Translater

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Não me peças mais poemas



Não me peças mais poemas
que eu sou a desordem
assassina e construtora dos meus eus,
de alma em debandada e à procura
do teu cálice.

Não me peças mais poemas
que eu sou o canto no deserto e no oásis
de um palco sem auditório
repleto de cegueira,
sem cortina de fogo e vomitório.

Não me peças mais poemas
que a tua rosa é cadeia sem desonra,
é saia comprida ainda sem rugas
da liberdade de te amar
na desordem dos meus e dos teus eus.


42 comentários:

chica disse...

Sempre lindas inspirações.Parabéns! abraços,chica

Marta Vinhais disse...

A paixão é fogo, é desordem...é poderosa....
Como sempre brilhante...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Jornalista Douglas Melo disse...

Caro Jaime,
São belos os teus versos.

"... Não me peças mais poemas / Que eu sou o canto no deserto e no oásis..."

No deserto João Batista também já clamava: "Preparai ao Senhor um estrada / Eis que o Reino de Deus está perto / Mas não me peça um milagre... Só uma prece"...

Um abraço!!!

Gil António disse...

Como comentar? Apenas uma palavra: BRILLANTE

Abraço

Lua Azul disse...

É quase impossível não pedir, tal é a boa produtividade... O tu fica fascinado, certamente, perante estas produções!
Gostei! Tal como gostei igualmente dos dois anteriores que li aqui. Está de parabéns!

Andreia Morais disse...

Se todos os poemas forem desta emoção, por favor, que se continuem a pedir mais! Absolutamente fantástico :)

Continuação de boa semana

Arte & Emoções disse...

Olá Jaime! Eis que nos ofertas mais uma das tuas belas criações.

Abraços,

Furtado

Ailime disse...

Boa noite Jaime,
Um poema com uma cadência maravilhosa.
Gostei imenso.
Parabéns pela construção de mais um excelente poema.
Um beijinho e bom fim de semana.
Ailime

saudade disse...

Sim vou pedir te mais poemas fantásticos como este.
Bom fim de semana
Beijo

Isamar disse...

Pois eu peço-lhe mais poemas, porque a sua poesia além de muito apaixonada, é muito inspiradora.
Adorei este poema!
Beijinhos

Cidália Ferreira disse...

Um poema muito bonito :)!

Beijo. Boa noite

atomocelia disse...

É sempre um prazer ler os seus poemas, Jaime!
Uma ótima sexta-feira pra você e todos.
Bjs.

Pedro Coimbra disse...

E eu, posso pedir??
Aquele abraço, bfds

Josélia Micael disse...

Mais um poema muito lindo, amigo Jaime!
Como pode ali citar...! Não me peças mais poemas.
Pois é claro que sempre pediremos!
São todos maravilhosos!
Beijo. Boa noite, seja feliz!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema meu amigo e aproveito para desejar um bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Alice Alquimia disse...

Seu lindo poema me lembrou Fernando Pessoa.

luar perdido disse...

Amigo Jaime.... como não pedir mais poemas?? Impossível!
Venham eles, venham todos, os que se quedam no silêncio de uma pedra no caminho; plena de sedução e beleza. Os que nos falam ao ouvido e nos mostram novos caminhos, novos sóis e novas luas. Os que nos propõem o infinito, ou o prolongar dos sonhos.
Venham todos os poemas, vou continuar a pedir poemas para que não se perca essa tua: "liberdade de te amar, na desordem dos meus e dos teus eus".Que forma linda de amar!!

Bom fim de semana, querido Amigo.
Beijo de luar

Isa Sá disse...

Que venham mais poemas!

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

Daniela Silva disse...

Que nunca te falte a inspiração para poemas lindos como este.

Beijinho | danielasilva-oficial.blogspot.com

Teresa Almeida disse...

Os ventos da desordem são convergentes num único vértice.
Magnífico, amigo Jaime!

Beijos.

Magui disse...

Mais uma vez, está de parabéns pelo belo poema
Abraço

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Jaime, interessante ,"não me peças mais poemas",
mas eles continuam vindo e trazendo em seus versos o que há de melhor na emoção, na paixão, na espera, no pôr do sol,no encanto do amor. Sensibilidade à flor da pele. Abraços!

Os olhares da Gracinha! disse...

Mais um belo momento poético!!!
Bom fim_de_semana

Graça Pires disse...

Claro que te peço mais poemas, fã que sou daquilo que escreves...
Mais um belo poema, Jaime.
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Mariazita disse...

Pregaste-me um susto, querido amigo Jaime!
Não sabes que sofro do coração? Podia-me ter dado um piripaque… 💘 (brincadeirinha, o cardiologista até diz que eu tenho muito bom coração)
Falando sério, inicialmente pensei que te ias retirar 🚀. Mas algo me disse que não era disso que se tratava. Acertei!
Falemos do teu poema.
Penso que já uma vez te disse, mas não me importo de repetir:
A tua poesia tem uma característica de que gosto bastante. Há, em todos, ou quase todos, os teus poemas, um “cheirinho” de sensualidade/erotismo, mas tão bem doseado e tão subtil que, numa leitura rápida, passa despercebido.
Depois, numa segunda análise, apercebemo-nos que esse “pormenor” acrescenta ainda mais beleza aos teus versos.
É precisamente o que acontece com este belo poema.
Precisas que diga mais alguma coisa??? Acho que não…😉

Desejo-te dias felizes.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Fá menor disse...

No entanto, mais poemas precisam-se.
A vida devia ser sempre uma constante poesia.

Bom fim-de-semana, amigo!

Beijinhos.

Manuel Veiga disse...

gostei muito do poema, caro Jaime Portela
imagens poéticas muito fortes e belas

grande abraço, amigo

rosa-branca disse...

Não me peças mais poemas
Que neste maldito sentir
Ainda escorrem dilemas
Das palavras por abrir...

Parece que ainda consigo...ou talvez não...
Poema soberbo que li e reli... não te digo quantas vezes...mas algumas...Adorei! Amigo Jaime, bom fim de semana. Beijos com carinho e admiração

SOL da Esteva disse...

Quando escreves, escreves Poemas que saciam a "fome" que deles pode haver.
Parabéns

Abraço
SOL

© Piedade Araújo Sol disse...

pedir nem sempre é necessário.
o poeta nunca os deixará de escrever.
mas, e, se, o fizer...ficam sempre os que estão escritos.
gosto deste pedido em forma de poema.
e que venham mais...mesmo que não sejam pedidos.
bom fim de semana.
beijinhos
:)

teresa dias disse...

"Não me peças mais poemas
que eu sou a desordem
assassina e construtora dos meus eus,"
Não, eu não vou pedir... mas fico a desejar que os faças e compartilhes, sempre!
MAGNÍFICO, senhor poeta!!
Beijo, meu amigo.

Majo Dutra disse...

Os poemas não se devem pedir,
acho isso uma prática de mau gosto.

Há poemas que se escrevem desvairadamente...

É sempre muito agradável ler a tua poesia.
O meu abraço, Amigo.
~~~

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Hoje é o dia do poeta,
Amigo Jaime Portela!
Parabéns a ti e a ela,
À poesia em tela

Neste dia em data bela
Dedicado a uma seleta
Grei, que a alma tem por meta
Versejar - arte singela.

Parabéns, poeta amigo!
A tua arte eu bem-digo
Por dar luz a sociedade.

A poesia é um abrigo
Para a alma e castigo
Para quem sente saudade!

Grande abraço! Laerte.

Humberto Maranduva disse...

É isso, Jaime, a poesia é uma busca ordeira do objecto perdido: "(...) Não me peças mais poemas )...)", porque amar não se compadece com ordenadas (dis)posições ou procuras ponderadas. Amar é exactamente como retrata neste seu inspirado poema, onde o dialogismo Eu - Tu surge despido de preconceitos e racionalidades filtrantes. Óptimo poema.
Uma boa semana

Elvira Carvalho disse...

E apesar de tudo, a vida sem poesia perde toda a sua beleza.
Abraço e uma boa semana

Carlo Sants disse...

Lindo poema. Como poetas é assim: até na recusa de fazer poema, tem-se um poesia.

SOLIDARIEDADE disse...

Desculpe a demora em vos visitar pois, estou em período de avaliações bimestrais na escola e raramente encontro um tempinho para ler a intensidade de sua poesia.
Abraços.

Pedro Luso disse...

“Não me peças mais poemas
que eu sou a desordem
assassina e construtora dos meus eus,
de alma em debandada e à procura
do teu cálice.”

Com esta estrofe o poeta inicia este ótimo poema. Parabéns, amigo Jaime.
Uma boa continuação da semana.
Um abraço.

A Casa Madeira disse...

Sempre vou pedir seus poemas k.
Abraços.

Olinda Melo disse...


Uma negação que representa um pedido,
presumo. Porque a vontade do poeta
é escrever poemas em que possa
extravasar esse mundo de sentimentos,
negando esse "deserto" e transformando-o
no seu "oásis".

Abraço

Olinda


Lúcia Silva Poetisa do Sertão disse...

Outro poema maravilhoso que afaga minha inspiração!
Beijos carinhosos!

Diná Fernandes de Oliveira Souza Souza2 disse...

Como não pedir mais poemas, se vc escreve maravilhas que encantam oh Jaime!
Linda e soberba, é a última estofe que fechou com chave de ouro.

Votos de ótima semana.
Saudações.