Translater

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Há quem pense [264]



Há quem pense meter ao bolso a lua
e acabar com os cinzentos.
Tudo seria
preto ou branco e a vida seria construída
apenas com suor e betão.
Como o politicamente correto
tem maior aceitação,
passamos o tempo a tentar moldar as máscaras
às circunstâncias,
ainda que falhemos sem espanto.
Prevalece o humano,
e o primeiro impulso
defende a beleza que há na cor
ao amparar um torturado coração.
Porque os que assim agem,
são a maioria e percebem
que é mais dura a maré que o mexilhão.



43 comentários:

chica disse...

Lindo e instigante teu poema,falando verdades! abraços, chica

Jornalista Douglas Melo disse...

Meu caro Jaime,
Bem certo isso... “...é mais dura a maré que o mexilhão.”
Precisamos aprender a navegar em mares bravios... Precisamos aprender a pescar e não, simplesmente comprar o peixe na feira. E o “Politicamente Correto” é “Hipocrisia Mascarada”, mesmo antes do Carnaval se anunciar.
Mais uma bela composição do amigo!
Um abraço!!!

Isamar disse...

Olá Jaime,
É verdade, "o politicamente correcto tem maior aceitação", mas raramente é o mais humano de se fazer.
Brilhante poema, com tantas verdades e, como sempre, muitíssimo bem escrito.
Amei!
Beijinhos

Graça Pires disse...

"passamos o tempo a tentar moldar as máscaras
às circunstâncias,
ainda que falhemos sem espanto."
E não é preciso ser carnaval… Gostei muito do poema, meu Amigo Jaime.
Um beijo.

Marta Vinhais disse...

Tentemos descobrir a cor que há no coração...
Como sempre, brilhante...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Karocha disse...

Pois !!!

yo leo Novela disse...

Hermoso, como siempre.
Besos,

Andreia Morais disse...

Uma poesia que nos envolve e nos deixa a pensar. Gostei imenso!

Continuação de boa semana*

lua singular disse...


Oi Jaime,
Existem pessoas que se aproveitam da nossa bondade e vira um parente. Aí não dá, fora o que sai falando mal do almoço que comeram na nossa casa.
Mas o tempo nos ensina a lidar com essas pessoas.
Jaime, você escreve demais
Adorei
Beijos
Lua Singular

Giancarlo disse...

Poesia molto bella, con tante verità.
Buona serata.

Fá menor disse...

Há quem pense subtrair-nos o luar, e o sol, o vento, a chuva, o dia e até a noite. Não nos conformemos!

Beijinhos, amigo Jaime!

Josélia Micael disse...

Muito bem amigo Jaime!
A sua poesia está sempre com a razão!
Gostei, como sempre!
Beijo de paz!

Amélia disse...

Magnífico poema. Gostei muito de ler.
Bj

Pedro Luso disse...

“Há quem pense meter ao bolso a lua
e acabar com os cinzentos.”

Esses versos abrem este belo poema, no qual tem o Poeta o seu canto de cunho social, no meu sentir. Poema que se encerra com estes densos versos:

“Porque os que assim agem,
são a maioria e percebem
que é mais dura a maré que o mexilhão”

Parabéns, caro amigo Jaime.
Uma ótima sexta-feira.
Um abraço.

Pedro Coimbra disse...

Por causa dessas presunções a minha avó ensinou-me desde pequenino que "a pensar morreu um burro".
Aquele abraço, bfds

Os olhares da Gracinha! disse...

Máscaras só trazem confusão e a poesia chama à razão!!!
O meu aplauso Jaime

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema amigo Jaime.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

RUTH FASHION DIARY disse...

I always enjoy these great poems.So much thought put in it.Thank you for sharing.

Magui disse...

Nalgum momento alguém deixa cair a máscara.
Abraço e bom fim-de-semana

RECOMENZAR disse...

Silencio
No comento
Es bello
lo que escribes...
abrazo inmenso

Sam Seaborn disse...

Penso não ter lido um só poema seu que não tenha uma forte mensagem e ainda bem que "prevalece o humano", ainda bem que prevalece a "cor"

Abraço e bom fim de semana, pleno de inspiração

© Piedade Araújo Sol disse...

pois é,
nem sempre é o que queremos nem sequer o que seria mais normal.
um dia tudo cai, até as máscaras.
poema muito pertinente.
beijinhos
:)

Mariazita disse...

Estou contigo!
Para proceder de acordo com o politicamente correcto há que ter uma boa reserva de máscaras para usar nas mais variadas circunstâncias.
Afinal, se todos vissem a vida com a beleza das suas cores, tudo se tornaria mais simples e fácil (mas, provavelmente, não seria politicamente correcto…)
Gostei que, num lindo poema, soubesses “pôr a mão na ferida”.

PS - Fico grata pela tua presença no aniversário da minha "CASA", meu querido Jaime. E, se queres saber, eu também preferia não fazer nem desfazer anos…

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Canto da Boca disse...

Tempos difíceis, muito bem descritos na sua poética...
Gostei imenso da metáfora "é mais dura a maré que o mexilhão".

Cumprimentos.

:)

Sandra May disse...

Em tempos difícies apostemos nas cores, insistindo nelas.
Precisamos de luz, mais do que nunca, ou apagaremos todos!
Um bom descanso de carnaval.
Bj

Isa Sá disse...

Para refletir.
Bom fim de semana!

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

Portugalredecouvertes disse...

Olá Jaime, versos certeiros :)
e por estes dias ainda mais, que seria do carnaval sem a cores !?
abraço, bom fim de semana

SOL da Esteva disse...

... A verdade acima de tudo.
Haverá sempre quem não goste porque o mexilhão se "mexeu". Mas não pode ser sempre o que suporta as tormentas.
Belo, Amigo.


Abraço
SOL

Manuel Veiga disse...

preto e branco não seria mau de todo (embora eu aprecie as nuances e as diversas tonalidades).

de facto "isto" está tudo a ficar tudo da mesma cor (cinzento?) e ... "não há alternativa"!... gritam-me aos ouvidos...

gostei muito do poema, caro amigo Jaime Portela

abraço

Liliane de Paula disse...

Olá Jaime, você é de Viana do Castelo.
Não conheci quando estive aí em maio/2019.
Portugal é todo bonito, eu acho.
Abraço,

tulipa disse...


Há quem pense meter ao bolso a lua
...
AMIGO JAIME
eu só penso que quero ter saúde!

a 18 de janeiro ainda passei em alguns blogues de amigos, 
mas depois disso não mais andei pela blogosfera, 
vários problemas juntos fizeram com que tivesse um enfarte 
e,
só agora devagar vou retomando as visitas e os meus posts, 
já tinha saudades

2020 não começou da melhor maneira, 
logo dia 13 perdi a minha prima-irmã
depois a minha hospitalização
veremos se Março vem com momentos mais positivos

Nesta fase da vida, nada exijo e peço muito pouco.
SAÚDE SIM é a única coisa que peço.
mas...nem sempre as coisas são como queremos

entre ontem e hoje fiz posts novos
se quiser espreitar
pode ser aqui:
 
http://momentos-perfeitos.blogspot.com/ 

e, aqui:
http://tempolivremundo.blogspot.com/

embora nos outros dois blogues haja tbm posts novos,
estou a retomar 
esta actividade que me dá tanto prazer.

Beijinhos da Tulipa

Cidália Ferreira disse...

Fantástico poema, como sempre! :)
-
Quando a saudade aumenta...
-
Beijos. Bom Carnaval, e uma excelente semana!

yonosoymillenium disse...

como siempre un gran poema, quien cojiera la luna.

Humberto Maranduva disse...

Um bonito poema, caro Jaime, pleno de realismo. Sem dúvida que as máscaras vão sendo usadas no dia-a-dia e, no Carnaval, limitámo-nos a usar as visíveis e materiais, potenciando, portanto, o nosso Eu Ideal através do Ideal do nosso Eu.
Continuação de uma boa semana.

R's Rue disse...

Beautiful

Majo Dutra disse...

Excelente poema de intervenção social!
Uma mensagem pertinente, plena de sabedoria e sensatez,
muito bem poetizada e conseguida.
Meus aplausos.
Dias agradáveis.
Beijinho, amigo.
~~~~~

Nal Pontes disse...

A verdade sempre prevalece. Abcs

Ana Freire disse...

Se o mundo se deixasse ver a preto e branco... talvez tudo nele se entendesse e explicasse, mais claramente... no entanto... há tantas nuances encapotadas em tantas vertentes... que às vezes até penso que as cores, vêem somente embelezar os cinzentismos pouco claros, com que o mundo tantas vezes, se nos apresenta...
Como sempre, uma belíssima inspiração, que nos faz pensar, na veracidade da nossa realidade... tantas vezes disfarçada... também nas máscaras de cada um...
Beijinhos, Jaime! Votos de continuação de uma excelente e inspirada semana!
Ana

Olinda Melo disse...


Olá, Jaime

Haverá sempre uma área cinzenta, porque
tal como diz nem tudo é preto ou branco.
Há situações que conseguimos explicar
através de normas bem estabelecidas ou
princípios morais, mas mesmo assim
cada um tem a sua interpretação da realidade
ou das percepções.

Excelente poema, caro amigo.

Abraço

Olinda

teresa dias disse...

Magnífico poema, meu amigo!
Já agora, eu gosto do branco e do preto e até do cinzento.
Odeio máscaras! Ignoro as de Carnaval, odeio todas as outras!
Beijo.

Ailime disse...

Bom dia Jaime,
Um poema magnífico sobre o presente quadro social que de tão cinzento quase nos impede de respirar.
Gostei muito.
Desejo-lhe um bom fim de semana.
Ailime

betonicou disse...

Bom dia, Jaime! O texto nos arremete a uma ampla reflexão. Muito belo, assim como os demais anteriores. Grande abraço.

Dalva Rodrigues disse...

Olá Jaime, chegando ao blog pela Teresa Dias.
Bonito demais seu poema, questionador, faz acender o pisca alerta, devemos nos atentar.
Abraço!