Translater

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Depressão [281]



De mansinho, à falsa fé de tão subtil,
vai parasitando, da vida,
os fios do rumo e as âncoras do prumo.
Há um querer respirar
a verdade indivisível dos oásis e,
quando à porta do arvoredo viçoso,
evapora-se o refresco
da sombra sedutora das palmeiras
num caldo sem água,
inquieta e logo desfocada
no logro de uma ilha inatingível.

Erra a vida, pesarosa, na instabilidade da areia
num descompasso indizível,
e nunca há a certeza
onde é maior o doer deste confuso andar:
Se no vazio do peito,
ressequido, de um tão sofrido sentir,
se na mudez que se escuta tão conformada
a carpir.

O deserto, prepotente,
escava a fundura de um poço
donde é difícil fugir,
porque a vontade é uma avezinha entorpecida
pelos olhos especados da serpente
que a está a tentar engolir.


39 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Bom dia:- Sempre delicioso ler a sua poesia. Intensa, profunda, fresca, magistral.
.
Um dia feliz
Cumprimentos

chica disse...

Lindos teus versos. Tema forte o da depressão! abraços, chica

Dalva Rodrigues disse...

Maravilhoso Jaime!
"...a vontade é uma avezinha entorpecida..." que riqueza!
Enfrentar depressão não é fácil, desde as mais leves até as mais profundas.
O ser humano contemporâneo e a sociedade que criaram e continuamos a criar para o futuro pode ser devastadora para as almas.
Abraço, amigo, adorei!

redonda disse...

Gostei do poema, dá-nos uma ideia do que poderá ser uma depressão e gostei do Magui, acho que vou ficar com ele para um nick name no futuro :)
um beijinho e um bom dia
Gábi

Ana Freire disse...

Já era antes a doença do século XXI... muito antes desta súbita pandemia...
Agora muitos dos que nem sonhavam haver motivos para a ter... vêem-se subitamente confrontados com ela... pelos mais variados motivos...
Um estado de alma corrosivo, muitíssimo bem expresso nas suas poéticas palavras, Jaime! Gostei imenso, do poema!
Beijinhos! Continuação de uma excelente semana!
Ana

São disse...

Não entremos em depressão, caso contrário tudo piorará.


Beijnho, boa tarde

Isamar disse...

Olá Amigo Jaime,
Um poema duro, real, triste e tão verdadeiro.
Fantástica escrita de uma inteligência brutal!

Esta parte toca mesmo na alma e fica-nos no pensamento.
"e nunca há a certeza
onde é maior o doer deste confuso andar:
Se no vazio do peito,
ressequido, de um tão sofrido sentir,
se na mudez que se escuta tão conformada
a carpir."

Gostei imenso!
Desejo-lhe um resto de semana muito feliz.
Beijinhos

Teresa Durães disse...

Quando a vida exige demais

Andreia Morais disse...

Temos que saber escutar tudo o que nos vem de dentro!
Fantástico poema, Jaime

Continuação de boa semana*

Cidália Ferreira disse...

Infelizmente este tempo de confinação está bom para depressões!
Adorei o seu poema! Parabéns:))
-
A esperança pode renascer no amanhã

Beijos e uma excelente tarde...

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Jaime.
A depressão às vezes, chega sem percebermos e se instala, fazendo uma revolução geral na vida da pessoa escolhida. Atualmente, podemos com certeza, afirmar que a famosa doença está fazendo morada em muitos corações.Infelizmente, nesta época de pandemia, o vírus traz consigo a depressão. As metáforas muito bem escolhidas para dar vida aos versos deste seu belo poema. Grande abraço!

Magui disse...

Tão verdade, Jaime.
Só quem já passou por isso, compreende.
Beijo

Tais Luso de Carvalho disse...

Eu imagino o que sente alguém com depressão, é um desistir da vida, uma negação de tudo, uma carência insuportável, um pouco de morte em vida. E não adianta conversa com o portador de tal doença tentando levantar o astral, o problema é químico. Vi na família tal situação, é terrível.

Que belo poema, amigo Jaime, tantas verdades ditas poeticamente. Gosto muito de poemas assim, a realidade da vida, o sofrimento humano, coisas nossas tão doloridas. Parabéns, poeta.
Beijo, bons dias pela frente!

"Erra a vida, pesarosa, na instabilidade da areia
num descompasso indizível,
e nunca há a certeza
onde é maior o doer deste confuso andar:"

Ana Bailune disse...

Olá, Jaime.
Uma poesia muito profunda! O fundo desse poço pode ser amedrontador, mas quando o atingimos, temos sempre o consolo de termos descido até o fundo, e agora, o único caminho é para cima.

lua singular disse...

Oi Jaime,

Deve ser triste a depressão, ela às vezes quer me pegar, aí eu ouço músicas de amor, aí vem muito boas recordações
Beijos no coração
Lua Singular

manuela barroso disse...

Depois de me deparado com tão belo poema, não me detenho na depressão . Antes na admiração .
Beijinho, Jaime

Pedro Coimbra disse...

Tudo menos isso, depressão, derrota, isso nunca.
Aquele abraço, bfds

Roselia Bezerra disse...

Bom dia de paz, Jaime!
Tema difícil de abordar e você não só o fez como também Poetizando.
Parabéns!
A ave amuada vai de recompor. Deus é grande.
Tenha dias abençoados!
Abraços fraternos de paz e bem

Pedrasnuas disse...

Jaime, Um poema que ilustra de certa forma o grande sofrimento dos que padecem de uma depressão, há depressões e depressões. A depressão severa pode dar origem a outras patologias do foro psiquiátrico e os psiquiatras são tipos perigosos, só receitam bombas que por sua vez rebentam com o organismo. Psiquiatra em último mas último recurso, quando mesmo for caso disso e.... mesmo assim....
A depressão conduz ao suicídio, à morte aparentemente natural, há estados depressivos que são por fases... na minha opinião, meio mundo esconde estados depressivos graves a muito graves. Não se aposta a sério na saúde mental e para isso existem os psicólogos. Os acontecimentos da infância ditam em muito o que sucederá no percurso da vida adulta de um indivíduo e não podemos esquecer as medicinas alternativas. Há um conjunto de outras opções que são caras, fora do alcance do cidadão comum. Que o estado, lamentavelmente não comparticipa.
Existe Terapia Familiar, Psicoterapia Individual, Grupanálise, Psycoaching.
A Psicoterapia deveria estar ao alcance de todos os que dela necessitem! E nunca apenas ao alcance de quem tem dinheiro para investir.
Bom fim de semana
Aproveita-o bem!


Graça Pires disse...

E como gostei deste final do poema: "a vontade é uma avezinha entorpecida
pelos olhos especados da serpente que a está a tentar engolir". Sempre a surpreender com ideias novas, Jaime.
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Fá menor disse...

Muito bom, meu amigo! Palavras que conseguem dizer todo um mundo negro de sub-vida. Que a Luz ilumine esses desertos!

Bom fim-de-semana!

Beijinhos.

A Paixão da Isa disse...

pois é o que muitas pessoas devem estar a ter neste momento de tanto estar em casa lindo poema bjs

Marta Vinhais disse...

Uma dor escondida... às vezes nem se encontra palavras para a definir...
Um poema interessante e como sempre, brilhante....
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

Olinda Melo disse...


Caro Jaime

Difícil ler este seu Poema sem experimentar
um certo sufoco. Dá para sentir o poder e
a força das suas palavras ao falar desse
mal subtil e traiçoeiro. E sente-se a pre-
potência desse deserto e a frágil vontade
da avezinha.

Gostei muito, meu amigo.

Abraço

Olinda

Giancarlo disse...

Buon fine settimana.

yonosoymillenium disse...

con mucho sentimiento, excelente

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei deste belo poema.
Um abraço e tenha um bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

SOL da Esteva disse...

O teu sentir a depressão descreve os medos e indefinições que afogam as Almas e os Corpos. É duro (até) o pensamento em tal mal.
Poema realista e um aviso a ter em conta.
Parabéns, Jaime.


Abraço
SOL

Ailime disse...

Boa noite Jaime,
Gostei da forma como abordou o tema "depressão" num magnífico poema.
Um assunto, bem atual, que não pode ser ignorado.
Beijinhos e um ótimo fim de semana.
Ailime

Manuel Veiga disse...

belo poema,
com a tua consagrada marca de qualidade...

abraço, meu caro amigo

Mariazita disse...

Como que caminhando em areias movediças... absorvi cada um dos teus versos.
No final, fiquei com vontade de sacudir os ombros e dizer: nada disso! segue em frente!
Lindo!!!

RE - Ficaste curioso??? Então... bora lá à festa! Considera-te convidado! 😉

Votos de um Domingo feliz, meu querido Jaime
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Ygraine disse...

Oh WOW...how utterly, profoundly moving.
Reading this brought a lump to my throat and a year to my eye.😢
And the little bird sums it all up so vividly...the fragility...the helplessness...that depression brings.
Truly wonderful writing, my friend!😊😊

Have a great day...and stay safe!

Kisses xxx

Teresa Almeida disse...

O tema é depressivo e o poema aí a escalpelizar-lhe as funduras.

Magnífico, meu amigo.

Beijos, Jaime.

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

uma maneira subtil de escrever e levar os leitores a muitas ilações.
um poema dorido que está muito actual.
^tentemos que a avezinha voe e não se deixe morrer.
porque ainda há tanto para viver
Boa semana com muita saúde.
beijinhos
:)

Ana Tapadas disse...

Gosto de te ler pela novidade de cada poema. O tema abre-se ao mundo e toca a realidade na sua linguagem singular...

Beijo

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Jaime! Como sempre, oferta-nos belas criações.

Abraços,

Furtado

Graça disse...


O que sempre admirei em ti é esta capacidade de criares poesia a partir de qualquer assunto.

Fica bem.

Vanessa Vieira disse...

Olá poeta! Que profunda sua reflexão! Triste demais quando esta falsa fé nos pega de supetão!!! Temos que reunir forças do fundo da alma para mandá-la longe!

Um grande abraço pra ti!


Participe do III Sarau Virtual Quarentena Poética

Juvenal Nunes disse...

Assim é a nossa caminhada na vida, na procura dos "fios do rumo" até que o conforto nos permita lançar "as âncoras do prumo".
Saudações poéticas.
Juvenal Nunes