Translater

quinta-feira, 29 de abril de 2021

Morri descontente [329]

 


Perdi a hora do regresso

quando um escusado restolho

se desprendeu da fuga de pássaros,

amplificando os saltos

ao ritmo das borboletas

que trazias no corpo.

Acendi-me na chama que acumulavas

quando me desfraldaste em carícias

e te embalei nos meus braços,

como se neles tudo fosse inaugural.

Morri descontente na hora do adeus

quando o verso do espelho me sacudiu,

atraiçoando a verdade quente

da tua pele na minha.




51 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Apenas deixo duas palavras: "" POEMA BRILHANTE ""
.
Abraço poético
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Mar Arável disse...

Estamos sempre a desnascer
até ser dia
Abraço

Ailime disse...

Boa tarde Jaime,
Lindo e sensual poema!
Gostei imenso.
Um beijinho e saúde.
Ailime

Ana Freire disse...

Como só gosto de chegadas... o dizer adeus, é algo que evito o mais que posso... gostei imenso, do poema, que tão bem traduziu, essa amarga sensação... que nem sempre, se deixa contornar com leveza...
Beijinho! Feliz fim de semana!
Ana

Megy Maia disse...

Boa noite, Jaime!
Um poema tão envolvente e sensual!
Um beijinho!
Megy Maia🌺😊🌺

Sementes Preciosas disse...

Há uma textura mansa e sensual nesse teu poema Jaime Portela, econômica nas palavras, mas farta de beleza e sonoridade como deve ser toda poesia. Aplausos!!
Abraço poético, meu amigo!

Pedro Luso disse...

Olá, amigo Jaime, gostei de ler te poema, um canto muito inspirado.
Parabéns, poeta!
Um bom final de semana, com saúde.
Grande abraço.

Pedro Coimbra disse...

O que se chama uma morte abençoada.
Abraço, bfds

J.P. Alexander disse...

uy me hiciste suspirar que apasionado poema. Te mando un beso

Porventura escrevo disse...

Um poema profundo e que induz a reflexão Jaime
Gostei

Marta Vinhais disse...

O regresso ao dia, à sua própria loucura tão diferente à que aconteceu durante aquele noite cheia de paixão e sensualidade...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Elvira Carvalho disse...

Morremos um pouco em cada adeus!
Muito bonito.
Abraço e saúde

Ygraine disse...

So very heartrending...yet incredibly beautiful!😊😊
In each goodbye there is a death...that touches the soul forever...

Have a wonderful weekend, dear Jaime.

Kisses xxx

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei amigo Jaime.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

SARA disse...

Olá Jaime!
Que lindo o teu poema cheio de muito amor um bjo😘

Fá menor disse...

Muito bonito!
Os adeus nunca são fáceis. Mas há que continuar o caminho.

Beijinhos.

Isamar disse...

Querido Amigo Jaime, obrigada por nos brindar com mais um estrondoso poema, sempre inteligentemente bem escrito.
Que o seu fim-de-semana seja muito feliz.
Beijinho

Juvenal Nunes disse...

O poema revela uma cerrada sensualidade, de que o espelho espelha uma fogosidade renovada.
Abraço amigo.
Juvenal Nunes

Graça Pires disse...

Morrer de amor, meu amigo Jaime, está sempre a a acontecer. Que bem que expressa os sentimentos.
Muita saúde.
Um beijo.

silvia de angelis disse...

Versi molto originali e intensi, apprezzati
Buon fine settimana e un saluto,silvia

lua singular disse...

Oi Jaime,
O mundo inteiro está extremista, eu não me acho tanto.
Parece que eu estou incomodando os portugueses, então podem deixar de me visitar.
Eu falo por entre linhas o que muitos não tem coragem falar.
Que tenha um bom dia!
Lua Singular
Obs:
Tenho 74 anos, sou doente, mas guerreira. Trabalhei mais de 40 anos para ter a estabilidade de hoje.

Lúcia Soares disse...

Boa tarde amigo💕

eli mendez disse...

Sensualidad y nostalgia en este hermoso poema, donde el adios tambien parece ser un encuentro o una esperanza ..
Te dejo un abrazo grande y siempre es un placer llegar hasta tus versos querido Jaime..
que disfrutes este dia!!
Besos

lua singular disse...

Oi Jaime,

Lindo conto
Gostei demais
Eu não gosto escrever poesias e sim contos, uns são verdadeiros outros não.
O que escrevi é apenas uma pequena ficção.
Tudo vai depender do seu "olhar".
Abraços
Lua Singular

Tais Luso disse...

Muito lindo, amigo Jaime, a triste hora é do adeus, da despedida.
Infelizmente nada é só chegada, tudo tem um começo, meio e fim.
Gostei muito.
Um feliz fim de semana pra você.
Beijo

Sandra Figueroa disse...

Sensualmente bello poema. Saludos a la distancia amigo Jaime.

São disse...

O teu belo poema traduz bem a amargura que sempre envolve a hora do adeus.

Querido amigo, no meu abraço, te desejo excelente Maio!

Maria Dolores Garrido disse...

Bela prova de que o ser humano é um ser ligado a toda a natureza, seja em momento 'inaugural' ou 'na hora do adeus'.
Um abraço, Jaime, e feliz 1º fim de semana de maio.

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Eita Jaime!
Que versos mais
envolventes.
Fico smepre encantada
e viajo dentro de seus
poemas.
Bjins
CatiahoAlc.

A Paixão da Isa disse...

woaunh parabens muito bonito bjs saude

Lígia Casaca disse...

Vivemos várias vidas, exatamente, por morrermos várias vezes. Desilusões não faltam e as máscaras escondem quem efetivamente cada pessoa é.

Muito pertinente, esse tema...

Jaime, votos de um excelente fim de semana.

Beijo

Dalva Rodrigues disse...

Olá, amigo, mais um belo poema!
Nem sempre o espelho está do lado certo, a realidade nos deixa triste, mas continuamos a desejar os sonhos.
Bom final de semana, Jaime, abraçao!

Majo Dutra disse...

Porém, parece que foi tudo muito bom...

E o teu poema também está ótimo, amigo.

Bom domingo e uma semna muito agradável. Beijinhos
~~~~~~~~

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

morrer de amor, é o que mais há por aí.
as despedidas são sempre danosas e eu não gosto delas.
aliás, eu nunca digo a palavra Adeus pois soa-me a despedida.
belo trabalho poético como sempre.

:)

M. disse...

Muito belo este poema, Jaime!
Beijinhos e boa semana!

Fê blue bird disse...

Amigo Jaime,
Em qualquer despedida, morremos sempre um pouco.
Gostei muito do seu poema, embora não goste de despedidas.

Um beijinho, feliz semana!

stella disse...

Un poema seductor y bello, te felicito, un abrazo
Carnen

Amélia disse...

Poema brilhante amigo Jaime.
Um beijo,feliz semana

Maria Rodrigues disse...

Sentido e belo poema.
Beijinhos

Smareis disse...

Boa noite Jaime,
Gostei muito do poema, belíssimo.
Uma boa semana de maio!
Um abração!

Giancarlo disse...

Buon inizio settimana.

Beatriz Pin disse...

Um poema que ilusiona e sofre desencato. Como a vida mesmo.
Sempre é um recomenzar. Somos os animais que tropezamos sempre na mesma pedra.
Gostei do poema.
Abraço e um primaveral mes das frores.

saudade disse...

Cada um mais encantador que o outro, vou ficar a pensar neste.... Beijinhos

Rosemildo Sales Furtado disse...

A hora do adeus sempre maltrata. Belo poema Jaime. Parabéns!

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Pedro Luso disse...

Olá, amigo Jaime, passei para ver as novidades.
Uma boa semana, com saúde.
Um abraço.

Simple Girl disse...

Bonitas palavras :)

Emília Pinto disse...

Há sempre despedidas a cada instante que passa, algumas sem grande importância, porque não passam de pequenas mudanças, de pequenos recomeços que fazemos ao longo de um dia. Mas há despedidas que doem , mesmo que sejam por pouco tempo e há as definitivas que, essas , Amigo, são difíceis de suportar e nelas morremos sempre um pouco, com toda a certeza. Sabes, dificilmente, digo " adeus "quando me despeço de alguém , porque acho essa palavra forte, uma palavra que soa a definitivo; prefiro utilizar um " até logo", ou " até breve, mesmo que saiba que vai demorar algum tempo a rever a pessoa. Já disse muitas vezes " adeus ", mas foi doloroso e, o pior, é saber que essa palavrinha não pode ser descartada, porque a qualquer momento há o instante da última despedida. A vida é assim...há chegadas, há constantes mudanças e há partidas, algumas com retorno, outras...para sempre. Amigo, o teu poema, como sempre, está fantástico e, sinceramente, não acho que se morre de amor..." lentamente " vai-se ganhando forças e a vontade de amar volta. SAÚDE, Amigo e obrigada. Um beijinho
Emilia

Sandra Sofia Gonçalves Afonso disse...

Olá Jaime, está muito bonito, este teu poema, eu gostei imenso!! Muitos beijinhos!!

Roselia Bezerra disse...

"... te embalei nos meus braços,

como se neles tudo fosse inaugural."

Bom dia de serenidade, amigo Jaime!
Só o adeus final deixa marca velha no coração.
Muito intenso, se sente ao ler.
Tenha um abençoado final de semana!.
Abraços fraternos

Teresa Almeida disse...

A chama está sempre presente na tua palavra. E, na verdade, sem fogo não vale a pena ateá-la.

Beijos, meu amigo Jaime.

Agostinho disse...

Há mortes gloriosas a que nem os deuses escapam.
Tanto mais se, na travessia, o desfraldar é feito com fantasia.
Os braços a meias erguem na guita o mastro que marca a navegação.
Gostei muito.
Abraço.