Translate

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Destino




Do tempo,
em nós encavalitado
e incapazes de o impedir
rumo ao infinito irrevogável,
somos pauzinhos inúteis
na engrenagem do pêndulo sideral.

Nesse trajeto,
que acompanhamos
com a mesma influência das pedras,
reeditamo-nos em mortos futuros
para alongar a viagem
que sabemos finita.

Mas, incongruentes,
derretemos demasiado gelo no uísque
do nosso consumismo
e abreviamos enfatuados a excursão,
cada vez mais quente e contaminada.

Depois disso, o tempo caminhará
sem a nossa companhia,
a menos que tenhamos arte e engenho
de nos mudarmos para outro relógio
a tempo inteiro habitável.





61 comentários:

Larissa Santos disse...

Bom dia Jaime. Parabéns pelo seu poema. Muito bonito. ;))

Hoje:- Não sofras por não me teres, não é verdade

Bjos
Votos de uma óptima Quinta - Feira

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muito bom este Destino poético meu amigo, gostei deste seu trabalho.
Um abraço e continuação de boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

✿ chica disse...

Poesia linda,. versos que fazem pensar....Gostei muito! abraços, tudo de bom,chica

mz disse...

Jaime, tão verdade!
"...derretemos demasiado gelo no uísque..."

convictos que nos suaviza o álcool e que somos poupados ao veneno que nos intoxica.

Muito da vida está carregada desse gelo suavizante e enganador.

Gostei muito deste "Destino" poético, muito realista!

Beijinhos e resto de boa semana.

Célia Rangel disse...

Que abalo em nossa consciência por nos acharmos superpoderosos, inatingíveis... Apesar de nós, o "tempo caminhará"... É preciso que acordemos para essa realidade de seu intenso poema!
Abraço.

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma realidade em tom poético que eu gostei de ler!!! bj

Marta Vinhais disse...

Para esquecer a amargura??? E esquecermos que estamos vivos e que podemos lutar?
O tempo continua... nós temos que o fazer nosso também....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Cidália Ferreira disse...

Mais um maravilhoso poema!
Amei

Beijo e um dia feliz!

Nataline disse...

Lindo demais.
Bjo

PAULO TAMBURRO. disse...


OLÁ JAIME,

cheguei até aqui através do excepcional blog de minha amiga virtual, Taís Luso e gostaria de convidá-lo para que conhecesse os meus blogues.Num deles, HUMOR EM TEXTOS, esta semana descrevo o noticiário necrológico que tomou conta do Brasil.
Ficaria honrado com sua presença.
Um abração carioca e voltarei com mais calma para ver todo o seu blog se possível!

Majo Dutra disse...

Amigo,, quando mudar de relógio, avise-me
que eu também quero...
Seria bom haver uma maneira de fugir a esse
destino... para trás fica uma história...
Muito bom o seu poema reflexivo.
Abraço, Amigo.
~~~

Andreia Morais disse...

Mudar para outro relógio parece-me uma ideia interessante. E quantas vezes o pedimos, mesmo sem saber!
Sempre com poemas fabulosos *-*

r: Recomendo aquele livro. Apesar de ser grande (quase 900 páginas), é uma história que vale bem a pena ler.

Obrigada e igualmente*

Larissa Pereira dos Santos disse...

Que interessante, quero muito ter "essa arte e engenho de nos mudarmos para outro relógio a tempo inteiro habitável." Profundo e poético, parabéns!

Kasioles disse...

Sigamos caminando con esperanza e ilusión, el reloj del tiempo, por muy ingeniosos que seamos, no lo podremos detener. Has escrito un bello poema que nos hará reflexionar sobre lo fugaz que es nuestra existencia.
Cariños.
Kasioles

Pedrasnuas disse...

Querido amigo,não sou um pauzinho inútil, nem pensar!

Enfim, há tanto por fazer, para nos salvar como planeta e existe quem faça... esperemos que cheguem a tempo, a política do remedeio, não resulta! Falta sermos ativos como no estrangeiro. Ficamos na dependência do que o governo faz, como filhos crescidos à espera que os pais tenham iniciativa e façam tudo.

Ai destino da Humanidade... Adorei o poema!

Bom fim de semana.
Beijo

A Nossa Travessa disse...

Meu caro Jaimamigo
Do tempo, em nós encavalitado... é soberbo. Soberbo num poema soberbo é difícil mas tu gostas do difícil e assim é que é ser poeta. Muito bem, muito bom.

Um abração deste teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão
_________
Na Nossa Travessa pode ler-se um artigo intitulado Do smartfone à sogra

Hetero Doméstico disse...

O nosso consumismo turva-nos as ideias...
Abraço

Arco-Íris de Frida disse...

somos pauzinhos inúteis
na engrenagem do pêndulo sideral

Sera que somos mesmos pauzinhos inuteis?
Poema belo, instigante... que nos faz pensar...

Beijos...

Elvira Carvalho disse...

Um excelente poema, que é também uma advertência a levar em conta.
Abraço

Tais Luso disse...

Você já imaginou mudar o tempo, mudar tudo, deixar a vida pra trás e recomeçar?
Você é que me fez pensar!!
Beijo, um bom fim de semana!

Josélia Micael disse...

Gostei do seu poema!
É verdade amigo, somos mesmo uns pauzinhos mandados pelo tempo!
Nós não fazemos nada sem ele... essa é a realidade!
Beijo fraterno, e um óptimo fim de semana.

Pedro Coimbra disse...

Sempre acreditei no destino.
Podemos chamar-lhe outra coisa qualquer, mas sempre acreditei em algo que se costuma designar destino.
E acho que foi isso que fez que viesse para Macau, na época em que vim, que decidisse cá ficar.
Acredito nisso do fundo do coração.
Aquele abraço, bfds

Graça Pires disse...

Somos mesmo inúteis nesta engrenagem do tempo. E façamos o que fizermos ele será sempre finito e tão breve...
Muito bom, o teu poema Jaime.
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Daniela disse...

Parabéns ao Poeta!
=)

Bjinhos

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

Ah, o tempo... que não dá tempo ao tempo e nos arrasta sempre com ele.

Convidamos a ler o capítulo XIV do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/05/voar-sem-asas-capitulo-xiv_18.html

Votos de bom fim-de-semana!
Saudações literárias

Mariazita disse...

Seremos simples peões no tabuleiro de xadrez, do destino que não podemos controlar?
Ou simplesmente não queremos?
A viagem é finita, sim, mas no trajecto podemos, no mínimo, esbracejar.
Gostei muito deste teu poema que nos obriga a reflectir sobre o que realmente queremos e/ou podemos, amigo Jaime.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Marina Fligueira disse...

¡Hola jaime!

Pues el caso es vivir alegres el momento, y si hace falta un whisky‎ con hielo... también no pasa nada, verdad? Mejor que mejor- vivamos cada instante como si fuera el último puesto que en ese viaje... Nada se lleva. Aquí queda todo.

Ha sido un placer leerte. Feliz fin de semana.

Por un problemilla...No he publicado. A ver si sale algo a principios de semana.

Luísa Fernandes disse...

https://poemasdaminhalma.blogspot.pt/
Boa noite amigo Jaime!
Excelente poema... e por vezes verdadeiro... somos pauzinhos inúteis nesta engrenagem do tempo.
Interessante e reflexivo! Gostei.
Beijos amigo Jaime e ótimo fim de semana.
Luisa Fernandes

Zilani Célia disse...

OI JAIME!
MUITO VERDADEIRO.
NADA SOMOS E COMO BEM DIZES, SOMOS TAIS PEDRAS, SEM O MENOR PODER SOBRE O QUE NOS ESTÁ RESERVADO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

SOLIDARIEDADE disse...

O bom da inevitabilidade é a total certeza de que cada momento é único e não haverá outro igual. É por isso que a vida vale a pena. Bela conclusão.
Abraços

Olinda Melo disse...

Olá, Jaime

Um poema reflexivo que li e reli. Senti um baque, das duas vezes, perante estas palavras: "Depois disso, o tempo caminhará sem a nossa companhia" o que nos dá a perfeita consciência da nossa finitude e que é bom que façamos a diferença enquanto é tempo.

Abraço.

Olinda

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

O tempo continuará imutável; nós é quem dissolve o gelo no sangue afim de acrescentar volume á vida. Mas não dá!
Belo Poema.


Abraço
SOL

Maria Rodrigues disse...

Somos peças com duração temporal na imensa e intemporal engrenagem do tempo.
Maravilhoso poema
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

tulipa disse...


Que lindo poema.

Neste blogue respira-se poesia!
Poesia com palavras "caras"
Depois disso, o tempo caminhará
sem a nossa companhia,
a menos que tenhamos arte e engenho
de nos mudarmos para outro relógio
a tempo inteiro habitável.

Fico completamente reduzida a zero, ao ler tamanhas palavras!
Como a sua inspiração é genial.
Parabéns, Jaime

Tenho andado ausente, peço desculpas
às vezes é a disposição...outras o tempo, enfim

Mas quero agradecer-lhe
e MUITO pelas suas visitas aos meus blogues

Fiz hoje mesmo um post novo
convido a espreitar
se tiver tempo e disposição

Ver aqui:
http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/

Beijinho
Bom fim de semana

Teresa Almeida disse...

"Nesse trajeto,
que acompanhamos
com a mesma influência das pedras ..."

Aí está! Gostei muito da teu poema e da relexão que lhe é intrínseca.

Beijinhos e bom domingo, amigo Jaime.

teresa dias disse...

«reeditamo-nos em mortos futuros
para alongar a viagem
que sabemos finita»
Amigo Jaime, há tanta verdade neste poema soberbo...
Gostei MUITO!
Beijo e bom fim-de-semana.

BETONICOU disse...

O tempo e´implacável meu caro poeta, e aproveitemos então o máximo para escrever belas linhas, assim como o fez. Feliz fim de semana Jaime. abraço.

Lu Dantas disse...

Lindo poema, meu amigo! ;)

beijos!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

Suzete Brainer disse...

Como apreciei este teu poema, uma profundidade existencialista
que imprime a reflexão.
Daqueles poemas excelentes que ecoa no leitor:
"Depois disso, o tempo caminhará
sem a nossa companhia,
a menos que tenhamos arte e engenho
de nos mudarmos para outro relógio
a tempo inteiro habitável."

Parabéns pelo excelente poema, amigo Jaime.
Beijo.

saudade disse...

Vim matar a sede das tuas belas palavras...
Beijo de....
Saudade

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

eu costumo dizer que somos apenas actores de um palco que é a vida...

tudo é um ciclo.

gostei da maneira como abordou o poema.

boa semana.

beijinhos

:)

Pedro Luso disse...

Assim é o nosso destino, como está registrado no seu excelente poema, pois o tempo marca os nossos passos. Parabéns amigo Jaime.
Uma ótima semana.
Grande abraço.
Pedro

Ana Freire disse...

Um belíssimo trabalho poético, que também nos faz pensar... na fragilidade do nosso próprio tempo... tantas vezes comprometido, com as nossas escolhas de vida... perseguindo a felicidade... que consumimos... na forma de coisas... felicidade esta... que apresenta sempre uma factura... com alto custo... contaminando a nossa existência... e quantas vezes, a nossa própria saúde!
Mais um trabalho de excelência, Jaime! Adorei ler!
Beijinho! Desejando-lhe uma excelente semana...
Ana

Arte & Emoções disse...

Olá Jaime! Belo, profundo e um tanto metafórico o teu poema. O relógio não para e a implacabilidade do tempo não perdoa.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Emília Pinto disse...

Não acredito no destino, porque, se já tudo estivesse traçado, não haveria razão para nos esforçamos e sermos cada vez melhores no futuro, mas, tenho que começar a convencer-me de que a morte é certa e que não somos insubstituíveis, como muitas vezes, com arrogância, nos achamos; o tempo passa ao seu ritmo, a vida roda feita uma roda viva, rodando sem parar e não esperando por aqueles que teimam em atrasar-se, achando que, com isso, ficam mais tempo por cá; pura ilusão! Iremos quando ela mandar e depois ela e o tempo continuarão, " impávidos e serenos ", como se nada de anormal tivesse acontecido. Não precisam de nós para nada, mas nós precisamos deles e também precisamos de reflectir no que eles , constantemente, nos aconselham. Um tema nada agradável, Jaime, mas... tem que ser abordado. No entanto, acho melhor não pensares muito nisso, certo? Um beijinho
Emília

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Jaime. Estou com problemas na minha conta, não estou conseguindo postar nos meus espaços.A ultima
postagem foi dia 10/05/18. Estão tentando resolver.
Amei a profundidade do seu poema reflexivo, muito interessante seu jeito peculiar de poetizar.
Parabéns.

Redescobrindo a Alma
Patrícia Pinna

Bons sonhos.
Beijos na alma.

PAULO TAMBURRO. disse...


Trocar de relógio, para novos tempos,novos segundos, minutos, horas , dias , meses e anos porque a qui pra nós este mundo anda muito chato.

E ainda temos que aturar aquela hipocrisia do casamento do Harry, ora bolas, uma família mantida no passado pela pilhagem de Peter Draker o pirata contratado pela família real da época e de plantão para encher os cofres da realeza de ouro. e mais recentemente aquela "colonização " desvairada e criminosa na África do sul que levou até o ultimo pozinho de ouro, deixando ali, somente as crianças com distrofias pluri - carencial nutricionais de barrigas enormes e membros finos à ponto de quebrarem!
Vergonha!
Um abração carioca.

Manuel Veiga disse...

poema de excelência, amigo Jaime
como aliás é teu timbre. sempre.

abraço

mariam [Maria Martins] disse...

Muito Bom! Beijinhos :)

Fá menor disse...

Atrás de tempo, tempo vem - sempre ouvi dizer. Resta-nos sabermos passar pelo tempo, sem que ele apenas passe por nós, para que conquistemos o relógio da outra margem do tempo.

Beijinhos, amigo Jaime.

Maré Viva disse...

Gostei muito do teu poema. Todos nos revemos nele, uns mais que outros...
O tempo, inexorável arrasta-nos para um fim inevitável, ainda que temerosos, finquemos os pés no chão, tentando abrandar 0 ritmo da corrida...
Obrigada pelas palavras no Barlavento.
Boa semana.
Um abraço.

rosa-branca disse...

O destino...diziam os mais antigos que quando nascemos temos o destino marcado...nao creio! Cabe-nos a nós (ou não) mudar essa coisa que chamam destino, que por vezes e um carma e dos grandes. Adorei o teu poema. Amigo Jaime, boa semana e beijos com carinho

Diana Fonseca disse...

O tempo passa a correr e nem damos por isso. Belo poema.

Nadine Granad disse...

Uau!
Camões tão bem mencionado, até beberia puro, sem gelo!

Bonito.

Beijos! =)

Ailime disse...

Boa noite Jaime,
Magnífico poema de que destaco se me permite:
«Depois disso, o tempo caminhará
sem a nossa companhia»
...
A grande e irrefutável verdade!
Beijinhos,
Ailime

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, excelente criação poética, escrever poemas também faz parte do seu destino.
Bom fim de semana,
AG

PAULO TAMBURRO. disse...


JAIME,

se puder me dizer onde encontro este outro relógio, ficarei eternamente grato,literalmente!!!

Solicito um especial favor seu, pois acabo de publicar no meu blog FALANDO SÉRIO do qual me honra seguindo-o,favor este de comentar minha ultima postagem ali:RECADO PARA ADRIANA.

Um abração carioca

Jaime Portela disse...

Olá Paulo
Onde encontrar outro relógio? No céu, por exemplo, para os crentes... "outro relógio a tempo inteiro habitável", como digo no final do poema...
Um abraço.

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************
Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana.
Saudações poéticas.
*******************************************************************************

Lucia Silva disse...

Encantador esse poema, amei!
Beijos!

Julia Tigeleiro disse...

E o mundo continuará a girar depois de nós... magnífico este poema.