Translate

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Bebo a seiva e o mel da tua dança


Bebo a seiva e o mel da tua dança,
pantera sedutora a rasgar a selva
do nada que nos separa,
enquanto orquestro o silêncio
[ou a ânsia]
ao ritmo da tua valsa.
 
Embriago-me
no ventre da tua voz acesa,
melodia sensual a invadir-me em clarins
os tímpanos do desejo,
enquanto vestimos o tempo
com relógios sem ponteiros.
 
Sobrevoamo-nos cativos
e caímos no vácuo entrelaçados,
latejantes.
Detonamo-nos num fogo-de-artifício
de estrelas cadentes, ofegantes.
 
 
Jaime Portela

66 comentários:

Odete Ferreira disse...

Sensualidade à flor dos sentidos; da antecipação à concretização, no crescendo da posse, o tempo é irrelevante.
Um poema intenso de que gostei muito.
Bjo, amigo :)

Karocha disse...

Lindo Jaime e claro que vai para o meu mural do face.

Tem um bfs

Bjocas

Fá menor disse...

Dos rastilhos à sublimação.

Bjs

José Carlos Sant Anna disse...

E sobe em gorjeio a gama perfeita do enleio entre a seiva e o mel da dança...
Um abraço, Jaime!

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso poema! Parabéns

Beijo, um resto de dia feliz.

Coisas de Uma Vida 172

Aninha Ferreira disse...

este poema e sem duvida uma grande festa hehe... dança, ritmo, valsa e ainda o fogo de artificio... gostei

Laura Santos disse...

Quando nada separa dois seres, a seiva e o mel serão bebidos numa selva desejos.Uma embriaguez em que se cumpre a intensa profundidade do tempo de "relógios sem ponteiros", na sensualidade dos corpos ofegantes.
Belíssima composição, plena de corporalidade e sedução.
Sempre inspirado, Jaime! Parabéns.
xx

Diana Fonseca disse...

Que palavras lindas e doces de ouvir!

Brisa disse...

Bela sedução...desta forma,me embriago nas tuas palavras que são intensas e cheias de vida...
Jaime,conjugas na perfeição esta dança com sabor a mel...

Bjo e um final de semana feliz

Marta Vinhais disse...

Com a paixão vivida....Sem tempo...
Sensual...
Gostei muito.
Beijos e abraços
Marta

Arco-Íris de Frida disse...

A dança que seduz... poema belo...

Mariangela do lago vieira disse...

Poema sensual e intenso, gostei muito, Jaime! Parabéns!
Abraços, uma boa noite!
Mariangela

Ivone disse...

Que lindo poetar, adorei os versos"...enquanto vestimos o tempo/ com relógios sem ponteiros..." muito bem elaborado!
Amei ler amigo Jaime!
Abraços apertados!

rosa-branca disse...

Embriaguei-me com este lindo poema tão sensual. É melhor não ler mais vezes, pois posso entrar em "coma profundo"...Amigo Jaime um bom fim de semana e beijos com carinho

lua singular disse...

Linda poesia,
Adoro o seu jeito de poetar com lindas metáforas.
Beijos no coração
Lua Singular

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito lindo o poema cuja cadência nos leva a um jogo de sedução até o final.
Beijo e bom fim de semana!

Mário Margaride disse...

Belo poema de amor! Todos os sentidos e emoções à flor da pele...

Adorei!

Abraço amigo Jaime. Bom fim de semana!

Linda Querluz disse...

Jaime,

Lindo poema, enamorados "cativos", "entrelaçados", "latejantes", explodindo como "estrelas cadentes" e no ápice "ofegantes", nos faz viajar entre essas suas belas e sedutoras imagens...Belíssimo!
Um ótimo fim de semana para você, amigo, beijo.

saudade disse...

Que nunca te faltem as palavras para me presenteares com tão belos poemas...

Bom fim de semana.

Beijo de...
Saudade

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Magicamente sensual, este teu Poema. Ler e reler leva-nos a entrar nele.


Abraço
SOL

Aline Goulart disse...

Eis um poema sensual na medida certa. Simplesmente lindo! É tão bom quando o sentimento fica assim: à flor da pele. Beijinhos.

Minhas Pinturas disse...

Jaime amigo POETA
É tão bom ler seus poemas, eles nos levam para o lugar onde a cena se concretiza e ali embebecidos ficamos a admirar.
A paixão sempre presente em seus versos levam o leitor a momentos de beleza.
beijos, Léah

Rita Freitas disse...

Muito bonito mesmo.

abraço

CÉU disse...

Hum... obrigada... soube-me a pouco, Jaime.
beijo, já agora doce, para não fugir do contexto. voltarei, permitindo sobrevoos.

Walker Moovin disse...

Meu caro Jaime, sempre que aqui venho ler seus belos escritos saio com uma certeza unica de que poetizar é para pouco... Por que escreve com tamanha maestria que nos faz refletir-mos profundamente na forma de amar.
Um grande e acalorado abraço de seu amigo wonder...

Maria Teresa Valente disse...

Poema de amor intenso e suave ao ritmo de valsa.
Maravilhoso, amigo Poeta Jaime!
Excelente final de semana, abraços carinhosos
Maria Teresa

VictorNanny disse...

Um poema intenso e arrebatador, mais uma vez, de muito impacto!
Forte abraço, amigo Jaime!

manuela barroso disse...

Uma dança vestida de uma sensualidade que poucos sabem cantar com a tua sabedoria poética
Beijinho , Jaime

Vera Lúcia disse...


Uau! Arrasou na beleza da sensualidade dos versos.
Lindo demais, Jaime!

Ótimo final de semana.

Abraço.

Suzete Brainer disse...

Um belo poema, de uma sensualidade com a marca da
tua elegância poética, as metáforas tão belas:
"Enquanto vestimos o tempo
com relógios sem ponteiros"

Poesia Grandiosa, Jaime!

Beijo.

Mariazita disse...

Num crescendo de atracção sensual, o ritmo da dança acompanha o som longínquo dos tambores que ressoa ao longe, enquanto miríades de estrelas chovem sobre os corpos enlaçados…
Poema muito belo!

Bom Fim-de-semana, querido amigo Jaime
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

ॐ Shirley ॐ disse...

Essa pantera sedutora, foi capaz de inspirar
um belíssimo e sensual poema.
Parabéns, querido amigo.
Beijos, Jaime!

Labirinto de Emoções disse...

Olá Jaime
Um poema lindo onde a sedução sublima o amor. E quando o amor acontece não existem relógios que o façam parar..:-)))
Beijinho e bom fim de semana
Teresa

Emília Pinto disse...

E aqui, em toda esta paixão arrebatadora, de certeza que a " razão " se foi por completo ; ficou a emoção elevada à sua potência máxima e não poderia ser de outra forma numa entrega de amor que se quer vivida em todo o seu esplendor, com o tempo todo a favor dessa entrega: até o relogio sabe disso e, discretamente esconde os ponteiros para que os olhos, numa qualquer pequena distracção não se assustem e interrompam o dançar dos corpos. Só o

Emília Pinto disse...

E aqui, em toda esta paixão arrebatadora, de certeza que a " razão " se foi por completo ; ficou a emoção elevada à sua potência máxima e não poderia ser de outra forma numa entrega de amor que se quer vivida em todo o seu esplendor, com o tempo todo a favor dessa entrega: até o relogio sabe disso e, discretamente esconde os ponteiros para que os olhos, numa qualquer pequena distracção não se assustem e interrompam o dançar dos corpos. Só o maravilhoso " fogo de artifício de estrelas cadentes " os fará parar, "ofegantes," mas, completos, reconfortados. E agora,, sim, poderá a razão entrar, mas com cautela....ainda há muita emoção pairando nos ares. Jaime, não preciso dizer que adorei, ou preciso? Bem... a razão aconselha-me não só a dizer que sim, mas também a agradecer-te pelo belo momento de poesia. Um bom fim de semana. Beijinho
Emilia

Tita Oliveira disse...

Vim para conhecer e gostei! Vou seguir para não perder de vista :)
Beijo.
Tita

Fê blue bird disse...

Uma dança onde a paixão e a sensualidade está em cada verso em cada palavra.
Adorei!

Um beijinho Jaime

Un Colibrí Viajero disse...

bellisimo!!! mis humildes felicitaciones!!!

Andreia Morais disse...

Sempre fantástico!

r: Muito, muito obrigada :)
Sim, e a foto de perfil é mesmo minha.

Bom fim de semana*

tulipa disse...


Olá Jaime

Tocaste no meu ponto fraco
a loucura pela dança
...

imagino como
orquestras o silêncio

ritmos ...tantos

à valsa ainda não cheguei

ando pela rumba, cha-cha-cha, bachatango

e já me dou por feliz.

Embriago-me
cada dia que tenho aula

termino
rodeada de estrelas cadentes,
e eu ofegante.

Parabéns pelo poema intenso que amei.

Que nunca te falte inspiração para me presenteares com tão belos poemas...

Bom Domingo

Agradeço a tua visita e comentário.

Caso queiras visitar
http://pensamentosimagens.blogspot.pt/
onde
a 2 dias do meu aniversário decidi agarrar em imagens minhas,
momentos que vivi recentemente para mostrar a mim mesma
e aos outros, que é assim que eu gosto de VIVER ... intensamente!

ADORO CLARICE LISPECTOR quando escreve:
Renda-se, como eu me rendi.
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
Não se preocupe em entender,
viver ultrapassa qualquer entendimento!

Beijinhos

Gisa disse...

Dancei na melodia das tuas palavras.
Um grande bj

Arione Torres disse...

Oi amigo, adorei o post!
Vim lhe desejar uma excelente semana, abraços e fique com Deus!!

Tita Oliveira disse...

r: Muito obrigada :)
Boa semana.
Beijo.


São disse...

Uma sensualidade latente que nos corta a nós também a respiração....

Bom resto de domingo, Jaime

Blog da Gigi disse...

Lindo dia!!!!!!!! Beijos

heretico disse...

vibrante poema - pleno de belas imagens poéticas entrelaçadas...

abraço

Magda Carvalho disse...

Bonito poema
http://retromaggie.blogspot.com/

graça Alves disse...

Que lindo!
Bem erótico-sensual!
beijinho

Rita disse...

Gostei!

Graça Pires disse...

Gostei deste poema sensual que redige os contornos de um poema e soletra todos os nomes da paixão...
Um beijo.

Ana Freire disse...

Que poema maravilhoso, Jaime!...
Detonando talento, num belíssimo fogo-de-artificio de sensualidade... ao qual nos transportam as suas palavras...
Adorei!!! Beijinho!
Boa semana!
Ana

Lu Nogfer disse...

Belíssimos versos, tal qual uma dança sensual.
Ler-te é sempre belo.

Beijinhos poéticos!

Lu Nogfer disse...

Querido poeta,
Acho que o meu comentário anterior não foi enviado mas continuo com o mesmo elogio. Seu poema está sensualíssimo e delicioso de ler.
Muitos aplausos pra ti!

Beijos poéticos.

Ana Tapadas disse...

Admiro o teu lirismo, meu amigo!
Belo, muito belo.

Beijo

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Excelente forma de poetizar!
Abraço

Ailime disse...

Boa tarde Jaime,
Um poema muito sensual e bonito.
Gostei desta imagem:
"enquanto vestimos o tempo
com relógios sem ponteiros."
O amor a sobrepor-se ao tempo!
Beijinhos e continuação de boa semana.
Ailime

MARILENE disse...

Intenso e belo seu poema, Jaime. Uma explosão do sentir, encantadora. Abraço.

CÉU disse...

a bruta ou a elaborada... as duas. pois, calculava k sim. e mais o mel. Não tem um pâncreas esquisito, Jaime, é o k é, portanto, use e abuse. ah.. não é mel desse. que ingénua eu sou...
um leão e uma pantera na selva dançaram uma valsa, ébrios, de vontades escancaradas, já sem tempo e com o tempo parado, consumiram-se e arderam no fogo corpóreo da paixão. e que sensação...
gosto de ler textos, que transmitam sensações e que me façam personagem. gostei muito. quero o próximo. Diferente, mas para detonar, e já agora faça-se explodir em palavras, por favor. deste lado, ficarei com muitas.

beijo e resto de boa semana.

A Casa Madeira disse...

Belas melodias sensuais;
Boa continuação de semana.
janicce.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Relendo e recordando.

Abraço
SOL

© Piedade Araújo Sol disse...


a sedução o erotismo entrelaçadas em belas palavras

muito bom o poema

beijos

:)

Pedro Luso disse...

Jaime,
O silêncio pode ser essencial nos momentos que antecedem a tempestade, para que os planos de enfrentamento não falhem. Belo poema. Parabéns.
Um abraço.

Agostinho disse...

Num rio sem margens
a volúpia transbordou.

Poesia de amantes!
na dança-delírio
das palavras-emoção
que gemem e crescem.

Mar Arável disse...

Belas metáforas nos mastros mais altos dos espelhos

Jaime Portela disse...

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Caros amigos
Obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana para todos.
Saudações poéticas.

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Ana Simões disse...

Bebi cada letra, cada palavra e no doce sabor das mesmas, esqueci as horas nesse "relógio sem ponteiros" relógio sem horas.. onde o tempo não existe e tudo se confina a um fogo ardente enlaçando duas estrelas cadentes...
LINDO !!!