Translate

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Não quero miradouros




Não quero miradouros
para vertentes de passados
nem quimeras opacas
de horizontes sitiados.
Prefiro mãos-cheias de acenos,
de rumos
com impulsos urgentes.
Não me entregarei em feitiços
adornados com verbos perecidos
ou mascarados de risos contentes.
Quero alento
inundado de futuro,
incerto mas verdadeiro,
ávido de ímpetos de vento,
com fantasias de mar
e asas de liberdade.
Quero respirar o meu sopro
em gritos com fôlego,
pleno da ousadia inaugural
e do recomeço permanente
mas nunca igual.



53 comentários:

Jaime Portela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PAULO TAMBURRO. disse...


JAIME,

além de gostar do seu poema e talvez por isso mesmo, fiquei a conversar aqui com meus botões sobre esta tal da liberdade.
Liberdade que se não for consciente e puder dar a todos nós, um mundo novo para criar e recriar, seria como estar trocando seis por meia duzia.
Nesta liberdade eu abomino com rigor Cartesiano a mesmice existencial que, faz com que os dias e as noites tenham sempre dois e luas iguais.
E pelo contrario, torço por sois e luas, cada vez mais diferentes.
Pelo menos para meus olhos de uma liberdade consciente.
Um abração carioca.

Lucia Silva disse...

Gostar é pouco! Diante de uma escrita majestosa dessa, só resta dizer: AMEI!
Beijos carinhosos!

Portugalredecouvertes disse...


Olá Jaime,
gostei muito sim desse anseio por novos mundos :)
mas o "milagre" das palavras é tão abrangente, que deixo aqui a minha participação
com ligações ao passado !


https://poesiesenportugais.blogspot.com/

abraço
Angela

Hetero Doméstico disse...

Quero força, para ver de perto... :-)
Abraço

Roselia Bezerra disse...

Boa tarde, Jaime!
Eu também prefiro mãos cheias de aceno. Afeto ordenado faz a todos felizes.
Tenha dias felizes e abençoados!
Abraços fraternos de paz e bem

Célia Rangel disse...

Um poema intrínseco que nos leva a refletir sobre a medida exata da liberdade que tivemos, que temos e o que faremos futuramente(?) Vamos inseri-la em nossas atitudes, ou iremos desvalorizá-la sem observância a norte algum em nossas ações. Fica o questionamento.
Excelente momento poético com nuances sociais.
Abraço.

Elvira Carvalho disse...

Eu gostei. Mais do que isso senti-me identificada com ele.
Abraço

Cidália Ferreira disse...

Excelente!! Amei o poema! :)

Beijos-Boa noite!

Andreia Morais disse...

Que seja um caminho intenso, de impulsos que compensam :)
Adorei o poema!

r: Sim, sem dúvida, há mesmo

Resto de boa semana*

Josélia Micael disse...

Gostei imenso!
Como sempre, maravilhas de poesias,
que o amigo escreve!
Obrigada pela partilha.
Beijo de Paz!

Tais Luso disse...

Quero respirar o meu sopro
em gritos com fôlego,
pleno da ousadia inaugural
e do recomeço permanente
mas nunca igual.


Que força tem esse seu poema, Jaime!
Gostei imensamente, de uma beleza meio rebelde. É preciso.
Um beijo e um fim de semana feliz!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei bastante deste belo poema meu amigo.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Larissa Santos disse...

Poema fantástico, maravilhoso...Adorei :))

Acordo, recordo-te em meu coração.

Bjos
Votos de uma óptima Sexta - Feira

Érika Oliveira disse...

Que poema incrível. Gostei muito.

Marta Vinhais disse...

É isso.... respirar e sentir o ar percorrer o corpo, a mente...
Brilhante....
Obrigada pela visita
Beijos abraços
Marta

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Um querer absoluto!
Palavras sempre lindas em seus poemas amigo Jaime!
Bjs,obrigada pela visita e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Amigo, teus versos são
Sempre a estrutura do belo,
Divinais, sem paralelo
Na blogosfera em razão

Da sua estruturação
De arcabouço singelo
Ritmado qual martelo
Que não bate o prego em vão

E a mensagem é poesia
Que alimenta a alma vazia
De sonhos, à consciência

Do belo que alivia
O peso da vivência fria
Dando amor por consequência.

Parabéns amigo pelo belo poema! Gostei muito! És um mestre Jaime! Creio que continuarei no blog mas há exigências de indiretas de outras atividades que me tolherão um pouquinho no início, porém depois de engrenar voltará tudo ao normal, creio, amigo! Minha gratidão e grande abraço. Laerte.


Graça Pires disse...

"Mãos-cheias de acenos", "alento inundado de futuro"... Magnífico o teu querer neste belíssimo poema…
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Bandys disse...

Ola Jaime,
Eu amei!!
"Quero alento
inundado de futuro,
incerto mas verdadeiro,
ávido de ímpetos de vento,
com fantasias de mar
e asas de liberdade."

Achei gentil e doce.
Parabéns.
Tenha um otimo final de semana
Beijos

Fernandes Diná disse...

Que bonito versejar Jaime! A liberdade almejada e cantada em lindos versos.
Destaco...
"Quero alento
inundado de futuro,
incerto mas verdadeiro,
ávido de ímpetos de vento,
com fantasias de mar
e asas de liberdade."

Votos de um feliz findi!
Abraço

Ana Freire disse...

Uma inspiração fantástica... com uma bela mensagem de positivismo, força e de esperança... é imperioso ter aquela vontade primordial, de recomeçar sempre, a cada novo dia...
Adorei cada palavra, Jaime!
Beijinho! Bom fim de semana!
Ana

Suzete Brainer disse...

Poema muito belo, que louva a autenticidade e liberdade
de escolhas. Também aprecio a originalidade e a singularidade
na vida e na poesia, causa-me repulsa o processo
medíocre da cópia.
Mais uma obra poética excelente sua, amigo Jaime.

Ótimo final de semana!
Beijo.

Pedrasnuas disse...

Belíssimo! Haja esperança e os milagres não acontecem do nada ! Os recomeços nunca são iguais ! como um dia não é igual a outro...

Bom fim de semana, Amigo JP.

Beijo

Pedro Luso disse...

Amigo Jaime, esse é mais um de seus belos poemas, um poema inspirado que se presta à reflexão. Gostei imensamente. Parabéns.
Um excelente final de semana.
Um grande abraço,
Pedro

Ana Tapadas disse...

Belo, maduro e reflexivo.
Gostei muito.

Beijinho

Mar Arável disse...

Há milagres que são fáceis de explicar

Toninho disse...

Recomeçar sempre com novos rumos e sonhos, reconstruir a caminhada em terrenos fértil. Belíssimo trabalho Jaime.
Bom fim de semana amigo com paz e alegria.
Abraços de paz.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Jaime. Esse poema falou ao meu coração de forma particular.
Também quero me libertar de passados ou presente de pouca felicidade, me aventurar no tempo que não conheço, mas parece que criei raizes fortes, me impeço ao movimento.
Parabéns.
Tudo de bom.
Beijos na alma.

tulipa disse...


Olá Jaime

Mais uma subida às nuvens, só que desta vez ... acompanhada pela minha neta, para o seu "Baptismo" de vôo a caminho de LONDRES...

Feliz porque há muito esperava que este dia chegasse
e finalmente chegou;

O facto dela demonstrar "vontade" de andar de avião pela 1ª vez e comigo!
Disse-lhe: OK
Escolhe o destino e ela escolheu Londres!

Vou agora fazendo uma resenha dos nossos 5 dias por lá
nos meus blogues
Para já, se quiser ver, aqui:
http://momentos-perfeitos.blogspot.com/

e, também aqui:
http://pensamentosimagens.blogspot.com/

Sobre o seu post:
Por acaso gosto de miradouros
para ter uma vista mais abrangente
do que nos rodeia
O problema muitas vezes
é chegar lá acima
e, se for a pé...
pior, muito pior

Também gosto
de mãos-cheias de acenos,
de rumos!
OH...asas de liberdade.
SIM, SEMPRE

Bom fim de semana, bjs da Tulipa

Teresa Almeida disse...

Teu miradouro é sempre "pleno da ousadia inaugural"

E, na surpresa, meu aceno poético.
Abraço amigo.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Jaime
poema encharcado de versos para nossa reflexão,
que tenhamos a visão de futuros maravilhosos, mas que não nos relembre o que passou.
Que a liberdade de escolhas esteja sempre disponível, que os dias e noites sejam realmente diferentes em relação ao que já passou, que possamos viver cada dia como se fossem milagres da vida. Bom final de semana!

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

O meu aceno gostoso
Ao teu Poema sentido.
Tem Amor quem sente gozo
Por não ter nada perdido.


Abraço
SOL

Franziska disse...

Es un poema asertivo, creador y que se desenvuelve en ritmo y tiempo hasta el final cuya estrofa última

Quero respirar o meu sopro
em gritos com fôlego,
pleno da ousadia inaugural
e do recomeço permanente
mas nunca igual.


lo completa de un modo esencial. Saludos cordiales. Franziska

teresa dias disse...

Lindo, lindo, lindo!!!
Mil "mãos-cheias" de acenos para o poeta.
Beijo e bom domingo.

Vera Lúcia Verinha disse...

Aos amigos da Leninha: quando tiverem oportunidade, por favor, façam uma visita ao seu blog (helena.blogs.sapo.pt), pois lá deixei uma postagem que diz respeito a todos os seus amigos blogueiros.
Atenciosamente,
Vera Lúcia

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Jaime.
Que poema belíssimo. Eterno recomeço. Feliz semana. Abraços

SOLIDARIEDADE disse...

Simples e genial. Bela conjugação de desejos.
Abraços.

Majo Dutra disse...

Que maravilha, Jaime!
A liberdade é um bem precioso.
Quando crescer vou escrever assim.
Eu meti-me numa colete de silabas e rimas... que coisa!
Abraço, Amigo.
~~~

Smareis disse...

Um poema lindo e sentido. Gostei imenso Jaime.
Ótima semana!
Abraço grande!
Escrevinhados da vida

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Muito bonito meu amigo, sempre a nos deixar encantados com a sua sensibilidade!
Um abraço.

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

luar perdido disse...

Amigo Jaime, um poema de esperança e animo. Não às latentes esperas em miradouros moribundos, olhando o passado. Mas sim rasgos de futuro, com urgências e fôlegos impetuosos que transportam vontades e vida.
Uma verdadeira "ousadia inaugural e de recomeço permanente, mas nunca igual."
Belíssimo, querido amigo.
Beijo de luar, excelente semana

Mariazita disse...

Devido às minhas limitações de visão... limitar-e-ei a dizer o essencial.
Gostei muito deste poema!

Votos de uma boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Arte & Emoções disse...

O concreto alimenta e dá robustez, enquanto que o abstrato somente ilude, faz de conta. Belo e profundo poema amigo Jaime. Parabéns!

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Emília Pinto disse...

" Os miradouros " são uma maravilha quando a eles subimos para, encantados, observamos a bela paisagem que se nos apresenta à nossa frente, seja o mar revolto, seja o vale com riachos de água límpida serpenteando por entre o verde exuberante ; agora, se lá em cima virarmos as costas e ficarmos presos ao lugar por onde subimos, perdemos tempo olhando o mesmo , sem qualquer brilho nos olhos ou sorriso nos lábios, totalmente desencantados; ficamos na " mesmice " de sempre, revendo coisas já passadas, vividas mais ou menos bem e sem sequer termos a oportunidade de emendarmos seja o que for, correndo ainda o risco, de, com a distracção, cairmos abismo abaixo. Não, Jaime, o melhor é aproveitarmos a bela paisagem, dar um " aceno " ao percurso feito e olhar em frente, pois " para a frente é que é o caminho" por mais incerto que ele seja. Também eu quero " alento ", quero afectos, quero serenidade de espirito e também quero " mimos " de amigos, como aquele que me deste lá no meu começar de novo;. Isso tudo é o que mais quero ver e sentir deste miradouro onde me encontro aqui e agora; mesmo sendo o mesmo, tenho a certeza que a cada dia ele me proporcionará uma bela e diferente paisagem. Que a vida nos dê bastante tempo para podermos saborear cada novo começo que tivermos pela frente. O que passou, morreu! Obrigada, Jaime e boa noite. Beijinho
Emilia

Pedro Coimbra disse...

Hoje é só para dizer que já estou de volta.
Amanhã já haverá comentários.

Arthur Claro disse...

Muito bom este post.

Arthur Claro
http://www.arthur-claro.blogspot.com

Daniela disse...

Parabéns Poeta!
=)
Olhares e Deslumbres

Bjinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

JP
poema sensivel e cheio de sentires.
liberdade para querer e viver
muito belo
beijinhos
:)

Parapeito disse...

Adorei a força deste poema.
Belo este miradouro
Brisas doces*

BETONICOU disse...

Lindíssima inspiração Jaime! Devo dizer que li num só folego, e depois reli pausadamente, pois o belo poema pediu. Um grande abraço. Boa noite.

Fá menor disse...

Gostei muito!
Também gosto de "mãos-cheias de acenos, de rumos"...

E há que recomeçar sempre, reinventando-se a cada momento.

Beijinhos.

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************
Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana.
Saudações poéticas.
*******************************************************************************