Translater

quinta-feira, 13 de maio de 2021

Falo apenas do que sei [331]


 

Falo das coisas reais

da minha imaginação,

porque o que não imagino,

não existe.

As flores que vão surgir

no meu jardim já existem

na minha imaginação,

mas nunca haverá flores,

nem primavera, no tráfico

e na exploração de pessoas,

nas missas do padre pedófilo,

no racismo, na xenofobia,

na corrupção, na poluição

ou em qualquer ditadura.

Falo apenas do que sei,

porque se falar do que não sei,

passo a sabê-lo.



52 comentários:

Porventura escrevo disse...

Excelente descrição do surreal, do abstrato.
Gostei Jaime

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

" R y k @ r d o " disse...

Meu bom amigo, Jaime Portela

O meu elogio por tão belo e salutar poema. Onde ASSINO?

Abraço

Ygraine disse...

WOW...this fantastic poem truly took my breath away!
Your words reflect precisely what I feel in my Soul...so I try always to think happy thoughts. I have always believed in the power of thought. Never has there been a truer quote, "As man thinketh, so be becomes"!
WOW again!!😊😊

Have a great day, my dear friend!

Kisses xxx

Fá menor disse...

E há tantas coisas (de) que não sabemos... nada, nem metade, nem uma ínfima parte... o que não quer dizer que não existam. Só não existem para nós, que as não conhecemos.

Beijinhos, amigo Jaime. Tudo de bom.

Jornalista Douglas Melo disse...

Caro Jaime,
Sejamos sempre verdadeiros, assim, como são as flores em vida, beleza e olor.
Tem uma frase minha que diz:

“As verdades dos homens e os espinhos das flores são necessários, mesmo que faça doer!”

Belos versos!
Abraços e cuide-se!!!

A Paixão da Isa disse...

pois hoje em dia o mal de certas pessoas é falar sem saber hehe lindo poema bjs saude

Marta Vinhais disse...

Um poema brilhante como sempre....
Se pudéssemos mudar o Mundo apenas com a força da nossa imaginação, do nosso desejo de que a Primavera seja real...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Maria Lucia (Centelha) disse...

Poema instigante , versos filosoficos que levam a pensar, querido poeta!
Tudo que existe em concreto no mundo das formas, com certeza já existia na mente de alguém. Isso é metafísico, Jaime Portela!! Adorei. Parabéns!

Bjo carinhoso.

Ailime disse...

Boa tarde Jaime
Um poema magnífico!
Nunca haverá flores onde houver perversidade!
Um beijinho e saúde.
Ailime

lua singular disse...

Oi Jaime,

Todas as poesias e contos que escrevemos não tem valor, pois sempre tem alguém que pensa"eu faço melhor". Então que faça.
As poesia que contam um pouco da minha vida são aquelas mais visualizadas com de mais de 1000.000 de visualizações(elas estão em destaque do lado direito nossa tela.
Acredito que ninguém viva de poesias a não ser for uma auto ajuda.
Você escreve muito bem Jaime.
Gosto das suas poesias
Abraços
Lua Singular

lua singular disse...

Oi Jaime,
Adorei a sua poesia.
Elas saem do fundo do seu coração
Obrigada
Lua Singular

Isamar disse...

E fala sempre com muito sentimento, inteligência e com muita verdade!
Nunca haverá flores na podridão do mundo :(
Magnífico poema a retratar a tristeza e a doença que corre pelo mundo.
Querido Amigo Jaime desejo-lhe um resto de semana feliz, sempre com enorme inspiração poética.
Fique bem, beijinho!

Roselia Bezerra disse...

As flores que vão surgir

no meu jardim já existem

na minha imaginação,

mas nunca haverá flores,

nem primavera, no tráfico

e na exploração de pessoas,

nas missas do padre pedófilo,

no racismo, na xenofobia,

na corrupção, na poluição

ou em qualquer ditadura.

Boa tarde de paz, amigo Jaime!
Foi uma das poesias florais mais lindas, porque muito real, que li neste ano.
Uma verdade que eu também compactuo integralmente.
Estes jardins citados por você só possuem joios, flores jamais.
Parabéns!
Tenha uma noite abençoada!
Abraços fraternos

Dalva Rodrigues disse...

Belíssimo, meu amigo!
Há uma porta entre o que está dentro e o que está fora, mesmo que o exterior seja mais tentador é preferível saber das coisas lá do fundo da alma com nosso caráter já construído, disso podemos e devemos falar, livremente, sem medo, sem causar dano.
É sempre um prazer ler seus escritos, Jaime! Abração!

Fê blue bird disse...

Boa noite, amigo Jaime.
Um poema filosófico sobre o saber, ou não saber.
As flores da imaginação são verdadeiras e belas, a contrastar com a realidade da vida.
Quantos falam do que não sabem...

Grande abraço meu amigo.

Amélia disse...

Brilhante poema com imaginação.
R. Ainda há dedais estou com a crise de preguicite rsrs. No fim de semana regresso com novidades.
Continuação de boa semana
Beijinhos

Ana Tapadas disse...

A realidade aparente...a dureza do que existe.
Excelente.
Bj

São disse...

É bom ler-te, porque consegues dizer tanto de mim....

Te abraço com estima, meu amigo!

J.P. Alexander disse...

Genial poema te invita a pensar y reflexionar sobre tantas cosas. Te mando un beso

Pedro Coimbra disse...

E há por aí tanta gente que passa o tempo a falar do que obviamente não sabe.
Abraço, bfds

Juvenal Nunes disse...

Uma imaginação fértil sustenta-se sempre em factos reais.
Abraço amigo.
Juvenal Nunes

Sandra Figueroa disse...

Tus versos hablan poeticamente hermoso. Saludos amigo Jaime.

silvia de angelis disse...

Una lirica molto intensa, e significativa, che ho molto apprezzato, nel suo significato.
Cari saluti,silvia

Os olhares da Gracinha! disse...

É que falar do que não sei pode gerar confusão!
O meu aplauso 👏👏👏

Maria Dolores Garrido disse...

Bela ideia na raiz do poema, Jaime. De facto, o real e o imaginário confundem-se muitas vezes e fica-se na dúvida do que prevalece.
Sim, também acho que, nesses espaços, não há lugar para flores. Disso não tenho dúvida nenhuma.
Um abraço e bom fim de semana

Beatriz Pin disse...

Bo día Jaime,
A súa poesía, qurendo ou sem querer, acho que é muito profunda e filosófica. Sempre ha uma segunda lectura...
Concordo con você que neses outros lugares erroneos, não medrarám flores.
Que passe uma boa fin de semana.
Abraço

SARA disse...

Jaime!
Mais um lindo poema amei de coração💓💓um bjo😘

Graça Pires disse...

Os seus poemas, meu Amigo Jaime não celebram o mal, mas sim o que é belo.
Um bom fim de semana. Muita saúde.
Um beijo.

stella disse...

Hola Jaime es una opción estupenda esa de no hablar de lo que no sabemos.
el problema es cuando no sabemos y exponemos sin conocimiento cosas que como bien dices ni existen...
Que tengas un buen fin de semana
Un abrazo
Carmen

eli mendez disse...

La poesia es un medio maravilloso
para hablar de lo que sabemos
y tambien de nuestros sueños y anhelos
Una hermosa entrega hoy amigo Jaime!!!
Belleza de poema!!
Te dejo un abrazo
Bonito fin de semana!

Cidália Ferreira disse...

Mais uma magistral poema! Parabéns, Sr Jaime!

-
Neste sossego aonde me permito esperar ...
-
Beijos e um excelente fim de semana!

Giancarlo disse...

Bella poesia.
Buon fine settimana

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e outros textos literários. disse...

"Falo apenas do que sei".
Com palavras gota à gota,
Para não ser boca-rota
Nem plebeu metido a rei.
Andar na linha e na lei
É dever do cidadão,
visto que as palavras são
Ferinas como a espada.
Falar sempre em voz pausada
Com respeito e atenção.

Gostei do poema! Parabéns, amigo! Laerte.

José Carlos Sant Anna disse...

Poema sem disfarce em que o eu lírico mostra sua rejeição ao dissonante.
Belo poema,caro poeta.
Faz tempo que não deixo legível minhas pegadas.
Um abraço

Maré Viva disse...

Há sempre um conselho, uma lição de vida na tua poesia!
Se todos falassem apenas do que sabem, a vida seria mais justa e o caminho mais fácil.
Um abraço.

SOL da Esteva disse...

Relato das coisas (infelizmente) reais que acontecem não por imaginações poéticas.
A intervenção da Arte da Poesia é, aqui, dignificada.
Obrigado, Jaime.
Parabéns.


O meu abraço
SOL da Esteva

Maria Rodrigues disse...

Um poema sublime.
Beijinhos

Emília Pinto disse...

" Covil de nevoeiros ", chamaste tu ao teu poema anterior e, neste, na minha opinião ( que pouco importa...) tratas de uma sociedade coberta por um nevoeiro cerrado que, de vez em quando, é aliviado por um sol medroso que tenta a todo o custo atravesså-lo; é nestes curtos espaços em que o sol consegue penetrar que conseguimos vislumbrar alguns " podres " desta nossa sociedade tão preversa que tenta enganar os demais com as bajulações, com as suas promessas, com um agradinho aqui e acolá, com a " santidade " mostrada no altar, aos fiéis tantas vezes carentes de palavras de esperança. Não sei, Amigo, Jaime, mas parece-me que aqui também poderiamos usar a expressão, " covil de ladrões " , porque é isso que são todos os que aqui retratas, corruptos, traficantes de pessoas, pedófilos, patrões que mais parecem os antigos senhores de escravos, padres, etc, etc. Os ladrões são conhecidos por roubarem bens materiais, mas todo os outros, não serão eles ainda piores? Acho que são! Roubam os sonhos, roubam a dignidade, roubam a esperança de uma vida melhor e o que ainda mais choca, há os que roubam a inocência de uma criança praticando actos que elas nem sequer sabem identificar, mas que as marcam para a vida, feito criadores que, com ferro em brasa marcam o seu gado Se me permites, Jaime, um " covil de ladrões " é o que sinto e o que digo desta " escumalha " que anda por aí, escondendo-se o mais possivel nos nevoeiros que escurecem o céu, mesmo sendo primavera. Espero que me desculpes pela intromissãozinha, mas, não quis alterar o titulo do poema, nem pensar....simplesmente deixar a minha opinião, deixar escrito o que pensei ao ler-te. Muito, muito bom, Amigo e também pertinente. SAÚDE para todos . Um beijinho
Emilia






Tais Luso disse...

Muito bom, amigo Jaime!! Gostei imenso.

"Falo apenas do que sei,
porque se falar do que não sei,
passo a sabê-lo."

rss, mas nem sempre é bom sabermos!!!

Um bom domingo,
um beijo, amigo.

yonosoymillenium disse...

pues si, habla de lo que sabes, o infórmate antes

Elvira Carvalho disse...

Um excelente poema, uma pedrada no charco da imundice em que alguns energúmenos transformam a vida.
Estou de volta depois de três dias de cama, com febre, dores no corpo todo, vómitos e inchaço nos pés e mãos. E como toda a gente me diz que o pior é a segunda dose, estou bem arranjada. Bom mas o que interessa é que hoje já estou bem.
Abraço, saúde e bom domingo

Majo Dutra disse...

Afinal, são factos reais ou imaginação tua?!!

Estranha filosofia!

Boa semana, Jaime. Abraço
~~~~~~

Megy Maia disse...

Boa noite, caro amigo Jaime!
Sinto tanta crueldade em redor do viver de hoje em dia!
Jardins tão corrompidos!
Somente desejo luz e que seja feliz!
Um abracinho!
Megy Maia🌻🌼🌻

R's Rue disse...

Beautiful.
www.rsrue.blogspot.com

Rosemildo Sales Furtado disse...

Com certeza, também não haverá flores na Praça dos três poderes, em brasília, aqui no Brasil. Belo poema Jaime.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Pedro Luso disse...

Olá, amigo Jaime, o poeta tem mesmo as vantagens que lhe proporcionam a imaginação, ele cria rios, riachos e lagos, ele cria estrelas e astros, a imaginação não tem limites para o poeta.
Parabéns pelo poema, Poeta.
Uma boa semana, caro Jaime, com saúde.
Um grande abraço.

Simple Girl disse...

Belo poema :)

Luma Rosa disse...

Oi, Jaime!!
Muito esperto!! Tem coisas que não queremos que exista, mas não por isso elas não existam e não pensar nelas, certamente nos afasta da sua existência.
Beijus,

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

Pois assim é.
Poema surreal e bem urdido.
Dias abençoados cheio de muita saúde é o que lhe desejo.
Beijinhos

:)

http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/

Ana Freire disse...

Uma grande parte dos problemas do mundo, passam pelo que não se sabe... mas principalmente, pelo que nem se quer saber!...
Cuidemos do que já se sabe... pois se cada um, o fizesse... já daria para salvar um mundo inteiro!... Tantas vezes se sabem os factos... mas são as causas e consequências... que continuam a manter este nosso mundo, tão fora dos eixos...
Um poema aparentemente simples, que encerra um profunda complexidade! Muito bem concebido, Jaime! Mais um, dos que nos fazem reflectir... sobre a causa das coisas...
Beijinho! Feliz semana!
Ana

teresadias disse...

Excelente poema, amigo Jaime. Gostei imenso.
Beijo.