Translate

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Do morro do Corcovado




Do morro do Corcovado
avistam-se, praias, enseadas e favelas,
mas só alguns enxergam
o mar de glórias e desmandos lusitanos
na memória das caravelas
outrora nas baías fundeadas.

Eu, quando olho para o morro,
vejo apenas o monte de Santa Luzia
da minha Viana do Lima,
porque são as mimosas que descubro
na Primavera ancorada no teu rosto
que o aclaram, douradas.

Qualquer pessoa sente o mesmo
quando está no Corcovado,
mas quase minguem vê as memórias
que eu avisto no teu bailado de musa
sempre que danças o vira comigo
na Romaria da Senhora da Agonia.

Quando, já corcovado, olhar para ti,
ninguém terá mais vida
nem será mais bela que tu,
ainda que os outros, porque são cegos,
não vejam o mesmo que eu.



52 comentários:

luar perdido disse...

Santa Luzia e o Corcovado dois pedaços de mundo, dois pomos de uma maçã que se distende de terras Lusas a terras Cariocas.
Como te entendo, amigo Jaime! Santa Luzia refulge, coroada de mimosas, seja nos passos de um vira, em Agosto de Senhora da Agonia, seja nas tardes de outonal beleza. Ainda que "os outros, porque cegos, não vejam o mesmo que tu".

Belíssimo poema querido amigo.
Bom fim de semana
beijo de luar

Gil António disse...

Fico fascinado ao ler a sua poesia. Brilhante.
.
* Promessas de Amor em Versos Poéticos *
.
Cumprimentos poéticos.

✿ chica disse...

Me senti novamente lá no Convocado! Gostei!👏👏abra chica

Kasioles disse...

No conozco ese bonito lugar que describes, pero sí puedo entender que te trae bellos e inolvidables recuerdos por haber estado al lado de una persona muy importante en tu vida.
Cariños.
kasioles

Maria Rodrigues disse...

A vista do Corcovado é extraordinária.
Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Marta Vinhais disse...

Ou o que se sentia quando se atravessava a ponte e se via o Porto a brilhar ao Sol... Mas eu sou suspeita...
Inexplicável... o que fica gravado na memória, no olhar do Tempo... o nosso...
Como sempre, um poema brilhante...
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

tb disse...

Belíssima homenagem, em forma de poema, meu amigo!
Um beijinho.

Cidália Ferreira disse...

Um poema fascinante! Amei
(tenho novo poema)

Beijos. Boa noite

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Jaime,você conseguiu com seus versos poéticos nos levar ao ponto mais lindo do Rio de Janeiro que é o Corcovado!
E eu como brasileira fiquei muito feliz.
Bjs e obrigada pela visita.
Carmen Lúcia.

Pedrasnuas disse...

Acredito nessas memórias, e no cimo de um dos morros Cristo Redentor que parece abraçar países irmãos. Belo poema e belas recordações navegam por cá!

Há quem tenha o condão de avistar mais além!

Continuação de boa semana, amigo JP

Beijo

Andreia Morais disse...

A sua poesia é sempre maravilhosa!

r: Eu gostei bastante :)
Obrigada e igualmente

Majo Dutra disse...

Uma construção muito interessante, com o objetivo de jogar com o termo corcovado...
Excelente perspicácia, meu Amigo, porque este poema de promessa de amor eterno saiu perfeito, com notas de ingenuidade e humor que lhe ficam muito bem.
Grande abraço, Jaime.
~~~~~~~~~

Os olhares da Gracinha! disse...

Como o entendo Jaime!
Adorei ler!!!bj

Emília Pinto disse...

Querido amigo, há quem diga que Viana do Castelo é o Rio de Janeiro português e eu concordo, porque as duas têm, V rio, mar, praia e montanha; Viana não tem o Cristo Redentor, mas tem a santa Luzia abençoando tudo e todos lá do alto. Infelizmente o meu querido Rio de Janeiro está tomado pelo crime orgsnizado e nem o Cristo de braços abertos consegue olhar para o povo que lá vive, Felizmente em Viana não há nada disso e esse facto torna-a fascinante. Embora não vivesse no Rio quando morei no Brasil é com grande tristeza que vejo a cidade maravilhosa transformada num autêntico campo de batalha e sempre que vou ao Brasil não tenho coragem de ir ao Rio, apesar de ter lá uma tia e primo. Gostei que te tivesses lembrado do Corcovado, mas a nostalgia invadiu-me, Jaime. Triste a situação lá. Nem imaginas as vezes que vou a Viana; sempre que vêm cá amigos brasileiros a ida à tua cidade é obrigatória; há mais ou menos mês e meio tive cá um casal amigo e, claro apesar do frio subimos ao monte de Sta, Luzia. Jaimem hoe nem me refiro à tua poesia, mas, já sabes o que iria dizerm não? Está uma maravilha, como sempre. Beijinhos
Emília

Beijaflor disse...

A propósito do corcovado
E do monte de santa luzia
Sente-se no ar o ser amado
Bem presente em cada dia.

Um amor assim nunca será cego.

Boa continuação

Bom fim-de-semana

Abraço

lua singular disse...

Oi Jaime
Linda poesia.Só você mesmo
Beijos
Lua Singular

Josélia Micael disse...

Uma bela poesia, que frisa bem a beleza destas duas cidades, entre o Brasil e Portugal, não conheço nenhuma!... mas tanto uma como outra são cidades maravilhosas, pelo o que ouço dizer!
Gostei muito desta junção entre estes dois Países irmãos.
Feliz final de semana amigo Jaime.
Abraço Fraterno.

Tais Luso disse...

Gostei do belo poema e do comentário da nossa amiga Emília, também. O Cristo de braços abertos, querendo abraçar a Cidade Maravilhosa - como é chamada - mas nem Cristo conseguiu parar a criminalidade da cidade, do país. Sim, é lindo, Jaime, a nossa observação da natureza emociona, nos coloca num lugar que podemos ver como somos pequenos diante da natureza, mesmo assim, acho que não é o suficiente para emocionar todos e dizer um basta!
Obrigada, amigo, o Rio também é nosso - de todos os brasileiros.
Beijo, um lindo fim de semana!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muito bom meu amigo gostei bastante deste belo poema.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Olinda Melo disse...


Olá, Jaime


De Santa Luzia guardo saudosas recordações. Tardo em lá voltar.
Do Corcovado realmente só essas referências históricas.
E mesmo quando a vida já tiver dado a volta sobre si mesma e corcovado virmos o ser amado será como diz aquele ditado: quem o feio ama bonito lhe parece.

Abraço

Olinda

Larissa Santos disse...

Muito parabéns. Poema lindo de mais. :))

Hoje:- "Caminhada, entre sentidos e rimas"
-
Bjos
Votos de uma feliz Sexta-Feita

SOLIDARIEDADE disse...

Dizem que não se deve ficar a "olhar para o próprio umbigo", por causa disso ou daquilo...enfim, mas quando esse olhar se dá de forma tão saudosa, poética e tão singularmente vosso, é para tirar o chapéu.
Um belo e "enganador" poema, pois quando mencionastes o Corcovado, favelas, belezas, logo pensei, "Rio de Janeiro, Cristo Redentor, favela da Rocinha...Ledo engano de quem, olhando pro próprio umbigo, pensou que Corcovado só existisse na bela Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro.
Abraços.

Ana disse...

Uma bonita homenagem.
Beijinhos e bom fim de semana,
https://chicana.blogs.sapo.pt/

Ontem é só Memória disse...

Simplesmente lindo!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

Mais um poema lindissimo, conto todos que encontramos por aqui.

Convidamos a ler o capítulo VIII do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/04/voar-sem-asas-capitulo-viii.html

Saudações literárias!

Anete disse...

Um poema escrito apaixonadamente... Expressões de grande amor!
Um abraço e bom fim de semana...

Graça Pires disse...

Dois locais tão diferentes, Jaime. Mas deu para fazeres uma analogia muito bela com aquilo que vês da nossa Santa Luzia e o que pode ver-se do Corcovado, neste belo poema.
Um bom fim, de semana.
Um beijo.

Diana Fonseca disse...

Quem me dera conhecer o Brasil. Adorei o poema.

Rute Beserra disse...

Bom dia Jaime, sim na última postagem do blog, na foto sou eu

Por acaso tens livros? Parabéns pela analogia, Corcovado é lindo e dispensa palavras. Bjs bom final de semana

Teresa Almeida disse...

Claro que são cegos os que não te lêem. E eu, mesmo corcovada, jamais esquecerei esses picos de arrebatamento e o brilho da tua poesia a bailar entre eles.
E no dourado das mimosas não vou tocar.

Beijos, minhoto.

Minhas Pinturas disse...

Lindo poema Jaime, e bela homenagem a nós cariocas. Sempre me emociono com as belas paisagens desta minha cidade, são tantas e todas nos levam a devaneios. Mesmo que um dia daqui vá embora, nunca a esquecerei.
Beijinhos, Léah

teresa dias disse...

Jaime, soberbo poema!
Posso dizer que vi o Corcovado e Santa Luzia, pelos olhos do poeta.
Só a poesia é capaz de tamanho feito.
Abraço e bom domingo.

© Piedade Araújo Sol disse...

JP
Duas comparações na limpidez do olhar que tudo vê (ou imagina ver)
Muito belo e bem ao teu estilo
Bom domingo
Beijos
:)

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

São sempre belos os lugares que trazemos no coração. Lindo poema.

Convidamos a ler o capítulo VIII do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
http://contospartilhados.blogspot.pt/2018/04/voar-sem-asas-capitulo-viii.html

Saudações literárias!

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

A Viana do Castelo
Quando vista lá de cima,
Espraia-se no Cabedelo,
Banha-se no Rio Lima
E dos Remédios é sina.

E eu, já mui Corcovado,
Já não subo, de estafado.


Belo Poema, Jaime.

Abraço
SOL




Marina Fligueira disse...

Bueno, Jaime, nos dejas un poema con mucha musicalidad, bien pudiera hacerse canción y con ella homenajeas a esa ciudad bella que es Viana do Castelo, la cual conozco y me encanta pasear por ella.

Ha sido un placer leerte.
Un besito y mi gratitud.

Marina Fligueira disse...

Bueno, Jaime, nos dejas un poema con mucha musicalidad, bien pudiera hacerse canción y con ella homenajeas a esa ciudad bella que es Viana do Castelo, la cual conozco y me encanta pasear por ella.

Ha sido un placer leerte.
Un besito y mi gratitud.

Lu Dantas disse...

Que lindo, Jaime. Que lindo.

beijos!!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

Pedro Coimbra disse...

Ainda não visitei o Brasil.
Quando visitar vou lembrar este poema.
Aquele abraço, boa semana

Ailime disse...

Um poema excelente, Jaime.
Gostei imenso da analogia entre o Corcovado e o belíssimo Monte de Santa Luzia e depois também na metáfora final.
Um beijinho e boa semana.
Ailime

saudade disse...

Como é bom ler te. Belíssimo poema.
Beijo de....
Saudade

Isa Martins disse...

Ainda não tive o prazer de conhecer o Corcovado, mas deu pra sentir a intensidade do teu poema.
Feliz semana amigo, abraços

AFRODITE disse...


Minha alma Minhota rejubilou ao ler os teus versos!
O amor deveria ser sempre assim, para toda a vida!

Beijinhos com alma
(^^)

BETONICOU disse...

Aqui o Brasil e´o protagonista, e como brasileiro digo: Bravíssimo! Lindo o modo de como descreves teu sentir impar. Abraço.

rosa-branca disse...

Há muitos anos que estive em Santa Luzia. Gostei muito e gostava de lá voltar. Adorei o final do poema que é de mestre. Olhar o sua amada com olhos de ver, porque mais cego é aquele que não quer ver. Muito belo. Jaime, boa semana e beijos com carinho

Manuel Veiga disse...

uma fusão de ambientes, lugares e emoções
dão corpo a um poema muito belo

abraço. meu amigo

Ana Tapadas disse...

Também apreciei este jogo de conceitos que dançam!

Também olhei para o teu morro de Santa Luzia, na semana passada... :)

Beijinho

Pedro Luso disse...

Mais um de seus belos poemas, que resultam eles da sorte de ser poeta e do exercício de escrever poemas e mais poemas. Parabéns.
Um abraço, amigo Jaime.
Pedro

Ana Freire disse...

Um poema belíssimo, Jaime, que tão bem ligou os encantos, de ambos os lados do Atlântico... estabelecendo uma ponte perfeita!...
Adorei!!! Beijinho! Continuação de uma feliz e inspirada semana!
Ana

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************
Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana.
Saudações poéticas.
*******************************************************************************

Graça Sampaio disse...

Muito bonito!!! Minhoto a sério... Beijinhos de filha de pai minhoto.

Julia Tigeleiro disse...

Lindo. Ainda não tinha tido o prazer de percorrer este jardim. Adorei.Abraço.