poesia, e para agradecer o facto, de se ter tornado nosso seguidor...
Um abraço! Continuação de uma excelente semana... e agora que nos descobriu, será sempre Bem-Vindo se nos desejar visitar... Mais uma vez, os nossos agradecimentos...
Ana

Graça Pires disse...

Hesitantes, as mãos procuram as teclas e as letras. E nasce o poema.
Beijo.

MEU DOCE AMOR disse...

Olá:

Que a andorinha com norte te leve até ás mais belas melodias.

Beijinho doce

Reflexo d'Alma disse...

Jaime,
grata por sua presença no Espelhando
e linda essa viagem que nos possibilita
essa sua linda poesia.
Bom fim de semana para você sua aos seus
Bjins
CatiahoAlc.

Vera Lúcia disse...


Olá Jaime,

"Um beijo sonante"... O título do poema já me encantou e fez jus ao belo poema, construído com encantadora analogia com ingredientes musicais. Assim é a inspiração, quando chega com seu beijo melodioso e sonoro.

Lindo!!!!

Abraço e grata pela amabilidade da visita.

CÉU disse...

AMO-TE AVULSO

A minha boca, adoçada e mitigada
acelera o teu desassossego,
os meus lábios aguçam o teu corpo
incêndio descontrolado, fogo posto.

Os plátanos da floresta dos sentidos
acostumados à aragem das vontades
que de sul, tão levemente, sopram
entram em espasmos fortes e intrusos
estrebuchando pelas tuas gargalhadas
pássaros brancos, libertando o mundo.

E todos os sons excelsos escutados
vindos do além, do verso e do reverso,
fazem lembrar melodias únicas, divinais
acocoradas nos nossos ouvidos, gloriosas.

Os Mimos-de-Vénus são o andamento
que me trespassa, até à fratura exposta
libido transcendental, em ti, armazenada.

Amo-te assim, açucarado e alienado
de frutas orientais, sândalo, jasmim
de flores mimosas, calmas, cheirosas
de sépalas e penetrações, inomináveis
todavia sentidas, incontáveis, avulso.

CÉU


Suzete Brainer disse...

A música (interior) requer uma pacificação para
o alcance da harmonia e nada como o amor no
seu gestual:"com um beijo sonante nos dedos."
E o poeta compõe o poema belo e sublime!
Adorei, Poeta!
Um bom final de semana, Jaime.
Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

há dias assim, mas pr vezes são nesses momentos que o poema nasce, e que essas mãos escrevam sempre tão bela poesia com que nos brindas.

bom fim de semana.
beijinhos
:)

ॐ Shirley ॐ disse...

Jaime, os seus poemas são ótimos!
Beijos!

sub helena disse...

Jaime,

Que lindo beijo envolvente... Composto por um lindo ritual, transpirando, respirando sussurrando, que morre no fim de cada nota e renasce no começo da próxima... Perfeito beijo sonante.

Querido, agradeço a sua passagem pelo meu blog, fiquei muito feliz, e tem capítulo novo lá, risos... Beijo.

Nidja Andrade disse...

Oi Jaime,
Obrigada pela presença no meu blog.
Tenho a impressão que não é você quem procura o poema, é ele que o encontra, necessitando de seu sopro a expandi o pó mágico que existe nas palavras, só revelado a alguns.
A imagem e o poema são ótimos!...
AbraçO

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Música, poesia, tudo de bom na vida.
Agradecida por sua visita, volte sempre que puder.

CÉU disse...

Olá, Jaime!

O meu comentário acima está "deslocado", pke foi uma tentativa de resposta ao seu estrondoso e anterior poema : "Quero-te assim". Foi feito, de boa vontade e com coração, e é isso k interessa.
já li este, mas, agora não estou mto inspirada para o comentar. Voltarei, depois.

Bom domingo!

Gracita disse...

Olá Jaime
Há dias que a voz nos falta, a música desaparece mas com a pena da sensibilidade compuseste uma linda sinfonia nos teus melodiosos versos
Um abraço e um domingo feliz para você Jaime

manuela barroso disse...

Nem Chopin saberia descodificar as notas musicais deste solfejo.
Uma orquestra que me apraz ainda agora ouvir.
"mas fico assim pouco tempo"...
Continue a deliciar-nos, Jaime!
Beijo!

Pedrasnuas disse...

Não sei porquê...vejo um beijo sonante de criança...o canto de soprano....o timbre perfeito.... a andorinha norte....

A minha leitura é esta, o poema é rico ...como sempre!Não se esgota nem se fecha. Mesmo que o seu autor tenha um propósito, deve permitir que os leitores o possam lapidar e mostrar faces escondidas...

Já não me surpreende ser surpreendida !

Bom dia, Jaime!

Beijinhos

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Jaime
Há dias que a voz nos falta, a música desaparece mas acho que nunca perderá o seu dom para fazer teus lindos versos. Um feliz semana cheio de momentos felizes. Um forte abraço.

heretico disse...

muito bem.
gostei dessa sonata(?) a quatro mãos.

abraço

Mona Lisa disse...

Amor é poema musicado!

Brilhante!

Beijinhos.

saudade disse...

Perante tao bela melodia escrita.... O que me falta são as palavras..... Beijo de Saudade....

Maria Rodrigues disse...

Uma bela sinfonia em forma de poesia.
Belíssimo poema, adorei o seu blogue e a sua forma como escreve, meus parabéns.
Irei com muito prazer acompanhar esse seu Rio sem margens.
Um abraço
Maria

CÉU disse...

É verdade. Por vezes, sentimo-nos o máximo dos máximos, e outras vezes, aves, pássaros caídos, sem asas, desamparados.
Nada é para sempre e nada que um beijo, um bom beijo sonante, que não repenicado, profundo, não resolva.
Gostei do k li, como sempre.
Boa semana. Abraços.

rosa-branca disse...

Olá Jaime, um poema maravilhoso que é música para a minha alma. Amei demais. Beijos com carinho

GarçaReal disse...

A sua maneira de versajar é verdadeiramente bela , envolvente e de uma leveza sem fim.

Li e reli este poema.

Na vida compomos imensas melodias em solvejos diversos, no entanto há sempre uma que será composta em momento de eleição, que será sem dúvida a canção da nossa vida.

Não estou de férias, mas o tempo é que tem sido muito pouco. Desculpe a falha da minha presença em seu maravilhoso canto

Bjgrande do Lago

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

As Pautas sempre mantêm as suas linhas, independentemente de quem e como são "lidas". Este Poema é uma Obra de Arte porque nos Amores sempre existem pedaços de dor...



Abraços



SOL

EU disse...

Beijos de música...
Original e encantador poema. Parabéns!
Bjo, Jaime
(Sobre os seguidores - hoje consegui porque segui o que pedia ao clicar, iniciar a sessão com o google rede social... Em outros blogues, com a mesma aplicação, não me pedia este passo. O que importa é que já está.)

Arione Torres disse...

Oi amigo, vim lhe desejar uma ótima semana, abraços!!

Mary disse...

A dias assim,no entanto em ,dias assim, a sensibilidade aflora e é na ponta dos dedos que por vezes calejado que podemos ser agraciados com lindos escritos, belíssima sinfonia, repleta de alma!

Bjos fica com Deus!

Jaime Portela disse...

Caros Amigos
Obrigado pelos vossos comentários.
Espero que gostem do novo poema que acabei de publicar.
Beijinhos e/ou abraços

Pérola disse...

Elevo-me nessa melodia encantada.

Beijo

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Linda poesia, Jaime, sempre é muito bom vir aqui, meu esposo também gosta do seu poetar.
Agradeço sua visita e tenha um bom domingo.

JAIRCLOPES disse...

Soneto-acróstico
Ao beijo maior

Um dia ainda vou te beijar com certeza
Mas não um beijo sóbrio, convencional
Beijo ruidoso, estalado, com framboesa
E que te fará deslumbrada em alto grau.

Injusto entretanto seria, minha princesa
Julgá-lo beijo de certo gajo cara-de-pau
Ou daquele que só vai deixa-la indefesa
Saiba pois que o beijo é transcendental.

O dia que acontecer este beijo sonante
Nada mais nesta vida portanto importa
Acolhe-o, desfrute-o então siga adiante.

Nem tampouco deixará sua boca torta
Talvez somente será tão reconfortante
E que te fará lembra-lo até estar morta.

Bell disse...

Lindo =)

Elaine Regina disse...

Simplesmente lindo... A sensação que eu tenho ao ler as suas palavras é a de que se pode mesmo morrer e (re)viver de amor... Beijo grande, poeta!