Translate

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Versos na areia




A noite
é uma lua diurna sem chama.
O meu rio
é um mar de estrelas sem praia.
O silêncio
é um remanso sem rua de palavras.
A nova que se renova,
mas não mostra a outra face.
No chão,
vejo-a nua na distância
do seu véu de luz usual.
A noite ofega
e a lua nega-se cheia, sem ânsia.
O mar, com tanto isco,
mareia sem moliços no papel.
As estrelas, já orvalhadas,
dançam na rua feia sem nada.
Corro o risco, mas arrisco,
risco estes versos na areia.



45 comentários:

Marta Vinhais disse...

Apesar de tudo... encontra-se alguma coisa que brota da alma....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Hetero Doméstico disse...

O mar é mais misterioso de noite, contudo sempre mais perigoso...
Um abraço

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Jaime!
E você riscou muito bem seus versos como sempre!
Adorei.
Bjs e obrigada pela visita.
Carmen Lúcia.

Cidália Ferreira disse...

Parabéns pelo soberbo poema!

No silêncio do meu olhar...

Beijos

Larissa Santos disse...

Gostei muito da sua inspiração. Parabéns :))

Bjos
Votos de uma óptima Noite

Bandys disse...

Nada como a alma de uma poeta para dar vida, emoção e delírio a esses vocábulos que leva quem lê alem dos sentidos. Letras que vem revestidas no frensesi da paixão melancólica. o paladar nem imagina e só o amor tem. Nada define muito menos o que seja o desejo e a espera de saborea-lo.È preciso provar pra saber.
Boa noite Jaime
bjs

Andreia Morais disse...

Que poema maravilhoso *-*

r: Concordo!
Obrigada e igualmente*

Franziska disse...

Encuentro llenos de significado estos primeros versos

O meu rio
é um mar de estrelas sem praia.
O silêncio
é um remanso sem rua de palavras.

perfectamente encajados en el poema. Saaludos cordiales.

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, Jaime!
Estrelas orvalhada no céu do Amor.
Tenha dias felizes e abençoados!
Abraços fraternais de paz e bem

luar perdido disse...

Escrever na areia é efémero, meu amigo, mas com tanto significado. Que as palavras fiquem escritas onde a maré não chega, onde as ondas não suspirem a sua espuma, para que a lua, cheia, nova ou minguante, possa lê-las enamorada e, lá do alto, lance os seus feitiços sobre os corações amantes cá na terra.
Doce poema, querido amigo Jaime.
Beijo de luar

BETONICOU disse...

Oi Jaime! Escrever na areia pode ser de significado grandioso, apesar de ser depois desarranjada pelo vento. Porem, O significado irá perpetuar-se na intenção do poeta. Como sempre, lindo demais e rico demais. Grande abraço. Obrigado pela constante visita!

A Nossa Travessa disse...

INFORMAÇÃO
Tal como tinha anunciado acabo de publicar mais um episódio, o oitavo, da saga É DIFÍCIL VIVER COM UM IRMÃO MONGOLÓIDE que desta feita tem como título... "Empernanço de pestana"... Com este texto a acção entra de raspão na guerra colonial e ainda na ida do primeiro homem à Lua. Uma vez mais alerto para imagem que pode impressionar as/os mais sensíveis.


Volto depois para comentar.


Pedro Coimbra disse...

Versos com cheiro a Verão e a férias.
Aquele abraço, bfds

Os olhares da Gracinha! disse...

O silêncio
é um remanso sem rua de palavras...
e a poesia
é um bálsamo para a alma!!!
bj e gostei de ler

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Excelente e belo poema amigo Jaime, gostei.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Emília Pinto disse...

Podes crer, amigo, que tento escrever versos, sejam eles na areia, nas margens de um rio, nas terras fofas de um campo acabado de ser lavrado e até mesmo aqui no meu jardinzinho; todos sabemos que a vida exige de nós que escrevamos no seu livro alguma coisa em cada dia que ela nos concede, mas não espera que a inspiração nos chegue; segue o seu ritmo natural , o sol nascendo a cada manhã , a noite chegando e mostrando a lua em cada uma das sua fases, não deixando de aparecer também as estrelas para encanto nosso; e as estações lá vão aparecendo, obedientes, na hora certa, sem se preocuparem com os passos que cada um de nós dá na " rua " por onde caminha, muitas vezes " feia " mas tantas outras, cheia de encantos. " Insisto e arrisco " , Jaime, mas, não sou poeta e versos...bem...não sai nenhum; no entanto, te garanto, tento que, em cada página do livro da minha vida fique uma marca, que nele fique uma palavra, um desenho, ou simplesmente um rabisco; insisto e arrisco a dizer " em branco a página não pode ficar! Deveria ser pura poesia, a vida, mas, infelizmente, nāo e! No entanto... tentemos, insistamos, arrisquemos! Quem sabe, um dia, não nos cai para a página um lindo verso?
belo, com sempre, Jaime ! Que consigas sempre preencher os teus dias com lindos versos. Um bom fim de semana. Um beijinho
Emilia

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Extraordinário! Uma maravilha! Muitos parabéns por tamanha sensibilidade estimado amigo.
Abraço

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

Graça Pires disse...

Versos na areia. Versos que as marés apagam. Versos que só ficam na alma…
Muito bom, Jaime!
Um bom fim de semana.
Um beijo.

PAULO TAMBURRO. disse...


JAIME,

o melhor de passar por aqui é isso.
Isso o quê?
Exatamente isso de poder ver a cada nova postagem sua uma superação da anterior e por aí vai!
Confesso que tenho em relação a vocês poetas - tenho dito e declaradamente a todos - que cai sobre mim uma nesga de inveja.
Não que queira cultivar isso, mas o saber que nunca fui capaz de rimar "banana" com "sacana", durante muito tempo me assustou.
Hoje vejo que ser poeta é para quem pode , não para quem quer.
Nunca pude!
Um abração carioca.

Célia Rangel disse...

Versos na areia divagam feito ondas... ainda que de estrelas! Poema contagiante!
Abraço.

SOLIDARIEDADE disse...

Versos maravilhosos, é claro, mas acima de tudo, escritos com sofisticação. Show.
Abraços.

Fernandes Diná disse...

E riscou com maestria, penso que nem as ondas conseguirão apagar.
Boa noite amigo Jaime!
DEsejo um feliz final semana!

Abraço!

Josélia Micael disse...

Linda, maravilhosa poesia!
O amigo é poeta a valer, parabéns!
Adorei lê-lo como sempre. Obrigado pela partilha!
Beijo fraterno. Tenha um feliz fim de semana!

Mariazita disse...

Não mostra a outra face... mas ela está lá, oculta!
Essa menina mentirosa, que tantos poetas tem inspirado, continua renovando-se a cada fase, indiferente ao que dela se diga.
Não vou correr o risco de o escrever na areia; prefiro aqui, onde o mar não pode apagar as letras:
Belíssimo poema, amigo Jaime.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


Arco-Íris de Frida disse...

As estrelas, já orvalhadas,
dançam na rua feia sem nada.
Corro o risco, mas arrisco,
risco estes versos na areia.

Achei lindo...

Beijos

Pedro Luso disse...

Gostei muito, amigo Jaime, desse teu poema. O poeta inspira-se na areia da praia, no mar, na lua e tece esse belo poema. Parabéns!
Um bom domingo.
Um grande abraço
Pedro

Ana Freire disse...

Versos que o mar lerá... levando-os com ele... talvez, porque eles, também sejam força, e inspiração... que o mar não cessa de devolver...
Mais um poema revelador, do seu talento poético e imensa sensibilidade, Jaime!...
Adorei cada palavra! Beijinho! Feliz fim de semana!
Ana

teresa dias disse...

Belo poema, Jaime!
Que nunca falte imaginação ao poeta que arrisca e risca lindos versos na areia.
(Na areia só escrevo o meu nome. Nome que logo uma onda expedita apaga. Não dá para mais a minha veia poética...)
Beijo e bom fim de semana, meu amigo.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

A excelência do Poema resulta da magnífica inspiração do Poeta.


Abraço
SOL

Daniel Costa disse...

Jaime Portela
Quando leio algo da tua poesia, o leitor é um verdadeiro fã e pronto.
Abraço

Luísa Fernandes disse...

https://poemasdaminhalma.blogspot.com/
Olá, amigo Jaime Portela!
Belíssimo poema," Versar na Areia". Rabiscando e versando e a poesia saltitando... basta apenas começar para o verso soletrar.
Amei, amigo Jaime!
Beijinho e um bom início de semana.
Luisa

Lucia Silva disse...

Uma poesia que vem de uma alma poética em toda sua essência, amei!
Beijos e uma abençoada semana!

Maria Rodrigues disse...

Magnifico poema.
Boa semana
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Toninho disse...

Belos versos que até as ondas vieram namora-los e vigiadas pelo vento que os protegia.
Belo trabalho amigo.
Abraços

A Nossa Travessa disse...

Meu caro Jaimamigo

Prometi - cá estou a cumprir.

Já te disse e mais de uma vez que és um Poeta com caixa alta como se diz em tipografia. Do nada ou de qualquer coisa poetizas. Invejo-te. Sou capaz de alinhavar umas miseráveis rimas mas tal não é poesia nem com caixa baixa - é atrevimento. E fico-me a pensar que não devir para além duma chinela quiçá mesmo duma havaiana de borracha sintética.

Cada um é para o que nasce diz o fado e embora não seja determinista fico-me pela prosa que sou capaz de rabiscar. Porém tu corres o risco, mas arriscas, riscas esses versos na areia que os recebe como ventre fecundado. É belo.

Um abração deste teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão

saudade disse...

Na areia como no papel, teus versos são maravilhosos.
Beijo de....
Saudade

Gracita disse...

Na areia ou no papel os teus versos encantam e fascinam, Jaime
Um abraço e uma feliz semana

Arte & Emoções disse...

Corro o risco, mas arrisco,
risco estes versos na areia.
Crente na magia do marisco,
brindar-me com bela sereia.

Lindo poema amigo Jaime. Parabéns!

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Fá menor disse...

Toda a vida é feita de riscos, rabiscos e outros iscos...
e por vezes versos, outras vezes silêncios apenas.
Arrisquemo-nos a semear um pouco de luz e talvez colhamos algumas gotas de orvalho luminosas.

Beijinhos, amigo Jaime.

Pedrasnuas disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Pedrasnuas disse...

Parabéns por esta deliciosa construção poética ! E o remate; risco, arrisco , risco! Fabuloso!

Arrisco um beijo amigo e não risco nada do que disse!

Boa semana, querido amigo, JP

Teresa Almeida disse...

Leio-te mesmo na areia. Já tinha saudades. Corro, no entanto, o risco de deixar que o mar leve a imensidão do meu apreço, mas não resisto.
Beijo meu.

Donetzka Cercck L. Alvarez disse...

Que lindo seu poema,querido amigo Jaime.Saudades de ler suas pérolas.

Adorei!

Estou com problemas para acessar os blogs pelo celular e com pouquíssimo tempo para a Net.

Postando pouco,sempre que dá.

Obrigada pela visita e,assim que meu marido se recuperar das 3 cirurgias feitas em fevereiro e março de 2018,tudo voltará ao normal,se Deus quiser.

Beijos sabor carinho e uma semana com muitas bênçãos!

Obs: Desculpe a mensagem copiada,mas é o que consigo agora para agradecer quem me visita e comenta.

Donetzka

Blog Magia de Donetzka

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************
Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana.
Saudações poéticas.
*******************************************************************************

Roselia Bezerra disse...

Bom dia,Jaime!
Citei você aqui:
https://espiritual-marazul.blogspot.com/2018/07/nao-sou-puro-amor-sou-amor-puro.html?m=1
Abraços fraternais