Translater

quinta-feira, 15 de março de 2018

Meio afogado e nu



Vou fazendo os meus poemas
com a vontade que as palavras
ganham ao escrevê-las,
como se elas tivessem vida própria
e eu não.
Ainda assim, procuro vergá-las
para as fazer pulsar do que sinto,
numa luta contra a corrente
de um rio onde arrisco a despir-me
para melhor o atravessar.

Vou caminhando para ti
de igual modo, com o desejo
nos passos que invade o meu andar
ao percorrer o trajecto,
como se eles tivessem vontade própria
e eu não.
Confesso que tento resistir
para esconder o que sinto,
mas o entusiasmo vivo do rio
vai-me arrastando para a foz.

A menos que fujas,
mais cedo ou mais tarde chegarei a ti
vestido de fogo e sem palavras,
ainda que meio afogado e nu.


Jaime Portela


51 comentários:

Gil António disse...

Quando os poemas sem rima, são rimas de doces poemas
Lindo de ler o seu poema.
.
* Se te amar for pecado ... Então sou um Pecador *
.
Cumprimentos poéticos

Beijaflor disse...

Caro Jaime,

Na correnteza das palavras
Nota-se a nudez expressa
Que fertilizam suas lavras
Em amor, ditas sem pressa.

Boa continuação e fim-de-semana

Abraço

Os olhares da Gracinha! disse...

Como sempre belo e subtil agradável de se ler!!!bj

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde!
Parabéns pelo soberbo poema!! Amei

Beijinhos

Josélia Micael disse...

Boa noite amigo Jaime!
Passei para lhe dizer que a sua poesia é como sempre maravilhosa, deixo-lhe um beijo fraterno...
e os meus parabéns, fique com Paz e Bem!
Seja muito feliz!

Josélia

Marta Vinhais disse...

E as palavras confessam toda a paixão que se escreve no corpo...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

tulipa disse...


Olá Jaime

Gosto de pegar nas suas palavras
e ir escrevendo o que sinto

Vou fazendo os meus poemas
só quando me chega a inspiração
tem dias
conforme está o coração!

Vou caminhando por aí
na esperança que me visite

Beijinho

HD disse...

Vergar as palavras... muito bom!
Abraço!

Teresa Almeida disse...

Fantástico o entusiasmo vivo do rio! Um rio que nada teme e vai desvendando maravilhosos trilhos poéticos.

Beijinho, amigo Jaime.

Andreia Morais disse...

Sem palavras! O poema está encantador *.*

r: Obrigada e igualmente

Kasioles disse...

Cuando las palabras están escritas con el corazón, son como aves que surcan el cielo y llegan siempre al corazón del lector.
Tus poemas lo logran.
Cariños y buen fin de semana.
kasioles

Luísa Fernandes disse...

https://poemasdaminhalma.blogspot.pt/
Boa noite Jaime, Meio afogado e nu, vou fazendo os meus poemas.
Na verdade, maravilhosos poemas!
Abraço amigo.
Luisa Fernandes

Pedro Coimbra disse...

Quando se ama não há obstáculos que resistam.
Aquele abraço, bfds

Graça Pires disse...

As tuas palavras de amor nunca são contra a corrente, Jaime. És tão exímio a manejá-las...
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Marina Filgueira disse...

Pues a por ello, Jaime, que el tiempo de amar nadie sabe a ciencia cierta lo duradero que va a ser, ya sabes, el refrán aquel, todo lo que comienza, termina: así que a por ello sin demora.

Ha sido placentero leerte. Buen fin de semana junto a mi gratitud y estima.

Olinda Melo disse...

Sorrio ao ler os últimos versos, perante a imagem e determinação que eles me sugeriram. Um dos seus mais belos poemas, caro Jaime. Amar despido de tudo. Gostei muito.

Abraço.

Olinda

luar perdido disse...

Amigo Jaime,

mais vale chegar meio afogado e nu, que não chegar de todo.Sinal que o amor, a paixão e o desejo vibram bem alto na vida.
É verdade, querido amigo, o meu post foi para o meu pai que faria 91 anos, no dia 13, se ainda estivesse ao meu lado. Agora também já tem a "sua menina" ao seu lado (a minha mãe) que se lhe juntou em Janeiro. É assim... Tudo na vida tem inicio, meio e fim.
Obrigada.
Bom fim de semana.

beijo de luar

© Piedade Araújo Sol disse...

e chegar já é tanto...não importa como se chega...
belíssimo poema
beijinhos
:)

Mariazita disse...

Maravilhoso poema!
Às vezes queremos contrariar o que sente o coração, mas os passos acabam por nos encaminhar para o ser amado.
Gostei muito.

O meu dedinho (o polegar, o outro já está bom) está um pouquinho renitente, mas há-de ir ao sítio.
Obrigada pelo teu cuidado, amigo Jaime.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Suzete Brainer disse...

Mais um poema teu tão belo e singular, neste teu
caminhar pela Poesia a se inscrever excelente e
envolvente, com a riqueza da tua
expressividade (palavras e imagética).

Um ótimo final de semana, caro amigo Jaime.

Beijo.

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

Mais um dos belissimos poemas que sempre lemos por aqui. Parabéns!

Convidamos-vos a ler o capítulo V do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/03/voar-sem-asas-capitulo-v.html

Votos de bom fim-de-semana
Saudações literárias

Célia disse...

Realmente, Jaime, a luta com as palavras, para tentar moldá-las ao nosso sabor, é inglória, pois, a correnteza das mesmas, desnudam-nos...
Abraço.

Zilani Célia disse...

OI JAIME!
MUITAS VEZES QUEREMOS DIRIGIR A CORRENTE DE PALAVRAS, MAS, ELAS NOS VENCEM COMO SE VIDA PRÓPRIA TIVESSEM E AO TERMINARMOS, NOS SURPREENDEMOS COM O QUE SE DESENHA NO PAPEL.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Vale sempre a pena o amor,mesmo que seja escrito por versos sem rimas,mas em cada palavra existe a sensibilidade d'alma.
Lindo demais amigo Jaime.
Bjs,obrigada pela visita e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

Gil António disse...

Passando a fim de desejar um feliz fim de semana. Se possível sem chuva forte nem vento.
.
* Nosso Amor ... a alvura do Universo *
.
Deixo cumprimentos.

Maria Rodrigues disse...

Um poema tão apaixonado e tão belo, simplesmente maravilhoso.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Elvira Carvalho disse...

tão bonito, Jaime.
Um abraço e bom fim de semana

Manuel Veiga disse...

muito bem! há que dobrar as palavras para lhes captar o sentido
e soltar os passos que levam ao amor...

excelente poema, caro Jaime

forte abraço

Majo Dutra disse...

É, de facto, uma intensidade espantosa...
A paixão descrita de forma singular e magistral,
com uma nota de humor que cai muito bem.
Gostei muito de ler, Jaime.
Abraço, Amigo.
~~~~

Enquanto a chuva cai... disse...



Bonito poema, Jaime. Gostei muito.

Bom fim de semana para vc também.

Teresa Isabel Silva disse...

Fabuloso!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Fá menor disse...

Muitas vezes a correnteza do rio arrasta-nos. Mas quantas vezes é preciso subi-lo contra a corrente?

Bom fim-de-semana, amigo!

Leonor C.. disse...

Olá, Jaime!

Há quanto tempo que não vinha ao seu blog!
Agora esta na moda o Facebook.

Lindas poesias...

Bom fim de semana!

Luna disse...

o rio pode subir serras e descer vales mas inevitavelmente acaba no mar,
bjs

SOLIDARIEDADE disse...

..."procuro vergá-las
para as fazer pulsar do que sinto..."
Temos a sorte de partilharmos uma das línguas mais ricas e românticas do mundo.
Belíssimo poema.
Abraços.

Rute Beserra disse...

As palavras nos encantam de uma maneira sutil. Lindo poema Jaime. Bjs bom dia

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Lindo caro amigo, sempre a surpreender!
Uma boa semana.
Abraço

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

SOL da Esteva disse...

Ah, o rio que tu és,
Correnteza que leva...
Nu e sem molhar os pés
Num Amor que te eleva
Não terás nenhum revés.


Abraço
SOL

betonicou disse...

Oim meu caro Jaime. Vai fazendo seus poemas com a maestria de quem rege uma grande orquestra de sentimentos. Creio que hoje teremos nova postagem em Curvas , retas e esquinas. Ficarei desconectado por uma semana de tudo. Indo pescar amigo. Grande abraço e feliz semana.

Arte & Emoções disse...

Olá Jaime! Passando para apreciar mais um dos teus belos poemas, com ênfase para o trecho abaixo:

Confesso que tento resistir
para esconder o que sinto,
mas o entusiasmo vivo do rio
vai-me arrastando para a foz.

Abraços,

Furtado

Anete disse...


Poetando se fala muitíssimo da alma. Há sempre expressões que revelam os sentimentos mais guardados.
Bonito poema.
Um abraço

Ana Tapadas disse...

«vestido de fogo»...linda construção!
Gostei muito do poema.
Beijo

Ana Freire disse...

Como sempre... é um prazer imenso, apreciar o fluir das suas palavras, Jaime... neste seu poético rio... vasto, de talento e romantismo... e sempre tão especial...
Mais um belíssimo momento poético, que adorei, por aqui descobrir!...
Beijinho! Boa semana!
Ana

Diana Fonseca disse...

Mais um poema lindo. E sim, as palavras ganharam mesmo vida.

teresa dias disse...

No Dia Mundial da Poesia, deixo um aplauso ao poeta.
Abraço.

Ailime disse...

Boa tarde Jaime,
Um poema lindo, bem ritmado, pleno de romantismo tão ao seu jeito.
Um beijinho.
Ailime

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e outros textos literários. disse...

Ah esse teu Rio Sem Margem!...
Rio de sonhos, dos poemas,
Do futuro e que não temas
Ir no teu rio em viagem!

Afogado e nu, é imagem
Do homem em lutas extremas
Mas tu no amor, sem problemas,
O nu é uma roupagem

Que cobre todo o universo
Do magnífico verso,
Em que a nudez, é um dado.

Portela, é bem o inverso:
Nesse rio, estás imerso
Na luz, como um iluminado.

Grande abraço. Laerte.

Maré Viva disse...

Palavras levadas pelo rio sem margens, são palavras lavadas, puras e de uma força enorme, como aliás é habito...
O poema está perfeito e agarra quem o lê.
Neste dia da poesia, é gratificante ler bons poemas. Obrigada!.
Um beijo.

Lígia Casaca disse...

Uma pitada de humor, é um momento de descompressão. Através das palavras tudo é possível ! Ser asa, frasco, moinho, vento, rio ,água, castelo, rei, mendigo, vestir-se, desnudar-se, ser vilão, profeta, fiel, infiel, gabarolas, discreto...

Gostei muito deste arranjo poético, menos bruma metafórica, mais real!

Boa semana , Jaime!

Beijo

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************
Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana.
Saudações poéticas.
*******************************************************************************

rosa-branca disse...

Lindo o teu poema. Beijos com carinho