Translate

quinta-feira, 31 de maio de 2018

És a minha casa





Quando olho a minha casa,
o que eu vejo é diferente
da imagem que outros veem.

Vejo abertamente por dentro
a parte aos outros fechada,
que a de fora
aos meus olhos nada encobre.

Os outros desconhecem a cor
dos tapetes e das flores,
a luz que as paredes espalham
e até por quantas janelas e portas
a casa se refresca.

És a minha casa, meu amor,
não te vejo só por fora.
Quando olho para ti,
vejo-te toda,
és transparente e a tua beleza é real.





50 comentários:

tulipa disse...


És a minha casa, meu amor,
Quando olho para ti,vejo-te toda,és transparente e a tua beleza é real.

Oh Jaime
quanto romantismo!

Parabéns por ser como é.

OBRIGADO pela partilha.

Por aqui,
tenho 2 posts recentes neste blogue:
http://pensamentosimagens.blogspot.com/

Após o magnífico almoço no restaurante vietnamita,
rumei à "Quinta das Pintoras"
cujo post fiz noutro blogue meu
e depois
fui visitar o PARQUE VITÍCOLA DE LISBOA.
Foi mesmo uma surpresa ver estas "Vinhas" na cidade de Lisboa.
Quando lá cheguei faltavam 10 minutos para começar a visita guiada,
por alguém ligado à Câmara Municipal de Lisboa.

Se quiser acompanhar, visite-me.
Boa semana, Tulipa

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Lindo um belo poema meu amigo.
Um abraço e bom Feriado.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Cidália Ferreira disse...

Simplesmente fantástico!!

Beijo e um excelente fim de tarde!

Andreia Morais disse...

É preciso ver por dentro; nunca ficar somente por aquilo que os nossos olhos alcançam, mas ir mais longe. Só assim se conhece verdadeiramente.
Poema fabuloso *-*

r: Faz mesmo, concordo totalmente!
Obrigada e igualmente

Larissa Santos disse...

Um poema muito bonito :)) Parabéns:))
.
Hoje:- Olho o horizonte...Silêncio absoluto.

Bjos
Votos de uma óptima noite.

Hetero Doméstico disse...

Assim sabe tão bem estar na nossa casa... :-)
Um abraço

Os olhares da Gracinha! disse...

É por isso que é bom regressar a casa ... e o poema é lindo!
bj

Daniela disse...

Poema fantástico!
=)

Liberdade e leveza.

Bjinhos

Ana disse...

Boa noite amei esse lugar.

Lucia Silva disse...

Amei o romantismo e a profundidade de sentimentos presentes nessa magnífica poesia.
Beijos no coração!

Fernandes Diná disse...

Olá amigo Jaime,

Um poema encantador, existe algo melhor que a nossa casa? O interior da nossa casa é mesmo semelhante ao nosso "eu",é preciso darmos conta do que acontece no nosso interior. Versos de beleza rara com a marca das suas digitais.
Abraço e bom final de semana!
Diná

Pedro Coimbra disse...

Quando se ama conhece-se o outro em todas as suas dimensões.
Aquele abraço, bfds

Marta Vinhais disse...

É ver para além de tudo...o horizonte, o espelho...
Lindo ...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Mariazita disse...

Analogia perfeita... para um poema perfeito!
Ver a pessoa amada (por dentro) tal como vemos a nossa casa (que conhecemos de olhos fechados) é o supremo desejo de qualquer "simples mortal".
Perfeito, mesmo!

Bom Fim-de-semana, amigo Jaime.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Graça Pires disse...

Quando o amor se confunde com a casa é maravilhoso, Jaime. Tão belo, o poema.
Um bom fim de semana.
Um beijo.

São disse...

Continuas a ser um excelente poeta!

Bom JUnho :) Beijos

Elvira Carvalho disse...

Um bonito poema, ou uma declaração de amor perfeita.
Abraço e bom fim de semana

Pedrasnuas disse...

A analogia é simplesmente original e brilhante! Adorei o teu poema por inteiro e imaginei a vaidade da casa, ser assim, amada!

Bom fim de semana, amigo JP

Beijo

Majo Dutra disse...

A conjugação da perfeição exterior com a interior
é a pura obra-prima...
Uma tocante confissão de devotado Amor.
Muito belo, Jaime.´
Abraço, Amigo.
~~~~

teresa dias disse...

Quem ama vê assim, por dentro, como o poeta.
Mais um belo poema.
Abraço, Jaime, e bom fim-de-semana.

Célia Rangel disse...

Essa casa "interna" é o nosso lar que compomos com pessoas e amor. Bens materiais fazem parte da casa... O lar é afeto, gratidão! Belo poema, Jaime!
Abraço.

Marina Fligueira disse...

Que bello poema, Jaime: eres hombre que sabe apreciar y valorar lo que tiene y lo que vale la persona que te brinda amor, paz interior ese alma transparente que a ti, te proporciona felicidad.

No debemos valorar lo que digan nadie de afuera, porque tu casa que es tu amor, solo tiene que gustarte a ti. Gracias por compartir tu bello sentir.
Me ha parecido una gran reflexión, tu poema.

Me ha gustado mucho leerte.
Te dejo mi inmensa gratitud y estima.
Un beso y feliz fin de semana.

Perdona mi demora, estuve ausente.

Kasioles disse...

Me gusta tu forma de mirar.
La casa de cada uno de nosotros guarda tantos recuerdos y detalles, que ninguna persona, ajena a ella, sería capaz de apreciar.
Cariños y buen fin de semana.
kasioles

Toninho disse...

Muito lindo Jaime!
Um dia me questionaram como um engenheiro faz poesia, eu disse, que temos também um coração e não engrenagens no peito.
Olhos de poesia e encanto é tudo de bom, que só os iluminados da poesia expressam.
Meus aplausos amigo.
Um bom e feliz fim de semana.
Meu terno abraço.

manuela barroso disse...

O realismo poético que só deixa de o ser quando a introspecção
dá calor ao poema.
E quanto romantismo, Jaime!
Beijinho

Ailime disse...

Boa tarde Jaime,
Um poema muito belo em que o amor e a casa se misturam numa bela analogia.
Um beijinho e bom fim de semana.
Ailime

mariam [Maria Martins] disse...

... para além da 'flor da pele'. Beijinhos

Gil António disse...

Poeticamente BRILHANTE.
.
* Utópicos versos rimados num abraço entre namorados ( Poetizando) *
.
Deixando um abraço poético

SOLIDARIEDADE disse...

A morada é sempre melhor, no descrever de que a ama e usufrui.
Abraços.

BETONICOU disse...

Oi Jaime! Caro poeta gostei muitíssimo do espirito emprestado à sua casa. Adoro essas prosopopeias que poucos tem a arte de atribuir a objetos. E casa, tem mesmo todo esse espirito, que e´o nosso emprestado às paredes. Abração, e ótima semana poeta.

Maria Rodrigues disse...

Maravilhosa declaração de amor.
Apaixonado e belo poema.
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Magnífico Poema. O Amor dá-nos imaginação e inspira confiança.
Parabéns.

Abraço
SOL

Josélia Micael disse...

Mais uma bela poesia, que retrata bem o sentido da nossa casa,
e claro está que só nós a podemos ver de fora para dentro!
Beijo fraterno... Obrigada pela partilha!

Manuel Veiga disse...

"Casa em que caibas...", assim se diz na minha "terrinha", caro amigo Jaime!

belo este teu "Poema-Casa"

forte abraço

Teresa Almeida disse...

Uma construção à medida de um bom arquiteto poético. Perfeita.

Beijos, amigo Jaime.

Emília Pinto disse...

Só um grande amor consegue enxergar o que vai na alma da pessoa amada ; os outros simplesmente olham e veem o exterior que nada diz, pouco mostra. Bela comparação com a nossa casa, Jaime, pois também aqui, só nós mesmos a conhecemos até de olhos fechados ; os outros veem um edificio grande, pequeno, na cidade ou no campo e, mesmo entrando nele com frequência, não o conhecem; para todos é simplesmente uma casa, mas para nos é muito mais que isso, é o nosso aconchego, o nosso porto seguro, o nosso Lar, o , lugar onde podemos ser nós mesmos, onde não precisamos do " politicamente correcto ", onde podemos mostrar toda a nossa essência, onde podemos ser totalmente transparentes. E o amor exige isso, amigo, lealdade, transparência, beleza interior; esta sim, é a importante, a que se deve procurar em todos. Lindo como sempre, Jaime. Um beijinho
Emilia

Arte & Emoções disse...

Quando o amor é intenso, a imagem é límpida em todos os sentidos. Belo poema Jaime.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Daniel Costa disse...

Verdade Jaime Portela, a visão das coisas, depende sempre da cada um. Boa observação e perpectiva do poeta.
Abraço

Luísa Fernandes disse...

https://poemasdaminhalma.blogspot.com/
Olá amigo Jaime!
Amei este especial poema... "És a Minha Querida Casinha"!... Só eu te conheço por dentro por fora.
Faço minhas as suas palavras amigo Jaime!
Belíssimo poema de amor ao ninho que a gente constrói com muito trabalho árduo e amor no coração.
Beijinho Jaime e tudo de bom.
Luisa

Minhas Pinturas disse...

O admirável amor de um poeta...A analogia maravilhosa, assim como o poema.Amei.
Beijinhos, Léah

Lu Dantas disse...

Ahh que poema lindo! Quando podemos fazer do outro a nossa morada e oferecer a ele toda casa que temos em nós!

beijos!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

saudade disse...

Só quem vê por dentro sabe amar... Lindo o teu poema
Beijo de....
Saudade

Fá menor disse...

Ora bem! Das nossas casas sabemos nós.
É preciso saber apreciar o vai dentro.

Beijinhos, amigo Jaime.

Julia Tigeleiro disse...

E o nosso cantinho, onde nós refugiamos da confusao mundana para lamber as feridas. Curiosamente os poetas falam de flores, borboletas, sois poentes e luas cheias, mas muito poucos da nossa casa, a redoma onde passamos a maior da nossa vida. Adorei.

PAULO TAMBURRO. disse...



JAIME,

mais do que nunca aqui se reflete a contundência da verdade de que o que interessa é realmente a beleza interior, e para admirá-la precisamos acima de tudo conhecê-la em profundidade.
Belo poema!
Um abração carioca.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Muito bonito, pura sensibilidade poética!
Abraço.

Rui
Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

Ana Freire disse...

Um poema lindíssimo, Jaime!... E em simultâneo... um bela declaração de amor!
Adorei cada palavra! Beijinho! Continuação de uma feliz semana!
Ana

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************
Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Bom fim de semana.
Saudações poéticas.
*******************************************************************************

rosa-branca disse...

Amei demais o teu poema. Beijos com carinho

Graça Sampaio disse...

É o nosso mundo, o nosso conforto, o nosso espelho. É o nosso tudo!