Translater

quinta-feira, 10 de junho de 2021

Ontem, vi uma aranha [335]

 


Ontem, vi uma aranha

a ser impelida pelo vento.

Deduzi que se expunha a tal tormento

para espalhar os seus fios

até formar a estrutura principal

onde armaria uma teia.

A cada rajada, oscilava fortemente

e batia na parede com alguma violência,

sem indícios de dores ou ferimentos,

talvez porque a aranha seja mesmo coisa fofa.

Será que te chamo minha coisinha fofa porque,

quando empurrada, o lado forte da tua delicadeza

não se machuca facilmente nem dá mostras

de qualquer padecimento?

Apenas sei que não queremos romper

a mole e dura teia, mansa e duradoura,

que nos arde empertigada

em mil fios de seda entrelaçados em amor.




42 comentários:

Porventura escrevo disse...

Uma alegoria à vida humana, Jaime.
Gostei.
Brilhante como sempre

chica disse...

Puxa, tiro o chapéu pra ti que consegues poetizar sobre uma aranha. Pra mim, gosto de ver apenas as teias, mas delas, moro de medo,rs... abraços, chica

- R y k @ r d o - disse...

Li em silêncio e, maravilhado por tão bela e sedutora teia poética, em silêncio me deixei ficar.
.
Tenha um dia (feriado em Portugal) muito feliz
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

São disse...

Adorei!!

E que essa teia tenha sempre fios muito resistentes...

Beijinho, querido amigo, bom feriado

Maria Dolores Garrido disse...

Belo poema, Jaime, onde não falta humor, amor e delicadeza. E os sentidos de fofura também estão muito bem 'entrelaçados'.
Feliz feriado!
Abraço

Ailime disse...

Boa tarde Jaime,
Um magnífico poema.
Gostei da analogia entre a fofura da aranha e a fofura e teia do amor.
Um beijinho e um excelente feriado.
Ailime

Roselia Bezerra disse...

Em mil fios de seda entrelaçados em amor.

Olá, amigo Jaime!
Muito delicada e enraizada a analogia tecida pelo poeta.
Seja feliz e abençoado!
Abraços fraternos de paz e bem

Franziska disse...

No tiene fronteras ni límites la mente humana y queda demostrado en la comparación que has hilado con hilos tan duros y poderosos como los que segrega una araña. ¡Bravo!
Gracias por su visita.

Cidália Ferreira disse...

Poema maravilhoso de ler! Obrigada pela partilha! :)
-
Já me cruzei num tempo orvalhado
*
Um excelente(feriado) dia de Portugal
Beijos

eli mendez disse...

Un poema sentido en donde se tejen sentimientos , como en esa tela de araña...allí estamos todos , con nuestros amores diferentes, meciéndonos al compas de la vida.. Bello poema Jaime, Abrazo enorme y feliz dia

Graça Pires disse...

A teia do amor. Tantas vezes resistente, tantas vezes frágil. Gostei do poema e do enredo amoroso aqui tecido.
Muita saúde meu Amigo Jaime.
Um beijo.

Fê blue bird disse...

Que lindo amigo Jaime,
Uma analogia perfeita, entre a teia, da fofa aranha, e a teia do amor.

Um beijinho

Majo Dutra disse...

O que tu vislumbras numa aranha!!

Cabecinha erótica! Ficou bem contruído, explícito e interessante...

Saúde e dias felizes. Abraço, amigo Jaime.

(Acho que nem te apercebeste que eu estive doente...)
~~~~

Ana Freire disse...

Uma teia ardilosa... acho que bem se poderia chamar Justiça, à tal aranha fofinha... balança... mas não cai... e tantas vezes deixando apenas ver, o seu lado mais negro... a sua antítese... a Injustiça...
Hoje levei este fantástico poema, que nos faz divagar, mais para o campo legislativo, com as suas teias infindáveis, e subterfúgios... do que para o amoroso, propriamente dito... :-))
Deixo um beijinho, e votos de continuação de um bom feriado!
Ana

Amélia disse...

Belíssimo poema!
Que inspiração amigo Jaime na teia entrelaçada em amor.
Gostei muito de ler.
Beijo, continuação de excelente semana

J.P. Alexander disse...

Hermoso poema , tan reflexivo. Te mando un beso

Pedro Coimbra disse...

Há teias que são mesmo MUITO resistentes.
Se eu o sei.
Um abraço, bfds

Marta Vinhais disse...

O Amor que vive, resiste às tormentas da vida...
Porque é tudo o que nos segura...
Gostei muito.
Beijos e abraços
Marta

Mariazita disse...

Um poema tão lindo, querido Jaime!
Apesar de eu gostar de aranhas, a alegoria das suas teias, sedosas mas muito fortes, com as teias do amor, é duma grande beleza.

RE: Obrigada pelas simpáticas palavras na minha "CASA", agora que SEGREDOS chegou ao fim.
Por algum tempo... continuaremos no activo, com alguns "pretensos" poemas (eu não sou poetisa, apenas rabiscos uns versos de quando em vez...) e um ou outro pequeno conto - assim umas coisas bem levezinhas 😉
Uma surpresa para o dia 1/7.

Bom Fim de Semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

lua singular disse...

Oi Jaime,
Faz muitos anos que não vejo uma aranha.
Eu mato, tenho alergia deles
Bom dia, aqui são7,28h da manhã
Beijos
Lua Singular

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei bastante.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

José Carlos Sant Anna disse...

Uma bela alegoria com fios tão bem entrelaçados que não nos resta senão aplausos, caro Jaime!
Bom final de semana!
Abraços,

Maré Viva disse...

O amor é uma teia onde prazerosamente, nos deixamos envolver, mas há que cuidar da " mole e dura teia, mansa e duradoura," para que ela resista aos vendavais da vida!
Excelente analogia, num excelente poema!
Abraço.

Dalva Rodrigues disse...

Aplausos ao meu amigo, teceu maravilhosamente mais este poema!
Cada criatura tem suas fragilidades e vigores, na natureza devemos ser algumas vezes prudentes,em outras atirar-se ao vento, mas sempre respeitando a natureza de cada um.
Abraço, Jaime e bom final fim de semana!

Magui disse...

Nunca tinha pensado nisso, mas as teias de aranha e o amor têm algo em comum, como a incompreensão.
Bom fim-de-semana
Beijo

Maria Lucia (Centelha) disse...

Mas esse é o olhar do poeta. Observa a vida ao redor. A micro e a macro natureza. As palavras, a linguagem , a sensibilidade se encarregam do poema.
Belíssimo Jaime Portela. Aplausos!
Beijo.

Beatriz Pin disse...

Que fermosa comparação! Eu que ja pensava que agora me estava a fazer a competencia cos bichinhos e no final, vejo que tudo era um caminho que leva a outra tea de mil fios entrelaçados que são um ninho de amor.
Gostei do poético percorrido!
Abraço e bom fim de semana, Jaime.

Isamar disse...

Querido Amigo Jaime, a sus escrita é fascinante. Este seu poema está deslumbrante, amei cada palavra!!!
Desejo-lhe um fim-de-semana muito feliz :)~
Beijinhos

SARA disse...

Olá meu amigo Jaime!
Adorei o poema muito lindo é mesmo como o amor uma grande teia um bjo lindo fim de semana.

Emília Pinto disse...

Não tenho medo de aranhas, mas, se vejo alguma, tiro-a antes que teça a sua teia nos cantos da casa. O amor ' por vezes prende-nos, feito uma teia que nos vai " abraçando " e não é nada mau, desde que ela não nos sufoque com os seu fios tão bem " costurados " uns aos outros, parecendo renda. Não podem ser fios muito resistente para que possamos facilmente sair dela quando acharmos que está na hora de nos libertarmos por completo. Nem sempre o amor justifica" essa prisão ". Mas, sabes, Jaime, quando deixaria uma teia invadir a minha casa e tornar-se tão grande que sairia pela janela aberta, alastrando-se pelas paredes exteriores? Quando tivesse a minima esperança de que ela iria aprisionar nos seus fios, todas as " maçãs podres", pelo menos daqui da minha cidade; em frente tenho a Câmara municipal e poderia a teia começar por aí...apanhar nos seus fios todos os corruptos e apertá-los com força , até começarem a ficar sem ar. Um valente susto, pelo menos! Isto, para não pedir que a aranha ( várias...seria melhor) os picasse todos e os mandasse, pelo menos para o hospital Pena não conseguirem esse feito, Amigo! Um beijinho e obrigada, pelos belos poemas. Este último fez-me olhar para o teto à procura de alguma teiazinha....não encontrei...
Saúde, Amigo e um bom fim de semana
Emilia

Lígia Casaca disse...

Francamente não simpatizo com essa classe de " bicho" . A não ser as pequeninas e inofensivas. As outras, quero distância delas! São perigosas e uma picada pode ser fatal! Há aranhas e aranhas... esta, assim, descrita, já não sei... coisa fofa...não digo mais nada. Gostei mesmo muito dos contornos que a aranha tomou, aqui, no poema.
Jaime, bom fim de semana.

Beijo

Fá menor disse...

Que as teias da vida sejam entrelaçadas com e pelo amor.
Só assim os sopros do vento, ainda que possam fazer bater na parede, não farão soçobrar, porque o Amor estará lá para amparar.

Bom fim-de-semana, amigo Jaime!
Beijinhos.

VILMA ORZARI PIVA disse...

Que magnifica inspiração. Parabéns por tua construção poética!
O Amor é a base, é tudo, porisso as teias de sedas mantém-se firmes e fortes!
Otimo final de semana, querido poeta Jaime!
Beijos

Lucia disse...

Olá Jaime
Que maneira poética a sua de demostrar o amor aos animais e a natureza.
Gosto da natureza, mas confesso ter medo de alguns animais.
Admiro a força deles para sobreviver.
Coisas de Deus.
Gratidão por sua visita no meu espaço, e pelas palavras.
Estou a seguir você.
Tenha uma ótima noite e um feliz final de semana.
Abraços

Sandra Figueroa disse...

Que lindo poema amigo Jaime. La red del amor en la cual tarde o temprano nos enredamos. Saludos a la distancia,.

SOL da Esteva disse...

A teia que recrias para recriar a aranha do Amor! Adorei a alegoria e toda a grandeza do Poema.
Parabéns, Jaime


Abraço
SOL da Esteva

stella disse...

Creando bellas imágenes en tus versos Jaime, leerte es un placer poeta
Un abrazo y buen fin de semana
Carmen

Maria Rodrigues disse...

Que essa teia entrelaçada de amor, dure eternamente.
Maravilhoso poema.
Beijinhos

Teresa Almeida disse...

Sem uma teia amorosa não seria possível tecer poesia tão fofa e sólida como a tua.
Quanta sensibilidade, caro amigo Jaime!

Beijos.

Giancarlo disse...

Buona domenica

Rajani Rehana disse...

Fabulous post

© Piedade Araújo Sol disse...

O amor esuas teias.
Muito criativo!
Bom fim de semana.
Beijinhos
:)