Translate

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Grito



Na bondade do arco-íris,
que quase todos professamos nos olhos
em juízos vivos de seres mortais,
há vergonhas negras no céu
que nos deixam no chão
por não vermos andorinhas
na razão de desgraças tão injustas.

Por outras palavras,
todos gostamos do belo e do útil,
do viver e do crescer a sorrir…
Aceitamos o frio e o calor,
o vento que nos despenteia
e o fim que há de vir.

Porém, porque não gosto nem aceito
o silêncio cinzento, orquestrado,
acuso o olhar cego do Homem
e a proteção ausente dos Deuses
[a assobiar distraídos]
perante a fome obscena, perene,
que enche de morte a barriga caduca
das crianças dos genocídios de sempre.

E grito, porque não rezo
na procissão dos Homens calados
nem canto no coro cego dos Deuses.


Jaime Portela


54 comentários:

✿ chica disse...

Jaime, que beleza de poema e grito... Nem o mais lindo arco íris ou céu, pode nos cegar de ver tudo mais que acontece ao nosso redor nesse mundo que anda tão problemático! E gritar é preciso! Adorei! abraços, lindo dia! chica

Cidália Ferreira disse...

Fantástico poema! Amei
Parabéns..

Beijinhos e um dia feliz

Arco-Íris de Frida disse...

E grito, porque não rezo
na procissão dos Homens calados
nem canto no coro cego dos Deuses.

Nossa! Forte esse poema, com um final energico... gostei muito...

Beijos...

Os olhares da Gracinha! disse...

E um grito no silêncio...esse dói e muito!!!
Gostei da sua poesia!
Obrigada pela poesia! Bj

Karocha disse...

É isso mesmo Jaime !!!

Brilhantemente descrito.


Bfs

Bjocas

Bell disse...

Belo escrito!!!

Um ótimo dia pra você =)

Diana Fonseca disse...

Às vezes, temos de o fazer para darem por nós.

Suzete Brainer disse...

Um poema magistral, com um grito poético que nos
mobiliza nesta ação de denúncia social!...

"O silêncio cinzento, orquestrado"
Deixa o mundo mais cruel e distante deste reconhecimento
que somos uma raça humana...

Apreciei imensamente, Jaime!!!

Beijo.

luar perdido disse...

Um grito de uma alma que sabe o caminho, que não aceita os meios tons - os cinzentos - desta vida.
Que os arco-íris possam trazer, sempre, a luz: a branca luz da verdade, da realidade e, se possível, de corações abertos de homens com espírito verdadeiramente HUMANO.
Que belíssimo poema, amigo Jaime!
Bom fim de semana.
um beijo

Daniela Silva disse...

Foi para rimar, mas Deus só há um :)

Um beijinho no coração, fica com Deus!
Diamonds In The Sky, Daniela Silva

Franziska disse...

E grito, porque não rezo
na procissão dos Homens calados
nem canto no coro cego dos Deuses.

Me parece una buenísima consecuencia. Un descargo de la conciencia.
Gracias por tus generosas palabras, con gusto vengo a leer tus poemas.
Afectuosamente. Franziska

Amor disse...

Jaime,
Adorei este teu grito.
Poema excepcional!
:)

Beijihos,
A.

Marta Vinhais disse...

Que se grite....Que haja Luz e o Mundo se veja finalmente....
Brilhante como sempre..
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

lua singular disse...

Oi Jaime,
Onde acha tanta inspiração para escrever textos tão lindo que encantam quem os lê.
Estou meio ausente,pois estou encrencada com umas dores, é isso que da ficar velha.kkk
Beijos no coração
Lua Singular

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Jaime seu poema é de uma beleza encantadora e ao mesmo tempo triste,pois sabemos quantas mortes e genocídios estão acontecendo no mundo e parece que as pessoas realmente estão cegas por fazer vinganças e assim deixam os pobres inocentes a cada dia morrerem de fome,bombardeios ou balas perdidas.Que se abra esse arco íris para iluminar essas cabeças tão incapacitadas de pensarem.
Bjs amigo e obrigada pela visita.
Carmen Lúcia.

Majo Dutra disse...

Estupendo grito
Precisamos de muitos.
Dias felizes.
Bj ~~~~

Mar Arável disse...

Respeito a diferença dos que não se ajoelham

Gostei do seu texto
Abraço

Emília Pinto disse...

E ao teu " grito " junto o meu e ao nosso juntam-se tantos outros com toda a certeza; o arco-iris aparece, o céu enche-se de estrelas brilhando, o sol inunda-nos com a sua beleza, mas o homem inebria-se com os holofotes da fama, com o tilintar das moedas caindo a seus pés e, incrivel, com o som medonho dos canhões, com o choro desesperado das mães protegendo os seus filhos por entre a poeira escura de cinzas. Fome, frio, morte por esse mundo afora e por muito que façam tantos homens de boa vontade que felizmente ainda abundam, o poder das armas, do dinheiro, da ganância, da intolerância é imensamente mais forte, abafando todos os nossos gritos. Não adianta, amigo, o ser humano nunca se vai convencer de que esta vida " é um trem bala e nós simples passageiros" que não saberão se amanhã entrarão no trem. E nesta altura muito se reza em Fátima, mas gostaria de ter a esperança de que toda aquela gente voltará para casa com um coração mais humano, mais tolerante, mais solidário, mas.... não sei!!!
Amigo, continuemos a gritar, mesmo sabendo que ninguém nos ouve. ADOREI! Fizeste aqui uma ORAÇÃO que de certeza chegarå aos céus. É destas orações que eu gosto, Jaime!Beijinhos e obrigada.
Emilia

Vera Lúcia disse...


Olá Jaime,

Tenho certeza de que Deus está atento a tudo, mas, não obstante, não interfere no livre arbítrio dos homens. Há muita coisa que foge ao nosso entendimento, mas há uma razão para tudo. Cabe, sim, a todos nós, lutar e agir em prol das mudanças necessárias que possam levar à extinção ou, pelo menos, à diminuição das mazelas do mundo. Os homens não podem se acomodar ou desanimar, acreditando que nada podem fazer pelo bem da humanidade.

Excelente!

Abraço.

Célia Rangel disse...

Há um "grito orante" em seus versos que calam fundo no mais endurecido sentimento nesse mundo em que até o arco-íris, muitas vezes, aparece desbotado!
Abraço.

VITORIO NANI disse...

Assim como você, todos nos sentimos impotentes e intimidados perante as desgraças provocadas pelos homens! Então, junto meu grito ao seu e guardo na memória seus versos:"... porque não rezo
na procissão dos Homens calados
nem canto no coro cego dos Deuses".
Um forte abraço, amigo Jaime!

Pedro Coimbra disse...

Este grito chegou aos meus ouvidos.
Maravilha!
Aquele abraço, bfds

Rita Norte disse...

Adorei! A indiferença e a inércia dos outros não pode nos condicionar. O silêncio dura até ao grito de alguém e sempre que alguém grita outro alguém desperta e grita também.
Bom fim-de-semana, beijinho.

Graça Pires disse...

Um grito que chegou até mim e me fez gritar também. Fantástico, Jaime!
Um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

um poema que é um grito a ecoar nos nossos corações

uma forma muito bela de poesia a denunciar os actos cruéis deste mundo actual

bom final de semana

beijinho

:)

Lilazdavioleta disse...

Um grito que faço meu , também .

Muitíssimo bom este poema .


Um beijo , Jaime ,
Maria

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Uma bela Poesia. É um grito daqueles!
Gostei imenso.



Abraço
SOL

Manuel Veiga disse...

junto meu grito ao teu grito, se me permites.
pois também eu não enfileiro na "procissão dos homens calados"

forte abraço, caro Jaime

manuela barroso disse...

...por isso é preciso que se acendam velas para iluminar os cegos que não querem ver.
Junto o meu grito ao teu para que chegue, não aos deuses, mas ao Universo.
Belíssimo, querido amigo, Jaime.
Beijinho :)

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite querido Jaime.
Um grito justo. Deus não está indiferente aos gritos, mas a vida tem seus mistérios,injustiças e fatalidades. Ate um dia que a paz reinara. Ate la vamos semeado a paz e o amor. Um lindo fds meu amigo. Grande abraço..

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa noite, amigo Jaime,
quem sabe se juntarmos o nosso grito, seremos ouvidos por alguém,
o nosso mundo está sendo corroído de tanta dor, fome, mortes e ficamos calados, porque nem nossos gritos têm força para sair de nossas gargantas. Seu poema é um brado à sociedade,um pedido de socorro, e, até quando aguentaremos tanta pressão a nos amassar o coração?
Boa noite!

Tais Luso disse...

Grito de alerta, de angústia, de dor e de impotência... teu grito é o nosso grito!
Beijo, Jaime, um bfs. Belo poema!

alegriadeviver.blogspot.com.br disse...

Que seu grito angustiado e oportuno seja ouvido, já não suportamos mais tantas mazelas a nos sufocar.
Tenha um ótimo findi!
Abraço!

Maria Luisa Adães disse...

Agradeço o "TEU GRITO" e te acompanho nesse grito
que emana do mais fundo de teu coração

Me vou despedir por um tempo
Razões de saúde "graves" Vou deixar meu último poema
e não sei quando vou voltar, tudo depende de uma segunda operação a meu marido
e o momento é de gritos feitos de angústia e esperança.

Por aqui há gente que me segue, entre eles, "Francisca de Espanha e não vou ter tempo de lhe comunicar. Me faz esse favor, comunica a Francisca!

Vou deixar um poema, onde a "verdade está escrita nas entrelinhas e não nas linhas". E depois... espero voltar, mas nada sei de concreto quando volto!

Beijos para ti, poeta amigo,

Maria Luísa Adães

Brisa disse...

Exactamente Jaime... O teu grito está nas alturas...
Obrigada pelas tuas palavras...
Bjo e continuação de um bom fim de semana

tulipa disse...


OLÁ JAIME

começo por pedir desculpas da minha ausência

Já tinha na ideia vir visitá-lo HOJE
decidi que, tinha que dedicar uma tarde
dos últimos mês e meio,
para visitar todos os amigos
dos blogues, pois tenho estado muito ausente


E... venho ler o seu GRITO

Oh Jaime,
quantas e quantas vezes eu GRITO no silêncio...
e se dói e muito!!!

SIM é verdade,
todos gostamos do belo e do útil,
do viver e do crescer a sorrir…
Aceitamos o frio e o calor,
o vento que nos despenteia
Porém, porque não gosto nem aceito
o silêncio do próximo
cravado no acto de me ignorarem...
E grito, só... no Mundo!


PARABÉNS
Beijinho
Bom fim de semana. Tulipa

Vanessa disse...

Que poema lindo!!! um grito é necessário às vezes para nos libertarmos!!
Tenha um ótimo sábado!!

Bandys disse...

Forte e intenso.
E grito, porque não rezo
na procissão dos Homens calados
nem canto no coro cego dos Deuses.

Um poema pra se pensar.
Beijos

Pedro Luso disse...

Caro Jaime, como negar a força contida no "Grito", esse seu inspirado poema? Cumpre-me realçar a dura realidade do poema, que diz o que é necessário dizer no seu canto. Excelente poema.
Um grande abraço.
Pedro

Daniel Costa disse...

Jaime Portela
Gosto de poemas de intervenção, como este da tua autoria. Os políticos precisam de ter muita atenção aos poetas, esses a arautos do povo. o género literário, será o que mais reflete os seus anseios.
abraços

Fernanda Maria disse...

Amigo Jaime,

Um grito de revolta perante a indiferença e a fé cega que tanta vezes nos distrai.
Junto a minha à sua voz, gritemos !
Um do seus mais belos e comoventes poemas, parabéns!

Um beijinho

O Toque do coração

Edumanes disse...

Quando o grito já não ouvir,
se outro remédio não tenho eu
vindo ou não vindo ele do céu
em aceitar o fim que há de vir!

Tenha uma boa noite caro amigo Jaime, um abraço,
Eduardo.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Interessante poema!
Abraço.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Jaime Portela, o teu grito
Pungente a clamar justiça
É vão, pela lei remissa,
A reboar no infinito

Onde talvez, Anjo aflito
Escute e lembre a premissa
Do amor de Cristo. Na missa
Quem sabe, o Padre contrito

Exponha em voz de sermão
O teu grito e a gratidão
Em teres gritado assim,

Mas por dogma Cristão.
E a voz do Padre é em vão
Como o teu gritar sem fim.

Belíssimo pema o teu, Jaime! Parabéns!

Mariazita disse...

Em todos os motivos que apontas há sobejas razões para gritar.
Mas gritar bem alto, até que se acordem os deuses, já que, do homem, não parece haver nada a esperar...
Gostei do teu "grito", meu caro Jaime, e desejo que com ele consigas, pelo menos, sensibilizar quem pode contribuir para encher as barrigas das crianças...

Votos de uma semana muito feliz.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Andreia Morais disse...

Quanta beleza neste poema!

r: Sem dúvida.
Uma ótima semana*

Arte & Emoções disse...

Por que calar se podemos gritar? Belo e profundo o teu poema Jaime.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Odete Ferreira disse...

É um grito mas vai para lá dele. É uma insurgência contra o Homem cego e um "céu" tão belo quanto indiferente.
Um poema excelente na sua construção para a mensagem pretendida, constituindo o terceto final uma verdadeira chave de ouro.
Muito bom, Jaime!
Bjinho :)

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, o silencio cinzento é incomodativo mas não impeditivo de conquistar o arco íris mais uma vez, lindo poema.
AG

Teresa Almeida disse...

Tacadas certeiras em brilhante poema. Comungo este incómodo e grito contigo.

Beijo, Jaime.

graça Alves disse...

Lindo, Jaime!
Gosto das suas variantes temáticas.
beijinho

Fá menor disse...

Um grito!

Nas mãos do Homem a liberdade, a escolha, a solução. Mas quê? Enquanto a escolha for outra - a corrupção - bem que se pode gritar!

Bjs

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************

Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana para todos.
Saudações poéticas.

*******************************************************************************

Ana Freire disse...

Um grito profundo... para acordar consciências...
Este mundo anda de facto muito adormecido, entorpecido... com demasiados seres, que já desistiram dos outros... antes de se prepararem para desistir de si mesmos... e deixar actuar a aceitação, em vez da intervenção...
O que deveria ser questionado... é simplesmente aceite como banalidade... guerra, fome, sofrimento... parece que meio mundo já aceita, que tal deve fazer parte da normalidade...
Mais um trabalho excepcional... e que também nos faz reflectir...
Beijinho
Ana