Translater

quinta-feira, 22 de julho de 2021

Quando o sol estende lá fora [341]

 


Quando o Sol estende lá fora

o seu véu incendiado,

cuspimos nas mãos para cavar no deserto

e sentirmos o que acontece

na sombra de nós.

Quando a neve cai muda

na língua da fuga ao discurso

da inutilidade das palavras,

enterramos o peso das feridas na areia

para ficarmos mais leves.

Só assim

conseguimos abordar de novo as pontes

sem pensarmos nas origens da razão

ou no luar que nos brinda

com a energia do cosmos.



53 comentários:

Clara disse...


Jaime, e isso tudo é viver!

Beijinhos (hoje) sem sombra
(^^)

Maria Lucia (Centelha) disse...

Poema fantástico em que ao usar o "nós", o poeta intuitivamente sabe que de uma forma geral sob o sol todos sentimos o que acontece na sombra de nós mesmos. E com razao versaste sobre o brinde que os Cosmos nos oferece!!
Sapiência e talento Jaime Portela são apenas para os poetas sensíveis como tu. Parabéns!!
Beijinhos carinhosos!!

Marta Vinhais disse...

Ás vezes, temos que recomeçar... partir do zero e reconstruir...
Interessante como sempre...
Beijos e abraços
Marta

Cidália Ferreira disse...

Muito bom. Obrigada pela partilha! :))
--
No despertar da melancolia...
-
Beijo. Votos de um dia feliz.

Os olhares da Gracinha! disse...

Só assim... se consegue!!! 👏👏👏

Simple Girl disse...

Lindas palavras, ás vezes é mesmo preciso recomeçar!

José Carlos Sant Anna disse...

E ficamos mais leves a cada poema aqui postado, é sempre uma página de vida!
Um abraço, caro Jaime!

ValeriaC disse...

Lindo, lindo, lindo!!!
Aprecio por demais sua forma tão rica, de poetizar, Jaime!
Um abraço,
Valéria

- R y k @ r d o - disse...

Só caminhando sem pensar nas cruzamentos e entroncamentos da vida, se conseguirá caminhar em "linha reta". Poema muito bonito
.
Poéticos cumprimentos
Cuide-se

Fá menor disse...

Profundo!

Que a vida não nos pese muito e que nunca caiam as pontes.

Beijinhos, amigo Jaime.

Ana Freire disse...

Um belíssimo poema, e bem de acordo, com os novos tempos de agora, pelas leis do deserto. No momento, quanto mais nos mexemos... mais nos enterramos... literalmente!
Beijinhos, Jaime! Desejando-lhe um feliz fim de semana...
Ana

Artes Ideias e Dicas disse...

Bonito poema gostei de ler. Andréia Costa não é pseudonio de Alice ,ela é uma
poeta Brasileira. Cumprimentos.

A Paixão da Isa disse...

aqui esta semana tem tido sol mais um lindo poema obrigada pelo seu comentario no meu cantinho eu mosterei ao artista ele agradece bjs saude

Rainbow Evening disse...

we did many things without reasons...

# Great words of poem

Porventura escrevo disse...

Bravo jaime.
Magia pura

J.P. Alexander disse...

Hay que acercarnos y tratar de hacer un mundo mejor. Lindo poema Te mando un beso

Pedro Coimbra disse...

Precisamos urgentemente de atravessar essa novas pontes.
Abraço, bfds

Maria Dolores Garrido disse...

Outro belo poema, Jaime.
Gostei da ideia do cavar e enterrar, que pode ser encontro e despedida e muito mais, é claro, porque a cada um a sua leitura.
Assim sendo, juntei o primeiro e o último versos e logo apareceu mais um belo sentido.
Abraço e bom fim de semana.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Excelente poema, gostei.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Dalva Rodrigues disse...

Instigante poema que faz refletir muito. Por que será que quase sempre é tão difícil o melhor e mais doloroso caminho? Porque temos que cavar sob o sol escaldante para construir pontes?
Abração, meu amigo e bom fim de semana!

São disse...

Muitissimo bom poema, sem dúvida!

Não faço análise literárias , porque não tenho conhecimentos técnicos e por isso me limita dizer o que sinto.

meu amigo, grande abraço e feliz fim de semana

Beatriz Pin disse...

Gostei muito do seu poema existencial e profundo.
Meu livro Lerias de Bea ja está disponible em Amazon.
Bo finde.
Abraço

Graça Pires disse...

Enterrar o peso das feridas para parecermos mais leves. Que ideia tão poética.
Muita saúde meu Amigo Jaime.
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Elvira Carvalho disse...

Um belíssimo poema.
Abraço, saúde e bom fim de semana

Kalinka disse...


OLÁ JAIME

PARABÉNS por mais um belo poema
sempre inspirado!

Quando o Sol se estende lá fora
eu fico sossegadinha dentro de casa, à fresca,
não me meto debaixo dos raios solares...

HOJE vim deixar um artigo novo neste blog:
http://orientevsocidente.blogspot.com/

fiz uma pausa de quase 4 meses
hoje voltei
para contar como terminou o dia em que aluguei
um táxi para conhecer a ILHA

Bom fim de semana,
estimando que se encontre bem, assim como todos os seus
Kalinka/Tulipa

Lucia disse...

Olá Jaime
Bonito poema...
Profundo!
Beijos e feliz domingo.
Boa Noite!

Marli Soares Borges disse...

Boa noite, Jaime!
Gostei muito do poema. A leveza e o sentir fazem a vida acontecer. Uma poética inspiradíssima.
Bjs
Marli

Rainbow Evening disse...

have a wonderful weekend

Anónimo disse...

wmakasih atas artikelnya,


visit our website href="https://ittelkom-jkt.ac.id/"

Amélia disse...

Obrigado Jaime por partilhar o belíssimo poema que gostei muito de ler.
Continuação de bom Domingo
Bj

Janita disse...

Que venham até nós, as pontes que unem margens e gentes, Poeta e amigo Jaime. Sejam elas nascidas na neve, no gelo ou na brandura da Primavera.
Belo poema. Gostei muito.

Um abraço e tudo de bom, com Saúde.

AMALIA disse...

Un poema excelente.
Muy bueno.
Un abrazo.

Emília Pinto disse...

Se não é a " contraluz " será uma qualquer outra coisa, mas, o que é certo, é que arranjamos sempre um motivo que justifique a nossa falta de sensibilidade, de companheirismo, de interesse pelo outro ou pelo que se passa à nossa votal; não vemos ou não sentimos o amor do nosso amado/a, ignoramos os beijos e outras manifestações de afectos, enfim....complicamos aquilo que seria simples se aprendessemos a enxergar, escutar, respeitar. É bom quando o sol aparece, Jaime....não sei que milagre faz ele, mas, pelo menos pela parte que me toca, os dias parecem ter outro sentido; não é que eu vá para o quintal e comece a cavar, mas que me dá uma vontade enorme de mexer na terra, isso dá sim! A vida tem sido muito abençoada e não tenho grandes desgostos para enterrar, mas, quando o sol inunda a minha varanda e eu vou cuidar dos meus vasinhos, aproveito e lá deixo os pequenos dissabores que tenho tido, misturados à terra nova que lhes acrescento, pedindo que a vida continue a abençoar-me, principalmente, com SAÚDE para os meus mais queridos. Isso basta-me, Jaime! Creio que a ti também e por isso é o que te desejo, deixando-te um beijinho e os votos de uma semana, com sol,e amor!
Emilia 🌻 🌞

eli mendez disse...

La vida tiene sentido cuando nuestro proposito es disponernos cada dia a comenzar de nuevo, sin bajar nunca los brazos, cuando somos capaces de perdonar y entender que el error es humano, y de construir esos puentes que mencionas en tus versos para acercarnos desde el amor a nuestros semejantes. Un poema muy interesante Jaime..para quedarnos pensando...Te dejo un fuerte abrazo y buena semana para ti.

Sandra Figueroa disse...

Aveces es necesario empezar de nuevo. Bello leerte amigo. Saludos.

Olinda Melo disse...


Esvaziar um pouco do que nos pesa e olhar com outros olhos
o que nos cerca e, acima de tudo, o que vai dentro de nós,
talvez seja afinal uma excelente forma de recomeçar.

Belo Poema, caro Jaime. Gostei muito.

Abraço
Olinda

manuela barroso disse...

Tão eloquente o teu poema, Jaime!
Que fluam os dias ,que caiam as sombras traquilas que nos afague a quietude da razão, sempre tão insistentemente questionadora
Beijinho para ti!,

Ygraine disse...

Oh how beautiful, deeply moving and profound!
It is only in burying our past hurts...that we can move out into the sun...with new hope in our hearts!!
Absolutely breathtaking, dear Jaime!😊😊

Have a super day!

Kisses xxx

Maria Rodrigues disse...

Que hajam sempre pontes que nos permitam ultrapassar, os obstáculos que a vida, nos colocando pela frente.
Belíssimo poema
Beijinhos

Isamar disse...

Querido Amigo Jaime, admiro muito o seu enorme talento. Os seus poemas são sempre tão inteligentemente bem escritos, parabéns!
Desejo-lhe uma semana muito feliz.
Beijinhos

Teresa Isabel Silva disse...

Belas palavras!
Aproveito para desejar uma boa semana!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

saudade disse...

Vim deliciar-me com as tuas palavras. Beijinhos, boa semana

Rajani Rehana disse...

Fabulous blog

Ailime disse...

Boa tarde Jaime,
Magnífico poema!
Gostei imenso.
Que cada vez existam mais pontes.
Beijinhos e continuação de boa semana.
Ailime

yonosoymillenium disse...

el sol siempre da energia, bonito relato

SARA disse...

Bonito poema eu amei de 💙💚🧡um grande👄

Fê blue bird disse...

Um desafio diário, que temos que fazer, para sobreviver.
Enterrar as feridas, as dores e as interrogações, e atravessar a ponte, que nos permite alcançar a beleza e a pureza do Cosmos.
Puro fascínio a sua poesia.

Amigo Jaime, vou fazer uma pausa, tentar atravessar essa ponte.

Um beijinho e até breve !

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

uma maneira sui-generis de enterrar o peso das feridas na areia, uma forma poética de querer sarar, por vezes o que não tem cura.
um poema rico e muito poético.
continuação de uma boa semana cheia de paz e muita saúde.
beijinhos
:)

Mariazita disse...

Fizeste-me lembrar o velho ditado:
"Viver não custa, o que custa é saber viver".
É essa a mensagem, meu querido Jaime. Temos de nos adaptar às circunstâncias do momento que vivemos.
Muito bom. Gostei!

Continuação de boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Rosemildo Sales Furtado disse...

Belo e profundo o teu poema Jaime. Parabéns!

Abraços,

Furtado

Kinga K. disse...

Lleno de emociones ❤

Ana Simões disse...

E assim se vive...
Maravilhoso
Beijo amigo

Graça Alves disse...

Lindo, sempre!
beijinho