Translater

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Há um fado [263]




Há um fado
que nos empurra e segura,
um fado luso
a adubar a estagnação
da nossa marca
de pátria mal-amada.

É uma raiva
de branda insurreição
que nos empolga
sem nos soltar,
que vai do Minho aos Açores,
de terra em terra,
mas não há meio de chegar.


44 comentários:

yo leo Novela disse...

Precioso. Me ha encantado.
Feliz semana y fin de semana, Jaime.
Besos.

lua singular disse...

Oi Jaime,

Por que não escreve um livro. Você é bom demais
Tanto e poesias como em contos eu me encanto.
Adorei
Beijos no coração
Lua Singular

Ana Freire disse...

Estagnação na agricultura... nas pescas... só o turismo parece que actualmente nos sustenta... pelo menos enquanto Portugal estiver na moda... ao sabor de caprichos de aleatoriedade, que mudam a qualquer instante...
Mas, enfim! Enquanto a Desunião Europeia, abençoar e impor a nossa estagnação... a mesma vai tendo o estatuto de sábia sensatez e ponderação...
Um belíssima inspiração, com um acutilante inconformismo, de que gostei imenso de apreciar!
Beijinhos, Jaime! Desejando-lhe a continuação de uma excelente semana...
Ana

Andreia Morais disse...

Todos temos um fado, que nos acompanha em cada passo.
Gostei imenso do poema

Continuação de boa semana*

Duarte disse...

Quando o caminho é agreste o fado faz-se duro de levar.
Que força a deste poema! Bom, como tudo aquilo que escreves.
Abraços de vida

chica disse...

Muito0 linda tua poesia, como todas que leio aqui! abraços,chica

Jornalista Douglas Melo disse...

Caro Jaime,
É como diz o fado Triste...

♫ Vai ó sol poente/Vai e não voltes/Sem trazer no primeiro raio/Notícias de quem se foi ... ♫

Mas, como o amigo bem citou em teu poema: “... de terra em terra,
mas não há meio de chegar”.
Um abraço!!!

Cidália Ferreira disse...

Excelente poema! Parabéns:)
-
Não peco por gostar de ti...
-
"Novidades".
Beijos. Boa noite!

Tais Luso disse...

Que lindo, Jaime, como entendo esse lamento, um tanto de tristeza, mas gostei muito de ler! Um dia chegará...
Só para registrar, adoro o fado "Foi Deus"!
Beijo, um ótimo fim de semana!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema amigo Jaime.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Marta Vinhais disse...

Um fado triste, feito de lágrimas...
Como sempre, brilhante...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Giancarlo disse...

Una stupenda poesia.
Buona giornata.

Isamar disse...

Olá Jaime,
É verdade, há sempre um fado que nos acompanha vida fora, resta-nos a nós saber "levá-lo a bom porto".
Mais um belíssimo poema e, como sempre, muito bem escrito.

Bom fim-de-semana, beijinhos!

Graça Pires disse...

Aqui, onde o coração reclama uma pátria melhor, os poetas como tu, meu amigo Jaime, voltam às palavras que nunca calaram…
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Fá menor disse...

Comungo do teu sentimento.
Uma dor calada, um grito mudo de sangue escorrido das veias.

Bom fim-de-semana, amigo Jaime!

Beijinhos

Pedro Luso disse...

Neste seu poema, “Há um fado!, o Poeta mostra a sua irresignação com talento de sobra.

Gostei muito deste seu belo poema, amigo Jaime. Parabéns.

Um ótimo final de semana.

Um abraço

Helena Primeira disse...

Este poema dava música. Gostei :)

XoXo
- Helena Primeira
- Helena Primeira Youtube
- Primeira Panos

Elvira Carvalho disse...

Um fado que vai pesando cada vez mais, com o avançar dos anos.
Um abraço e bom fim de semana

Ana Tapadas disse...

Assim mesmo, somos!
Belo poema.

Beijo amigo

Manuel Veiga disse...

todos nós trazemos a roer cá dentro "uma questão chamada Portugal", não é verdade, caro Jaime Portela?

gostei muito do teu poema.
e julgo que Alexandre O´Neill também teria gostado:

"Ó Portugal, se fosses só três sílabas,
linda vista para o mar,
Minho verde, Algarve de cal,
jerico rapando o espinhaço da terra..."

forte abraço, meu amigo

Cláudia Forte disse...

Descanse, reflita, sorria, se distraia e tenha muitas inspirações como esta. O fim de semana é seu! Beijo enorme!

RECOMENZAR disse...

Tu imaginación es bella no tienes limites
abrazos

SOL da Esteva disse...

Magnífico!
Verdadeiramente (...)"não há meio de chegar."
Sem mais palavras.


Abraço
SOL

Teresa Durães disse...

Um fado que tem séculos?

MásQueRopa disse...

Que bonito

saudade disse...

Um fado lindo de se ler e fácil de beber.
Encontra te no meu post.
Beijo

Sandra May disse...

Perfeita a tua escrita, Jaime! Um lindo e triste fado.
Um bom domingo, meu amigo.
Bjs

Isa Sá disse...

A passar por cá para conhecer mais um bonito poema!

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

Luísa Fernandes disse...

Olá caro Jaime!
Um magnífico poema, não fosse o tema fado,
que aquece e arrefece e não chegamos a nada.
Gostei muitíssimo da inspiração poética. Parabéns!
Quanto ao tema... concordo contigo?
Beijinho e continuação de tarde de Domingo.

Hoje Podes no blog.... "Dia de S. Valentim"... ou, "Minha Santa Mãe"

Luisa

teresa dias disse...

"Com que voz
Chorarei meu triste fado"
(cantava a grande Amália...)
Triste fado o nosso!
Sem pingo de tristeza eu grito: amo esta "pátria mal-amada"!
E amei ouvir este fado sublime de 13 versos.
Beijo, Jaime. Boa semana.

luar perdido disse...

Haverá sempre um "fado" que nos marca os passos; ou não fossemos o "povo luso".
É um elo que nos liga de Norte a Sul, que sobrevoa as águas do oceano e se coroa nas pérolas que permanecem, belas e verdes, espreitando das águas azuis profundas. Sim teremos sempre um "fado", um destino para cumprir. Um destino sempre por cumprir.
Mais um belo poema, meu Amigo, Jaime. Uma pérola de sentimentos.

Beijo de luar

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

Somos um País de fados, e este é um bom fado à portuguesa.

Boa semana.

beijinhos

:)

Majo Dutra disse...

O nosso eterno fado luso...
muito bem invocado e poetizado...
Gostei do teu excelente poema, Jaime.
Beijinho.
~~~~~

Maré Viva disse...

Não fosse o fado luso!

Corre nas veias de cada um de nós, mas muito poucos têm alma e voz para o cantar!
Parabéns pelo magnífico poema, rico na mensagem que transmite.
Um abraço.

Magui disse...

Foi e será o nosso fado.
Abraço e boa semana

Pedro Coimbra disse...

A vida a retomar em Macau aos poucos e eu também a retomar os blogues aos poucos.
Aquele abraço

yonosoymillenium disse...

un poema precioso, como siempre, un abrazo

Ulisses de Carvalho disse...

Um poema que demonstra muita força, Jaime, mas que certamente será percebida de uma maneira muito mais genuína pelos portugueses, são palavras para gente da tua terra, mas que exemplificam muito do que há em outras partes do mundo. Um abraço.

Mar Arável disse...

A paciência é revolucionária
mas tem limites

Abraço

Gracita disse...

Haverá sempre fado para se refletir
O poema é esplêndido Jaime
A poetisa do nosso Café poético está aguardando a sua visita com uma xícara fumegante do café e uma bela poesia, Venha degustar. Te espero no Sonhos e Poesia

vieira calado disse...

Pois, amigo, o Fado é, realmente, a Alma Lusa!

Saudações poéticas!

Josélia Micael disse...

Maravilha, de poema amigo Jaime!
Beijo de paz e bem!

Soraya disse...

Enquanto eu lia, imaginei como ficaria bonito se um músico criasse uma
melodia à altura das frases. Bonito! Um abraço e o desejo de uma boa semana.

betonicou disse...

Olá Jaime! Magnifico Texto! Grande abraço. Feliz domingo.