Translater

quinta-feira, 18 de agosto de 2022

Lentamente [428]

 


Lentamente, tudo ganhou forma

e se cobriu das mais variadas cores.

Terei sido eu o escultor ou o pintor

da obra de arte que representas?

O fio de água desce a montanha

por caminhos abruptos e,

a menos que seja impedido,

não tem outro destino

senão alargar-se até à foz.

No auge do seu caudal, deixa de ser rio

e passa a fazer parte do mar.

Apesar de já existires antes de te ver,

fui eu quem mais tarde te inventou.

Mas sei que deixei de existir, tal como fui,

desde que passei a fazer parte de ti.

Serás o rio que sozinho encheu o mar?

Ou o efeito que engoliu a sua causa?

 

© Jaime Portela, Agosto de 2022


33 comentários:

brancas nuvens negras disse...

A natureza como metáfora do amor.
Um abraço.

Porventura escrevo disse...

Sempre profundidade poética
🙂
Bravo jaime

Olinda Melo disse...


Bom dia, Jaime

Perguntas sem resposta ou lá bem no
âmago existem todas as certezas?
O certo é que gostei delas, dessa
fragilidade que o amor induz, de
não se saber já se o nosso ser transmigrou
de vez para fazer parte integrante
de outro ser. Irremediavelmente!
Abraço
Olinda

Marta Vinhais disse...

O amor é o rio, é o mar, as ondas, os gritos das gaivotas nos dias da tempestade...
Vence, contorna os obstáculos e declara-se à noite, ao dia...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Cláudia disse...

Uau! Perfeito =)

Um feliz dia

- R y k @ r d o - disse...

Poema intenso, profundo, brilhante
.
Cumprimentos cordiais e poéticos
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

ematejoca disse...

Há uma nuance filosófica neste seu poema, Jaime.
A natureza como metáfora do amor?!
ou
O amor como metáfora da natureza?!

Saudações das margens do rio Reno 🌊

Os olhares da Gracinha! disse...

Terei sido eu o escultor ou o pintor
da obra de arte que representas?...👏🧡😘

Cidália Ferreira disse...

Gostei bastante. Obrigada pela partilha!!
-
A vida, é como uma janela aberta ...

Beijos. Boa Quinta-Feira!

Lucia disse...

Bonito poema caro Jaime.
Interessante a mistura com a natureza.
Mas é isso, a natureza é amor, é do amor.
Bom restinho de tarde e feliz noite.
Beijo!

Manuel Veiga disse...

um poema de grande nível
gostei muito em conhecer

abraço

Fá menor disse...

Belíssimo!

Que lentamente se desenhe sempre a vida!

Beijinhos e tudo de bom, amigo Jaime!

Anónimo disse...

você escolhe.

Caterina disse...

Ogni volta mi incanto nel leggere le tue bellissime poesie! Bravissimo, Jaime. Buona serata.

Pedro Luso de Carvalho disse...

Olá, amigo Jaime,
mais um belo poema seu que encontro
aqui neste importante espaço poético.
Poema inspirado e de grande beleza.
Aplausos, Poeta!8Um bom final de semana,
forte abraço.

J.P. Alexander disse...

Bello y romantico poema. El amor esta en aire y en nuestro entorno. Te mando un beso.

Mujer de Negro disse...

Una hermosa metáfora del recorrido de la naturaleza, lento, suave y con firmeza
Un placer conocer tu espacio, un abrazo, Jaime

Pedro Coimbra disse...

Muitas vezes somos mesmo nós a inventar as cores do quadro que é só preto e branco.
Abraço, bfds

Regina Graça disse...

O rio corre, não pode deixar de correr, mesmo que lentamente. O amor é mar à espera.
A seu mestria poética, amigo Jaime, é um manancial sempre trasbordante de beleza.


Beijinhos, bom fim de semana

Mister Vertigo disse...

Caro Jaime Portela!
Li várias vezes este belo poema.
Bom fim-de-semana!
Um abraço!

Mário Margaride disse...

Olá, caro amigo Jaime,
Mais um belo poema de amor aqui nos traz, onde de forma metafórica, reflete todo o sentir.
Gostei muito.
Votos de um excelente fim de semana, com muita saúde

Luiz Gomes disse...

Boa tarde meu querido amigo Jaime. Desejo um bom final de semana com muita paz e saúde.

Meulen disse...

El amor siempre vive...
en su corriente vamos todos aún , a pesar que mucho lo denigran
en es río fluye lo mejor.

Elvira Carvalho disse...

Um belíssimo poema.
Eu estou voltando aos poucos, meia hora de três em três horas. Vamos ver se desta vez o tratamento resulta e a visão melhora substancialmente.
Abraço, saúde e bom fim de semana

SOL da Esteva disse...

Brilhante e intenso Poema. O meu aplauso.
Parabéns, Jaime

Abraço
SOL da Esteva

Paula Saraiva disse...

Adorei. Parabéns
Beijinhos e tenha um ótimo fim de

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei deste belo poema.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Lucinalva disse...

Bom dia, Jaime
Lindo poema, um ótimo final de semana, abraços.

Ana Tapadas disse...

Excelente poema! Gostei muito, cada vez modulas melhor as palavras!
Beijinho

Janita disse...

Amigo Jaime, ando com tanta preocupação a ocupar-me a mente que pensei já ter comentado este seu "Lentamente". veja por favor se eu comentei e ele, o comentário, se alojou no Spam.

De volta aos poema e ao fio de água que desce as montanhas por entre caminhos tortuosos, penso que a força que o levará até ao mar, serão outros seus iguais que a ele se juntam e o tornam mais forte e vigoroso.
Assim, são os sentimentos e os afectos.

Um forte abraço, caro Poeta!

Maria Dolores Garrido disse...

Várias questões para várias sensações que só poderiam resultar de 'escultor ou pintor'.
Bom domingo, Jaime, com boas maresias.
Um abraço

MARILENE disse...

São sempre ricos os seus versos, Jaime. Neles navegamos, buscando o sentido que você dá, de forma especial, ao contorno dss palavras. Você é o escultor e o pintor, com obras que aplaudo. Abraço.

Ana Freire disse...

E como água é vida... e a vida sempre resulta de um acto de amor... o amor, nunca perde a sua causa... está em toda a parte, não se perdendo... mas apenas em constante transformação... e adaptação!
Adorei este poema... de um tocante dinamismo, e de belas e apaixonantes analogias!
Um beijinho
Ana