Translater

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Exijo que me indiquem o caminho [401]

 

Exijo que me indiquem o caminho
para sair do buraco da guerra
[mais fundo e ainda mais vasto
que o Curral das Freiras]
onde estamos atolados.
É preciso recusar esta aldeia global
onde não há paz

e onde há cultos apregoados

omitindo o tributo da riqueza.
Exijo ainda que me tragam brisas
dos paraísos fiscais,
para onde foge muito do nosso suor,
onde hastearei uma bandeira
no mastro da nossa vitória.

Mas precisamos, já e não depois,
que a verdura cresça de novo
na janela do nosso otimismo
antes que a chuva lave as ideias,
para que os mísseis não se arrastem
no passo frio da mansidão das sanções.
Também exijo que nos devolvam

todas as pombas brancas que fugiram

por falta de ramos de oliveira.
Precisamos, afinal,
de enterrar o pesadelo das bombas
para ordenar a fertilidade
como a única lei do recomeço
e acordar na leveza compacta
das coisas triviais.

 

© Jaime Portela, Maio de 2022


38 comentários:

Porventura escrevo disse...

Excelente análise do real,jaime.abraço

Marta Vinhais disse...

Precisamos sim de recomeçar, reconstruir, resgatar ideias.... para que haja finalmente Paz....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Caterina disse...

Stupenda questa poesia, portatrice di un messaggio importante a cui tutti aneliamo. Perfetto il finale della poesia. Complimenti, Jaime. Buona giornata.

Cláudia disse...

Adorei, apesar do tema.

Boa semana

Mário Margaride disse...

A triste realidade da guerra, bem descrita neste excelente poema!

Votos de uma excelente semana, caro amigo Jaime.
Abraço amigo.

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

Janita disse...

Que bom seria, amigo Jaime, que os senhores da guerra ouvissem/lessem, esta sua exigência e, prontamente, lhe dessem ouvidos e acatassem tão sensato e humano apelo. Que bom seria!
Neste seu belo poema encontramos tudo, absolutamenete tudo, o que o Mundo precisa para viver e deixar viver, em Paz.

Um abraço e uma excelente semana, Poeta.

Graça Pires disse...

"Também exijo que nos devolvam
todas as pombas brancas que fugiram
por falta de ramos de oliveira."
Tão bela esta forma de falar da paz, meu Amigo Jaime.
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

Maria Lucia (Centelha) disse...

Um grito justo, um brado legítimo dos indignados, através da poesia, foi o que repercutiu em mim.
Parabéns poeta. Gostei.
Beijo pra ti.

" R y k @ r d o " disse...

A Guerra é um horror. Só um maldito e malvado sanguinário como Putin teria coragem para originar uma guerra que está a destruir um País e a matar indiscriminadamente adultos e crianças.
Um Poema que nos mostra um caminho difícil mas tem de ser alcançado. O caminho da Paz. Muito bonito sem dúvida.
.
Cumprimentos, alegria e poesia.
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Fá menor disse...

Carradas de razão! Gostei muito.

"É preciso recusar esta aldeia global", mesmo!

Que sempre a voz se eleve quando for mais preciso. Isto anda um caos.

Beijinhos, amigo Jaime. Boa semana!

Kathy Leonia disse...

so cool

Franziska disse...

¿Dónde hay que firmar para unirme a tus exigencias? Sin embargo, hay que decirlo, ha conseguido que la mayor parte del planeta, se ponga del lado del más débil. Esto jamás había ocurrido.
Un abrazo.

Parapeito disse...

Gostei muito.
Precisamos mesmo caro Jaime.
A paz é mais precisa que nunca mas terá o homem verdadeira vontade para fazer acontecer ?
Será que se todos exigirmos vamos conseguir?
Quem dera!
Gostei muito de o ler.
Brisas doces**

brancas nuvens negras disse...

Um poema com um imenso conteúdo, expressiva posição a favor da paz.
Um abraço.

Teresa Isabel Silva disse...

Muito interessante! Os meus parabéns por mais um belo poema!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

Paula Saraiva disse...

Um poema encantador a favor da paz.

Muito bom.
Beijinhos e uma boa semana

Paula Saraiva disse...

Um poema encantador a favor da paz.

Muito bom.
Beijinhos e uma boa semana

Cidália Ferreira disse...

Muito bom...Adorei :)
-
Beijos e uma excelente semana!

Majo Dutra disse...

Andamos todos pasmados e confusos...
Sublinho -- «no passo frio da mansidão das sanções.»
Eu li que a Alemanha ia enviar material bélico, depois que tinha ofertado uma montanha de euros para a compra de material bélico... Comprar a quem?!!
Que se ajude a Ucrânia depressa e em força, mas de onde surgiu tanto dinheiro?!
Quando estivemos aflitos, até ficámos sem feriados!!

Pertinente e contundente na medida certa.
Boa semana de Maio. Abraço.
~~~~~~

Leonor C.. disse...

Voltei á sua poesia, depois de tanto tempo.
Penso voltar a publicar no meu blogue...

Leonor C.. disse...

Nunca mais escrevi...

Fatyma Silva disse...

Amigo Jaime, um grande poema com as verdades da atualidades.
Difícil é quem sofreu o terror da guerra, conseguir enterrar o pesadelo das bombas!

Tenha uma boa semana, na paz.

Um abraço.

J.P. Alexander disse...

Reflexivo y fuerte poema. Te mando un beso.

Pedro Coimbra disse...

Afastar, seja como for, aquele bandido assassino.
Esse é o único caminho.
Abraço

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Impensável em pleno século XXI esta estupida guerra.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

© Piedade Araújo Sol (Pity) disse...

Boa tarde JP

Um poema que analisa uma fase que estamos a passar.
Muito realista!
Continuação de uma boa semana com muita saúde.
Um beijo

:)

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma exigência perfeitamente natural!!!👏👏👏... Boa semana Jaime!

Rainbow Evening disse...

we need normal life without nightmare now, not tomorrow...

# Excellent poem to ask the peace to whom may concerns

Glória Vilbro disse...

Olá, boa tarde, Jaime
Precisamos mesmo. Precisamos do fim da guerra, do regresso da paz, da sanidade que tão arredada parece andar do juízo dos homens.
Maravilhoso poema, bem a proósito dos nossos tempos conturbados. Beijinhos:)

lis disse...

Tenho também inúmeras exigências , Jaime
e as complementos com as suas que são bem universais e oportunas
Que sejam cumpridas pelos deuses.
meu abraço forte , amigo

Manuel Veiga disse...

ino poemaofelizmebte a estupidez desta querra sái anos se atraso civilacional

O poema é muito bom e está muito bem

forte abraço

manuela barroso disse...

O teu grito, a tua revolta é tão intensa que ouvi aqui!
É, meu amigo, ainda que haja palavras de paz e inconformismo como as tua poesia , são muitos os mísseis de cobardia, de ódio em plena época onde até há inteligência artificial mas incapaz de interceptar os ventos.
Grande Poema!
Beijo para ti

stella disse...

Poema grito a la locura de la guerra, me ha conmovido, emocionado y los sentimientos estan a flor de piel
¡Que bien has relatado desde la poesía el drama de la guerra, ésta y todas las guerras
Te felicito jaime
Un abrazo

Pedro Luso de Carvalho disse...

Olá, amigo Jaime,
o mal cometido numa vila ou numa cidade já é crime
imperdoável, imagine se esse mal cometido na globalidade!
Qual a pena que se daria?
Um belo poema.
Um abraço e uma ótima semana.

Isamar disse...

Que posso eu dizer perante tamanho brilhantismo?
Querido Amigo Jaime continua a deslumbrar-me com a sua enorme inteligência poética.
Um beijinho

Ailime disse...

Boa tarde Jaime,
Um poema magnífico, muto bem estruturado, num apelo à PAZ!
Que, sem demora, essa guerra atroz tenha o fim que tanto almejamos.
Beijinhos,
Ailime

yonosoymillenium disse...

hay que saber aprovechar el tiempo, excelente poema

tb disse...

O deus dinheiro é regente desta gente que nos rouba a paz e os raminhos de oliveira, por isso difícil para nós.
Excelente, meu querido amigo!
Abraço de paz.