Translater

quinta-feira, 25 de junho de 2020

Eu já não sei [285]



Enquanto, das palavras,
o grito e o silêncio se dissolvem
numa fogueira ateada por achas de inquietude,
os teus gestos, do beco para onde
há mil resignações te empurram, são inaudíveis.

E eu já não sei
se és a voz de um rio sem água
nas margens da garganta,
se alguém que se dobra para colher
uma flor que não existe.

Enquanto a noite, madrasta, prospera
na sombra que alumia a tua alma diurna,
e ela se tortura numa reza de tristezas madraças,
são invisíveis, nos teus olhos,
as centelhas que florescem no amanho do futuro.

E eu já não sei
se és a agonia amordaçada
pelo tirano calar do prazer,
se a alegria de asceta disfarçada
na luxúria do prazer desse calar.



49 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Delicioso de ler. Elogiável inspiração e criatividade poética.

Cumprimentos

chica disse...

Iniciando o dia cheio de poesia. Linda mais essa! abraços, ótimo fds! chica

alfacinha disse...

Poesia linda
abraço

Giancarlo disse...

Ogni volta che passo dal tuo blog trovo sempre una stupenda poesia.
Buon pomeriggio.

Teresa Almeida disse...

"E eu já não sei
se és a agonia amordaçada
pelo tirano calar do prazer,
se a alegria de asceta disfarçada
na luxúria do prazer desse calar."

Extraordinário dizer poético de algo que é pulsar de vida.

Beijos, poeta amigo.

Fá menor disse...

E há tantas coisas que ficam por saber...
tantas contradições ou paradoxos do sentir
tantas sombras, noites e invernos por florir.

Beijinhos, amigo Jaime!

Pedrasnuas disse...

Dúvidas, raivas... Há quem incomode e isso é tramado! Recorre-se então a palavras crispadas para ver se faz algum efeito!

Querido Jaime, tem um excelente fim de semana!

Saboreia-o bem.

A Paixão da Isa disse...

pois hoje ja nao sabemos nada heheh adorei bjs

Andreia Morais disse...

Uau! Que poema fantástico!

Continuação de boa semana

Graça Pires disse...

Nunca sabemos se é a alegria ou se é a nostalgia que nos impele para um prazer que não se explica... Gostei, Jaime.
Um beijo.

NASSAH disse...

Um poema fantástico..

Cidália Ferreira disse...

Fantástico Poema, como já nos habituou:))
~~
Sinto em mim uma força interior

Beijo e uma excelente noite!:)

Elvira Carvalho disse...

Mais um belo poema que me encantou
Abraço e saúde

São disse...

De certeza que não sabes?

Beijinho, sonhos bons

Pedro Coimbra disse...

Eu sei é que essa veia poética não se esgota.
Aquele abraço, bfds

Azka Kamil disse...

awesome article guys :)

Sandra Figueroa disse...

Un poema que duda pero de excelente belleza poética. Saludos amigo.

Marta Vinhais disse...

As dúvidas que florescem, mas depois encontra-se o prazer...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema, gostei amigo Jaime.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Magui disse...

Maravilhoso.
Bom dia e bom fim-de-semana
Beijo

Juvenal Nunes disse...

Poema bem conseguido, que é uma interrogação lúcida sobres as contingências da vida. Com formação em engenharia o Jaime é, afinal, um talento multifacetado.
Parabéns.
Saudações poéticas.
Juvenal Nunes

Isamar disse...

Enquanto leio o seu poema o mundo lá fora fica em suspenso e eu já não sei se não seria melhor viver dentro destas suas belas frases.
Fantástico poema, adorei!
Votos de um excelente fim-de-semana, beijinho!

Manuel Veiga disse...

mais um excelente poema
apaladado, como vinho de boa colheita

abraço, caro amigo

Dalva Rodrigues disse...

Belo poema, amigo Jaime!
São tantas as dúvidas em nosso ser, nem todas conseguimos respostas, principalmente para as que estão fora de nós, os silêncios são os mais indecifráveis símbolos.
Abração, bom final de semana e continuemos nos cuidando para sair vivos desse navio Terra.

Ygraine disse...

From emotions so raw, so tortured...comes such exquisite beauty!❤❤❤
Your words leave me utterly breathless...

Have a fabulous day, Jaime!😊😊

Kisses xxx

Amélia disse...

MMagnífico poema! É dos poemas que dá prazer ler e reler. Adorei.
Beijos e um excelente fim de semana

Sónia M. disse...

Maravilha(da)!
Tão bom passar por aqui.

Bom fim de semana!

Megy Maia disse...

Um poeta faz pulsar corações!
Você fez pulsar o meu!
Um abracinho poético.
Megy Maia🌈

SOL da Esteva disse...

O que pode ser dito e aquilo que nos faz calar.
"[...] Melhor explicado,[...]
não sei dizer tudo aquilo que não sou,
o que sou, já nem eu sei."
Parabéns pela excelência de Poema.

Abraço
SOL

Mariazita disse...

Quanto mais vivo menos certezas tenho.
Por isso entendo bem as tuas palavras. Não só porque o momento incerto que vivemos nos torna muito pouco previsível o futuro, mas também porque o próprio dia a dia não nos deixa entrever o amanhã.
Nem dos nossos próprios sentimentos já temos certezas…
Mas duma coisa tenho a certeza: este poema é excelente!

Dias felizes te desejo, querido amigo Jaime.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


R's Rue disse...

Me gusta

tulipa disse...


OLÁ JAIME

Enquanto, os dias
vão desfiando as páginas do calendário
eu já não sei
quando voltarei a VIVER
vou apenas sobrevivendo
saturada deste maldito vírus

Enquanto a noite chega tão depressa
entre as 4 paredes da casa
continuo acordando e deitando
na mesma cama, no mesmo quarto

E eu já não sei
quando isto acaba!

Gostei do poema, é brilhante. Como sempre.
Continuação de bom fim de semana
Beijo da Tulipa.  

Queres espreitar?
http://meusmomentosimples.blogspot.com/
  
http://pensamentosimagens.blogspot.com/

http://momentos-perfeitos.blogspot.com/

Ailime disse...

Bom dia Jaime,
Um poema belíssimo!
Das dúvidas uma certeza: o amor está presente.
Beijinhos e bom domingo.
Ailime

Olinda Melo disse...


Excelente este seu Poema, caro Jaime. Incertezas, algo sofrido, numa toada tão bem conseguida que se sente a inquietude, quase palpável. E a verdade por detrás destas palavras assume-se enorme:

"E eu já não sei
se és a voz de um rio sem água
nas margens da garganta,
se alguém que se dobra para colher
uma flor que não existe."

Escrita que emociona. Adorei, meu amigo.

Abraço

Olinda

abasozora disse...

apoio mútuo, espero que possa ajudar e contribuir um pouco para nós

luar perdido disse...

Amigo Jaime,

Saber, sempre encontramos uma forma de o "tocar", de o "sentir", podemos não ter "consciência" do que sabemos... mas sabemos.
Um poema de "calar" para melhor absorver e sentir a essência das palavras.

Votos de que esteja tudo bem, querido amigo.
Beijo

Humberto Maranduva disse...

As pulsões dilemáticas de um mesmo signo febricitante de um lado o constructo que elege o prazer da convergência afectiva; do outro lado a derrocada que resulta das fragmentações tornadas efeitos dos assomos que retornam dessignificados.
Um belo poema onde, me parece, tudo isto se plasma.

Um abraço.

Maria disse...

Olá ! boa tarde. Meu nome é Maria, estou começando um Blog agora, adorei o seu Blog, e estou te seguindo, venha me visitar !!!
https://epossivelsonhar46.blogspot.com/

A Casa Madeira disse...


Olá Jaime;
Duvido que não saibas...

Obrigada pela sua presença lá na casa;
Bom, finalzinho de mês.
PAZ E BEM.

Majo Dutra disse...

Será um mutismo confrangedor...

Mágoas e sofrimentos de paixão num poema perpassado
por muita sensualidade...

Magnífico. Jaime.
Abraço, estimado amigo.
~~~~

Pedro Luso de Carvalho disse...

"Enquanto, das palavras,
o grito e o silêncio se dissolvem
numa fogueira ateada por achas de inquietude,
os teus gestos, do beco para onde
há mil resignações te empurram, são inaudíveis."

Transcrevo os primeiros versos deste seu denso, caro Jaime, como forma de cahar a atenção de alunos e de jovens poeta para uma ou mais leitura desta obra.

Uma boa semana, amigo Jaime.
Um abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

Nunca sabemos...ou por vezes sabemos e nem queremos saber.
Belo e com uma ponta de sensualismo que lhe ficou muito bem.
Boa semana.
Beijinhos
:)

Pikena Mizael disse...

OLÁ ! ESTOU TE SEGUINDO. AMEI O SEU BLOG... CRIEI O MEU BLOG A POUCO TEMPO. VENHA ME VISITAR! BEIJINHOS...
https://magiaepurpurina.blogspot.com/

Maria disse...

Linda poesia !
Abraços.

Luísa Fernandes disse...

Olá Jaime!
Excelente e majestosa inspiração poética. Parabéns Jaime!
Gostei imensamente.
Beijinho de boa noite e bom descanso.
Luisa

yonosoymillenium disse...

que mal sentir esa agonía

rosa-branca disse...

Também já não sei...e sei apenas que este poema é um mar de liberdade nas algemas do poeta. Beijos com carinho e admiração amigo Jaime

Majo Dutra disse...

Estimada amigo.
Já em pausa, venho convidá-lo para um cafezinho poético aromático no 'Café Poético' do Sonhos e Poesia, o blogue da Gracita.
Tenho a certeza que vai gostar.
Beijinho
~~~~

Ana Freire disse...

Inspiração sempre no seu melhor, por aqui, Jaime!
Com a eloquência, paixão e profundidade, que lhe são tão característicos!...
Mais um formidável momento poético, para ler e reler...
Beijinho
Ana