Translater

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Mares encapelados e mansos



Há muita coisa que nos ficaria entranhada
se deixássemos de nos beijar.
A pele de galinha seria uma saudade
encarquilhada pela pátina do tempo,
saudade eternamente verde, não de esperança,
mas porque jamais morreria.
Apesar da improbabilidade,
semelhante à de podermos
assistir da Lua pela TV ao fim da vida na Terra,
há assaltos de incerteza
que logo se quedam com mais ternura despida.
Porque, para além da praia da nossa boca,
nunca haverá outros mares
tão encapelados e mansos como os nossos.



32 comentários:

Fá menor disse...

Muito belo e verdadeiro!
Saudades eternamente verdes, nas ausências dos beijos que ficam retidos.

Bom fim-de-semana!
Beijinhos, amigo Jaime!

Isamar disse...

Mais um belíssimo poema do Jaime.
Gostei bastante de ler.
Beijinhos

Andreia Morais disse...

Sempre fantástico!

Continuação de boa semana

Roselia Bezerra disse...

Boa Noite de paz interior, Jaime!
O Amor é o mar de paz no coração do ser humano, bem asism como seu poema.
Tenha dias abençoados!
Abraços fraternos de paz e bem

Olinda Melo disse...


Mares encapelados e mansos, uma contradição
que contradição não é porque se insere
naquele sentir que o grande Camões chamou de
"contentamento descontente.

Gostei muito do seu poema, amigo Jaime.

Abraço

Olinda

Maria Emilia B. Teixeira disse...

Coisas de casal.
Retribuindo sua visita em meu blog.
Boa noite.Bjs.

Pedro Coimbra disse...

Navegando nestes mares tranquilos.
Aquele abraço, bfds

Elvira Carvalho disse...

Muito bonito Poeta, E real.
Abraço e bom fim de semana

Os olhares da Gracinha! disse...

Muito interessante as palavras em belo poema... Bj

luar perdido disse...

Por cada onda desse mar encapelado que nasçam mil estrelas. Por cada beijo trocado no silêncio dos corações que se estreitem os laços, os nós, as amarras, de um amor que não conhece distância.
Mesmo que assistam ao fim da terra da longínqua lua, as ondas mansas dos corpos amantes jamais se calarão.
Belo poema, amigo Jaime.

Bom fim de semana.
Beijo de Luar

Cidália Ferreira disse...

Um poema muito bonito!! Amei!:)

.
Afeição aos silêncios.
Beijo e um bom fim de semana.

Marta Vinhais disse...

Há, haverá sempre incertezas...
Lindo...
Obrigada pela visita..
Beijos e abraços
Marta

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei amigo Jaime.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Kalinka disse...


OLÁ JAIME

OBRIGADA por teres ido ao blog onde estou a relatar a viagem à Turquia
MAS...
há mais
se quiseres ainda podes passar
neste:

http://meusmomentosimples.blogspot.com/

e, neste:
http://momentos-perfeitos.blogspot.com/

onde também há novos temas!

Sobre a tua poesia:
achei graça como te referes ao que aconteceria se
deixássemos de nos beijar...A pele de galinha
(dei uma gargalhada)

É LINDO o que escreves com tanta facilidade:
Porque, para além da praia da nossa boca,
nunca haverá outros mares

Parabéns
Bom fim de semana
Beijo da Tulipa

Manuscritos Da Alma disse...

Poema muito bonito, meu amigo...
Gostei muito...
Um grande abraço!!!

betonicou disse...

Oi, caro Jaime!Tudo verdadeiro e emoldurado um belo poema. Bravissimo! Blogue atualizado por lá. Grande abraço. Feliz fim de semana.

Graça Pires disse...

Nunca deixem de se beijar, Jaime. Lindo o seu poema.
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Pedro Luso disse...

Gostei muito, amigo Jaime, do seu “Mares encapelados e mansos”, um poema que se insinua com estes versos:

“Há muita coisa que nos ficaria entranhada
se deixássemos de nos beijar.”

Como digo aqui e ali, há poemas que pedem uma, duas, três leituras, e este é um desses poemas. Parabéns!
Um bom final de semana, caro Jaime.
Um abraço.

SOL da Esteva disse...

Muito belo e sugestivo. Gostei imenso. Parabéns.


Abraço
SOL

Alice Alquimia disse...

Gosto do poema todo, mas o último verso é maravilhoso.

Ivone disse...

O mar representa muito bem a vida, ele sofre a influência da Lua!
Aqui tivestes inspiração e nos deu esse belo poema para reflexão!
Vamos indo nos encapelamentos e mansidões, assim como o mar!
Amei ler amigo poeta Jaime!
Abraços apertados!

Ana Freire disse...

Uma inspiração lindíssima, que tão bem resume,e reconhece, as cumplicidades, de uma vida inteira... Adorei ler!...
Não cheguei a tempo de avisar que umas palavrinhas do Jaime, ficariam em destaque por estes dias, lá no nosso canto... mas felizmente o Jaime, resolveu-me tal problema... :-)
Um beijinho! Desejando-lhe um feliz fim de semana...
Ana

saudade disse...

É tão bom vir aqui ler te.
E encontrar poemas como este lindíssimo..
Saudade.....
Beijo

Giancarlo disse...

Buona domenica.

Manuel Veiga disse...

gostei muito do poema, caro Jaime Portela.
os últimos versos são um "must"

grande abraço. meu amigo

Ailime disse...

Boa noite Jaime,
Um poema lindo, que fala de sentimentos de quem sabe viver o amor.
Um beijo, num simples beijo cabe o mundo inteiro.
O mundo dos eternos amantes.
Um beijinho e uma boa semana.
Ailime

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema.

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

Maria Rodrigues disse...

Que a vida nos reserve poucos mares encapelados e uma imensidão de mares mansos.
Maravilhoso poema.
Beijinhos
MAria

Magui disse...

Que triste seria.
Adorei.
Beijo

Mar Arável disse...

Uma bela respiração
Abraço

Arte & Emoções disse...

Oá Jaime! Passando para me deliciar com a leitura de mais uma das tuas belas criações.

Abraços,

Furtado

teresa dias disse...

"Porque, para além da praia da nossa boca,
nunca haverá outros mares
tão encapelados e mansos como os nossos."
Bem, meu amigo Jaime, este poema vou ter de ler uma, duas vezes. Ou três!
Não é fácil... mas é magnífico!
Beijo.